Meu Carnaval Inesquecível: Ronaldinho guarda o ‘Tambor’ no coração

Figura reconhecida por sua capacidade no mundo do samba, o mestre-sala Ronaldinho, atualmente na União da Ilha do Governador, elegeu o desfile do Acadêmicos do Salgueiro de 2009 como o seu Carnaval Inesquecível. Com mais de 20 anos de carreira, 12 deles dedicados à Academia do Samba, Ronaldinho relembrou para o CARNAVALESCO o desfile que deu o último título da história da escola de seu coração.

O mestre-sala também citou os carnavais de 1988 e 1995 como especiais, mas revela a razão de ter escolhido o ano em que a Vermelho e Branco teve o tambor como tema do enredo.

– Era a única coisa que faltava na minha carreira. Não digo nem por ter me dado notoriedade, não tenho essa vaidade, mas sim pela representatividade de ser campeão do Grupo Especial. É algo que todos aqueles que trabalham no carnaval almejam. Ainda mais se for na escola do coração.

O título do Salgueiro em 2009, encerrou um jejum que a agremiação tijucana já enfrentava desde 1993, ano do esfuziante ‘Explode Coração’. Ronaldinho mostra conhecimento de causa ao falar do que a conquista representou para a escola.

– A escola passou por um momento conturbado em 2005 e 2006, mas em 2007 conseguiu se reestruturar. Fizemos um grande carnaval com Candaces e fomos vice-campeões em 2008. Foi a preparação para o título. O Salgueiro entrou na Avenida com muita raça e vontade de ganhar. Logo no início, as pessoas se impressionaram com o abre-alas, que era maravilhoso, e começaram a gritar campeã. Isso nos deu uma força muito grande. Foi inesquecível!

Responsável, juntamente com a porta-bandeira Gleice Simpatia pela disputa de quarenta pontos naquele desfile, Ronaldinho lembrou um fato curioso da preparação para aquele desfile.

– Como o enredo falava sobre o tambor, o Renato Lage conversou conosco sobre uma ideia de eu vir com um tamborim e, em determinado momento da dança, fazer uma reverência com o instrumento. Havia um receio da direção de carnaval de dar algo de errado no momento em que eu fosse fazer isso, talves deixar cair o tamborim, mas ensaiamos bastante e no final deu tudo certo – lembrou Ronaldinho que, ao lado de Gleice, em 2009, recebeu três notas 10 e um 9,9.

Entre idas e vindas, Ronaldinho defendeu o pavilhão do Salgueiro como primeiro mestre-sala em 12 ocasiões, dividas em três passagens distintas: estreou em 1988, voltou em 1991 e ficou de 2001 até 2010.

Veja o desfile de 2009 do Salgueiro: