Marcus Ferreira fala sobre escolha do enredo da Estácio para 2012

Depois de estrear como carnavalesco na tradicional Estácio de Sá no Carnaval 2011, o jovem Marcus Ferreira comentou o resultado do desfile sobre as ‘Rosas’, que deu o segundo terceiro lugar consecutivo à escola do morro de São Carlos no Grupo de Acesso A. Apesar da reclamação geral das co-irmãs, Marcus mostrou-se satisfeito quanto ao julgamento dos quesitos inerentes ao seu trabalho e revelou que a Estácio está próxima de fechar enredo para o Carnaval 2012.

– Eu fiquei satisfeito. Perdi apenas um décimo em enredo, que acabou sendo descartado. O negócio agora é ir à busca de um enredo mais forte. Tenho uma opção de enredo autoral, uma homenagem bem bacana a uma pessoa que tem o perfil da escola, mas acredito que não vai vingar. Tivemos uma conversa interessante com um patrocinador e acredito que em três semanas deveremos decidir essa questão. Se o dinheiro oferecido for pouco vamos partir para um enredo autoral  – revelou o artista.

Oriundo da Mocidade de Vicente de Carvalho, onde fez dois bons carnavais em 2009 e 2010, o nome de Marcus Ferreira, quando anunciado pela Estácio, causou certa desconfiança em muitas pessoas no mundo do samba. A principal crítica era a pouca experiência para estar à frente de um carnaval numa escola como a Estácio de Sá. Apesar disso, Marcus garante que foi muito bem recebido por todos os segmentos da Vermelho e Branco.

– É óbvio que, no início, as pessoas desconfiavam do meu trabalho e sentiam receio pelo fato de eu ser jovem, mas fui muito bem recebido na escola e recebi todo apoio da diretoria e dos componentes. Assim que as pessoas do Carnaval viram os protótipos das fantasias e o resultado na Avenida, vieram me parabenizar e mostraram confiar no meu potencial. Hoje, tenho certeza que sou visto como o carnavalesco da Estácio.

Para se ter ideia da juventude de Marcus Ferreira, quando a Estácio foi campeã do Carnaval, em 1992, o carnavalesco, que também é arquiteto e designer gráfico, tinha apenas oito anos de idade. A agremiação do morro de São Carlos esteve pela última vez no Grupo Especial em 2007 e não emplaca dois anos seguidos na elite do Carnaval carioca desde 1997.