Marcone, ex-mestre de bateria da Imperatriz, é assassinado

Tristeza no mundo do samba. Na noite de domingo, Marcone da Silva Sacramento, de 32 anos, o mestre Marcone, ex-comandante da bateria da Imperatriz Leopoldinense, foi assassinado por homens que estavam em um veículo não identificado. Eles disparam pelo menos dez vezes. O crime aconteceu na Rua Antônio Rêgo, perto do Cacique de Ramos, que estava aberto para um evento. Os bandidos fugiram e a Divisão de Homicídios vai investigar o crime.

Cria da Imperatriz Leopoldinense, Marcone ficou na escola até o pré-carnaval 2012, quando teve uma desavença com o presidente da escola e saiu da agremiação. O corpo de Marcone foi levado para o Instituto Médico Legal. O sambista foi ferido na cabeça, no tronco e nos braços.

Em 2008, mestre Marcone e a bateria da Imperatriz Leopoldinense ganharam o prêmio ESTRELA DO CARNAVAL, como melhor bateria do Grupo Especial do Rio de Janeiro.
 

Comente: