Meu Carnaval Inesquecível – Neguinho da Beija-Flor

0 Flares 0 Flares ×

A série "Meu Carnaval Inesquecível" viaja desta vez até o ano de 1976, quando uma potência do carnaval carioca surge trazendo consigo uma nova concepção de desfile e revelando uma das maiores vozes da história do samba-enredo: Neguinho da Beija-Flor. Apelidado na época de Neguinho da Vala, o intérprete da Deusa da Passarela ganharia o nome que carrega até hoje e dá vida a um casamento que já dura 35 anos. Neguinho da Beija-Flor estreou como intérprete em 1976 e escolheu 'Sonha com Rei da Leão' como o carnaval que nunca esquecerá.

– Tudo o que eu precisava aconteceu naquele ano. Fui campeão de samba-enredo, vire intérprete da Beija-Flor e fui campeã do Carnaval. É claro que não consegui tudo isso sozinho. Recebi a ajuda preciosa de muita gente, mas, principalmente, de duas pessoas: Laíla e Joãosinho Trinta. Eles me deram essa oportunidade e me ensinaram muita coisa. Se não fosse esse samba talvez minha vida seria bem diferente, foi uma guinada muito importante. Depois ainda venci muitas outras disputas de samba-enredo e vários títulos com a Beija-Flor, mas 1976 é o meu carnaval inesquecível – afirma Neguinho.

O intérprete da Beija-Flor de Nilópolis lembra que a ala das crianças foi o primeiro segmento da agremiação a "abraçar" sua obra e, ao longo da disputa, todos foram aderindo ao histórico samba. Já o apelido de Neguinho da Beija-Flor foi dado logo após a final de samba-enredo daquele carnaval.

– O responsável por mudar o meu nome foi o Anísio. Na época um amigo dele chamado Boca de Bucha disse que Neguinho da Vala era muito estranho e falou para o Anísio colocar Neguinho da Beija-Flor. Ele era um cara muito gente boa, era fiscal de renda e também acreditava muito em mim.

Além de marcar a primeira conquista da até então modesta Beija-Flor, o carnaval de 1976 é lembrado também pela transposição da chamada "barreira das quatro grandes", que existia até então e monopolizava os títulos do carnaval carioca. Em 42 disputas entre as escolas de samba cariocas ocorridas até 1976, em apenas duas oportunidades Mangueira, Portela, Salgueiro e Império Serrano não estavam entre as campeãs. A inclusão de uma "nova grande" no carnaval carioca gerou mais 11 conquistas em 35 carnavais, média um pouco menor que um título a cada três anos.

Baseado no cenário da época, Neguinho da Beija-Flor confessa que não acreditava no título da agremiação de Nilópolis. Ele considera a Beija-Flor responsável para que não houvesse no samba algo parecido com o que ocorre no futebol com Flamengo, Vasco, Fluminense e Botafogo dominando as ações no Rio de Janeiro.

– Honestamente não senti que a Beija-Flor seria a campeã em nenhum momento. Sabia que tínhamos feito um excelente carnaval. Era a estreia do Joãosinho Trinta na escola e a certeza de uma nova era começando, mas se você me perguntasse na época, diria que ninguém iria quebrar a barreira de Mangueira, Salgueiro, Império e Portela. No futebol, América, São Cristóvão e Bangu ficaram pra trás, a Beija-Flor não deixou que acontecesse isso no samba. Depois da Beija-Flor veio Estácio, Imperatriz, Mocidade, Viradouro, Vila Isabel e Unidos da Tijuca, que depois de muito tempo voltou a ser campeã. A Beija-Flor quebrou a barreira das quatro grandes – afirmou Neguinho.

Ele lembra também um caso curioso do desfile que inaugurou a repleta sala de troféus da Deusa da Passarela. Neguinho contou que foi a primeira vez que viu um travesti parar a Avenida.

– Naquele ano tinha um travesti chamado Eloína, que impressionou a todos com a sua beleza. Nunca tinha visto aquilo, parou a Avenida. Além de outras belas mulheres que a Beija-Flor trazia, a Pinah, a Maria Alcina. Nós éramos realmente algo novo na Marquês de Sapucaí, em todos os sentidos.

Antes do título com 'Sonhar com Rei dá Leão', a melhor colocação da Beija-Flor na elite do carnaval carioca havia sido um sexto lugar em 1955. Depois disso, a escola acabou rebaixada para o segundo e terceiro grupos só voltando ao extinto Grupo 1 em 1974. Desde então, não caiu mais, e conquistou 12 títulos, além de 11 vice-campeonatos.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×