Luis Carlos Magalhães: ‘O Botequim do CARNAVALESCO será de reunião do povo do samba’

O colunista do site CARNAVALESCO e diretor cultural da Portela, Luis Carlos Magalhães, comentou a criação do Botequim do CARNAVALESCO com felicidade. A segunda edição acontece nesta quinta-feira, dia 10 de setembro, às 19h, na Rua Sacadura Cabral 120, na Zona Portuária do Rio. O homenageado será o intérprete Igor Sorriso, da Vila Isabel. 

Para Luis Carlos Magalhães, o espaço será de reunião do povo do samba, tratando-se de uma ótima iniciativa: – Primeiro, estamos reunindo o povo do samba. Sabemos como é gostosa a época dos ensaios técnicos, porque o povo do samba se encontra sem nenhuma rigidez ou estresse, numa grande brincadeira ainda que tenha o lado sério. Qualquer lugar de encontro do sambista é muito positivo. A tendência do Botequim é essa. A segunda questão é trazer para o centro da cidade a cultura da escola de samba. Quando você traz o Monarco, o Wantuir, as pessoas de todas as escolas, você permite que o pessoal das escolas de samba ocupe seu espaço. Acho que é uma iniciativa ótima, mais um momento de ouvir os sambas. Estou animadíssimo.

Sobre a homenagem a Monarco, Luis Carlos Magalhães afirma que é possível resumir a Portela no nome do compositor, caso haja pouco tempo para falar. Ele elogia a missão de 'contador de histórias da Portela' assumida por Monarco e relata que na montagem de um novo livro sobre a escola, da qual está participando, consulta o presidente de honra para saber mais sobre a história portelense:

– O Ary Vasconcelos dizia que se você tivesse quatro horas para falar sobre a música popular brasileira, você poderia ficar à vontade. Porém, se você tivesse só um minuto, você deveria falar Pixinguinha. Se você tiver quatro horas pra falar da Portela, fale à vontade. Se tiver apenas um minuto, é só falar: Monarco. Hoje ele é o sambista mais importante vivo e não fui eu quem falei isso, foi José Ramos Tinhorão. Monarco está muito lúcido e é muito bom que os sambistas tenham uma vida longa, mas é muito melhor que eles tenham uma vida longa com a informação precisa. Estou participando de um livro sobre a Portela e muitas vezes confirmo as informações com o Monarco. Pra ver a delicadeza dele, eu já vi o Monarco disputando samba e ele não diz que o samba dele foi melhor que o do outro, ele diz: 'fui mais feliz'. Monarco, além de tudo, atribuiu a si uma missão de ser o contador de histórias da Portela. Posso dizer que muito de eu ser portelense, devo a ele. A primeira vez que fui na Portela ouvi ele cantando 'De Paulo da Portela a Paulinho da Viola'. Estão completando 50 anos que o conheço. Além de ser um espetacular compositor e de ser esse ícone para o carnaval e para as escolas de samba, ele tem essa missão de ser o contador de histórias da Portela. É um privilégio para todos nós vivermos na mesma época que ele. Nós reverenciamos os que morreram, mas tenho certeza que daqui a 100 anos as novas gerações falarão do Monarco como uma grande figura do samba, com uma reverência absoluta.

SERVIÇO

BOTEQUIM DO CARNAVALESCO
Local: Bar dos Bohemios
Dia: 10 de setembro (quinta-feira)
Horário: a partir das 19h
Endereço: Rua Sacadura Cabral 120, na Zona Portuária
Ingresso: R$ 20,00 
Mais informações: www.carnavalesco.com.br
Reservas de mesas: redacao@carnavalesco.com.br
Roda de samba-enredo com o grupo Febre do Samba e homenagem para Igor Sorriso e Vila Isabel