Mestre Paulão avisa: ”Tenho certeza que vamos colocar uma pulga atrás da orelha dos jurados”

Entre os muitos estreantes na elite do samba da caçula do Grupo Especial no Carnaval 2012, Renascer de Jacarepaguá, estará o homem responsável por comandar o coração da agremiação da Zona Oeste: mestre Paulão. Na escola desde o pré-carnaval de 2005, Paulão promete manter o bom nível de sua bateria e apresentar aos julgadores da elite do carnaval carioca a ''Bateria Explosiva'', que vem obtendo pontuação máxima nos últimos carnavais

– É a primeira vez da escola no Grupo Especial e teremos uma responsabilidade muito grande. Começamos os ensaios em junho, duas vezes na semana, e depois que o samba for escolhido vamos intensificar ainda mais. Desde que cheguei aqui, em 2004, consegui atender a escola. Formamos uma bateria, o que até então não existia, e agora fica um pouco mais fácil de se trabalhar. Sabemos das dificuldades de ser a primeira escola a desfilar, mas tenho certeza que vamos colocar uma pulga atrás da orelha dos jurados. Se tiverem que tirar algum décimo terão que ter bastante fundamento na justificativa – afirmou o diretor de bateria.

E como a dimensão do Grupo Especial é bem diferente da do Grupo A, Paulão já adiantou que haverá um aumento em seu contingente no próximo carnaval. Nós últimos quatro desfiles, a ''Bateria Explosiva'' desfilou com 250 ritmistas. Já em 2012, o número, a pedido do presidente Antônio Carlos Salomão, subirá para 300. Apesar de lembrar que o contingente pensado por ele e sua diretoria inicialmente era de 280 ritmistas, o diretor de bateria da Renascer não mostra preocupação com o assunto.

– Estou tranquilo. Temos uma escolinha que forma ritmistas todo ano. Fora ritmistas que vem de outras escolas desfilar na Renascer e as pessoas de Jacarepaguá que querem ingressar na nossa bateria.

Outro fator que deixa Paulão ainda mais seguro é a filosofia de trabalho implementada por ele e totalmente assimilada pelos seus comandados. Ele explicou como vê o resultado de sete anos de trabalho.

– Quando cheguei aqui não tinha bateria. Aos poucos fui implantando nossa cadência e o ritmo característico atual. De 2007 pra cá, nós temos a nossa identidade. Hoje, se o cara fechar o olho e ouvir ele vai saber que é a bateria da Renascer de Jacarepaguá. Trabalhamos muito as marcações de terceira e temos uma batida de caixa bem identificável. Nós últimos anos criei também uma ala de xequerê, que produz um som diferente na segunda parte do samba. Não sou muito a favor de bossas longas, mas as nossas são criativas e dinâmicas. Procuro sempre que a minha bateria mantenha o andamento para uma boa evolução da escola.

No Carnaval 2011, a Renascer de Jacarepaguá obteve as cinco notas máximas possíveis em bateria no Grupo de Acesso A.