Luz no fim do túnel: AESCRJ será recebida na Câmara dos Vereadores

Em reunião realizada na noite desta quarta-feira, a Associação das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (AESCRJ), deu um grande passo rumo à vitória. Depois do último final de semana conturbado, quando teve que retirar todo o carnaval do Carandiru devido a uma ordem de despejo, tudo indica que a solução está próxima. O vereador Carlinhos Mecânico (PSD) abraçou a causa da entidade e relatou aos representantes presentes um primeiro passo, que pode acontecer já nesta quinta-feira (27).

O político, que está ocupando a cadeira do atual deputado federal Stepan Nercessian, informou que já levou a questão a Luiz Antônio Guaraná, chefe de gabinete do prefeito Eduardo Paes. No final da reunião, o vereador conversou com o CARNAVALESCO e explicou como pode ser resolvido o imbróglio:

– Além da amizade e da carência dessas escolas, o papel do político é ajudar o povo. E, nesse caso, as escolas trabalham com as comunidades. Essa minha luta nada mais é que uma obrigação. Não estou aqui para fazer média e nem pedir voto, apenas quero cumprir meu papel de parlamentar. Estou, sim, defendendo as escolas de samba, assim como poderia estar defendendo outras causas. Pela conversa que tive com o Guaraná, há uma palavra que eles (entre o Eduardo Paes e o presidente da RioTur, Antônio Pedro) não entenderam. Então é bom ter os dirigentes das escolas que estão com ordem de despejo lá na reunião, para que eles possam entender como tudo funciona. Não existe ficar sem um lugar para trabalhar. Lá dentro da Câmara já existem outros vereadores que querem levar isso à frente. Temos a certeza de que não será necessário levar para uma audiência pública, eles irão resolver antes disso.

O presidente da AESCRJ, Eduardo José, falou sobre essa possibilidade de acerto junto à prefeitura e tratou de encerrar o assunto sobre o desfile:

– A possibilidade de não termos (o desfile) ano que vem acabou. Conseguimos abrir esse canal, os presidentes estão conscientes e, se for preciso, vamos para uma audiência pública, mas se Deus quiser não vai precisar disso. Sem brigas, sem grandes tumultos. O grande passo é conversar amanhã (quinta) e falar com o prefeito o que realmente a gente precisa, que é um local para guardamos as nossas alegorias e também falar sobre a nossa Cidade do Samba em Deodoro. Infelizmente, o ministro Orlando Silva “caiu”, porém o projeto continua e vamos aguardar a nova pessoa assumir para recomeçar as conversas e torcer para que saia esse nosso sonho do papel.

Comente: qual é sua opinião?