Luis Carlos Magalhães: condições de exposição e divulgação dos enredos

ATENÇÃO EMPRESÁRIOS, POLÍTICOS, EDITORES DE REVISTAS, PREFEITOS EM CAMPANHA ELEITORAL, PESSOAS FÍSICAS INVESTINDO EM CARREIRAS FUTURAS, CRIADORES,VAIDOSOS EM
GERAL, NÃO PERCAM EXCELENTE OPORTUNIDADE DE EXPOSIÇÃO E DIVULGAÇÃO OBJETIVA, SUBJETIVA OU SUBLIMINAR DE SUAS MARCAS NA PASSARELA DO SAMBA, SEGUNDO AS
CONDIÇÕES SEGUINTES:

– Exibição por 80 minutos, sem interrupção, na passarela mais famosa do mundo dos espetáculos, com visibilidade para mais de cem países, alcançando milhões de telespectadores;

– Considerando o preço de cada segundo de exibição cobrado por qualquer outro veículo comercial/publicitário, a exibição das marcas aqui oferecida importará em valores inacreditavelmente mais em conta, hoje tão amadoristicamente negociados;

– Para a preparação do OUTDOOR aqui comercializado, representado pela PASSARELA DO SAMBA, serão usados exclusivamente recursos públicos, sem qualquer rateio entre os beneficiados, inclusive os serviços médicos, de segurança, água e luz;

– Tais recursos já vinham sendo utilizados quando o espetáculo exibia a história e os personagens, filhos do povo brasileiro, ali representados, contados, dançados e cantados por seus próprios artistas populares. Poderão, a partir de agora, ser utilizados para a divulgação explícita de marcas comerciais, desde que disfarçados e bem criativamente desenvolvidos. Ficam à disposição dos interessados os filmes, livros, reportagens, depoimentos dando conta de toda a história cultural da forma como foi construído o espetáculo que hoje é considerado o maior de todo o planeta;

– Para os efeitos do item anterior, e como prova inequívoca da eficácia dos investimentos, será disponibilizado o depoimento do maestro Leonard Bernstein ao assistir o desfile em 1985, em que aquele artista, no auge de sua carreira, um dos mais respeitados músicos do mundo, regente da Filarmônica de Nova York, declara que “(…)não existe nada igual no mundo. O que achei interessantíssimo nas escolas de samba foi ver ao mesmo tempo os aspectos sociológicos, religiosos e primitivos do Brasil. (…) a teatralidade e musicalidade, numa alegria única. É simplesmente fantástico!”;

– Os espaços ora comercializados ainda poderão ser adquiridos a preços promocionais, ficando desde já ajustado que seus valores serão majorados tão logo sejam definitivamente quebradas as últimas resistências de sambistas e jornalistas “românticos” que insistem em valorizar aspectos regionais nessa cultura que em tanto dificultam a plena comercialização da pista, e que ora buscamos definitiva e irrevogavelmente descaracterizar, adaptando-a aos cânones da indústria cultural globalizada;

– Qualquer tipo de tema poderá ser acolhido pelas escolas desde que valorize, divulgue e destaque nomes de pessoas jurídicas, marcas de empresas ou grupos empresariais, revistas, empreendimentos culturais, musicais e esportivos utilizando o espaço da passarela do samba como “outdoor”;

– Para os efeitos do item precedente nenhuma escola poderá se eximir de responsabilidade se o “tiro sair pela culatra” e o público perder interesse pelo desfile, e nem culpar jurados se as outras escolas mais profissionalizadas apresentarem enredos não “impostos” por seus patrocinadores e continuarem a vencer os carnavais;

– Poderão ser oferecidos às escolas temas relativos a pessoas físicas que desejem revitalizar auto-estima, estimular ego e até projetar imagens futuras para fins eleitorais ou pessoais sendo optativa a utilização dos estados que governem ou pretendam governar, ou municípios, se for o caso, mesmo com propósitos voltados para seus interesses pessoais;

– Na hipótese precedente caberá às escolas apresentar sinopses convincentes de forma a passar a idéia de que qualquer enredo bem desenvolvido interessa ao público e que essa história de conteúdo cultural é coisa de saudosistas;

– Ficam garantidos os espaços cujas negociações já se encontrem em andamento pelas escolas interessadas como a Revista Capricho, Shopping Iguatemi , O Gado Nelore, o “superstar” Boni (dependendo do carnavalesco), o Roberto Justus, o UFC, o Estado do Acre, Ponto Frio Bonzão, A Feijoada do Amaral, LOLLAPALOOZA In Rio, os municípios cearenses de Quixadá e Quixeramobim, Rio Water Planet, Barcas S.A e os Senadores Jucá e Sarney, juntos ou separados;

– O enredo sobre o Papel Higiênico Neve, já apresentado, depende ainda de informações mais esclarecedoras não só quanto ao seu desenvolvimento , ficando certo que sua aprovação estará condicionada à demonstração clara e inequívoca do que efetivamente estão pretendendo dizer com a expressão “performance ultra ousada e surpreende da dramatização e coreografia de sua comissão de frente”;

– Da mesma forma apresentar croquis preliminares demonstrando como passar uma alegoria com aquele bundão enorme por baixo do viaduto, na hipótese de o sorteio determinar a concentração no lado do balança;

– Como garantia da boa execução dos serviços a serem contratados, e na hipótese de daqui a alguns anos a passarela ficar vazia, a rede de TV se obriga a permanecer gerando imagens sem deixar que as arquibancadas apareçam vazias na imagem, tal como vem acontecendo progressivamente nos estádios de futebol durante o campeonato carioca;

– A única hipótese de os contratantes não honrarem as garantias aqui oferecidas se dará na eventualidade de sobrevir vida inteligente no mundo publicitário, de modo a explorar o espetáculo sem matar a galinha dos ovos de ouro, aplicando-se para esses efeitos o sentido de espetáculo a que se referiu o maestro Bernstein, acima referido;

– Nesta hipótese, e considerando que as verbas publicitárias não mais virão pela imposição de enredos, ficarão automaticamente revogadas as normas aqui estabelecidas, sem prejuízo de outras tentativas a serem perpetradas em outros tipos de manifestações culturais que o povo tenha inventado, mas que tenham menor nível de resistência aos melhores objetivos mercadológicos aqui buscados;

– A comissão receptora reserva-se o direito de reestudar a proposta do Ponto Frio Bonzão para posteriormente decidir se admitirá que a empresa utilize as instalações à direita da pista da Praça da Apoteose para vender ao público os produtos anunciados em mega-promoção durante o desfile;

– Para evitar que os “ensaios técnicos” passem a ser mais interessantes que os desfiles oficiais, fica desde já ajustado que a programação dos referidos ensaios ficará alterada para o horário das 14h às 17h. do horário de verão do mês de janeiro, sempre às 3ªs e 5ªs feiras.

As escolas de samba interessadas deverão submeter previamente seus enredos enviando-os para este site que depois os encaminhará à autoridade competente.
 

Comente: