Luis Carlos Magalhães comanda o curso A Cidade e seu Carnaval e você pode ganhar uma vaga

O colunista do CARNAVALESCO, Luis Carlos Magalhães, vai ministrar na Facha, através do Instituto do Carnaval, o curso "A cidade e seu carnaval – uma viagem pela história e pelos redutos do samba". As aulas vão de 23 de janeiro de 2012 a 3 de fevereiro, de 19h às 22h. No sábado dia 4 de fevereiro, haverá de um “tour” pelos pontos históricos do samba referidos no curso, incluindo o CAFOFO DA TIA SURICA onde será servido um almoço no quintal da casa da famosa pastora da Velha Guarda da Portela. Um ônibus sairá da porta da Facha pela manhã e a ela retornará no início da noite. O site CARNAVALESCO vai dar uma vaga para um dos seus leitores. Para participar veja abaixo:

"Ninguém é universal fora de seu quintal" Essa frase, cujo significado original se atribui ao escritor russo Leon Tolstoi no século XIX, pode simbolizar a própria trajetória do samba e do carnaval brasileiros. Com base nela, escreva um texo de 15 a 20 linhas sobre a importância dos bairros cariocas para o surgimento, a consolidação e a permanência do samba e do carnaval.
 
Data final para envio dos textos: 26 de dezembro.
Divulgação do resultado: 02 de janeiro

O texto terá que ser enviado para o e-mail redacao@carnavalesco.com.br com nome completo, telefone, documento de identidade e endereço completo.

A equipe do site CARNAVALESCO e nem da Facha vão arcar com os custos de transporte, alimentação e material do premiado.

Vagas estão abertas

As vagas para o curso de extensão já estão abertas. O valor é R$ 650 ou 2 vezes de R$ 325 (público externo) e R$ 550 ou duas vezes de R$ 275 (alunos e ex-alunos da FACHA e participantes do WORKSHOP DO CARNAVAL). Público alvo: pesquisadores, amantes do carnaval e do samba em geral, estudantes, jornalistas, turismólogos, profissionais da rede hoteleira e de todo o trade turístico.

Conteúdo do curso:

Apresentação da ementa, da metodologia e bibliografia
A formação do povo “carioca”
Os ciclos econômicos
A diáspora baiana: “A ROMA NEGRA”
O Rio capital
A cidade colonial
A brincadeira do entrudo
O Vale do Paraíba
A presença da cultura afro-brasileira
A umbigada, o “semba” e o jongo
O carnaval francês
A batalha das ruas
A Abolição e a República
A “Paris dos Trópicos” e a “Pequena África”
O lundu, a polca e o maxixe
A expansão da cidade: Vila Isabel, Tijuca, Mangueira, Oswaldo Cruz e   Madureira
A festa da Penha
O “surgimento” do samba
A presença do Rei do Samba
A primeira geração dos blocos
Os “grupamentos carnavalescos”
O samba do Estácio
O disco, o rádio, o samba urbano: a presença de Noel Rosa
A formação das escolas de samba, a era Vargas, a canção carnavalesca.
Filmes, Fotos e CD’s
Debate: A Paris dos Trópicos
A formação das escolas de samba
A Praça XI, os primeiros desfiles
Paulo da Portela e Cartola: a Majestade do Samba e o Jequitibá do Samba
Os primeiros “enredos” e seus sambas
A era Vargas
A Rádio Nacional
Os carnavais de guerra
O cinema e a marchinha carnavalesca
O Império Serrano e a fixação do samba-enredo: o G-3 do samba
A unificação do Salgueiro: o G-4 do samba
Os anos vermelhos do Salgueiro: a academia no samba
A marchinha carnavalesca X o samba enredo
Os blocos de segunda geração
A Banda de Ipanema e a terceira geração dos blocos
A presença avassaladora da Beija-Flor de Nilópolis
As Escolas de Samba S.A
O Sambódromo e a Cidade do Samba
“O maior espetáculo da terra”
Uma escola de samba “por dentro”
Debate: Onde vamos parar?
Visitas: Passeio de ônibus pela cidade visitando os locais de referência da história da formação do samba com almoço final no Cafofo da Tia Surica em Oswaldo Cruz, bem perto de Madureira.

Comente