MEU SONHO É… soltar o grito de campeão pela Grande Rio

O que poderia ser mais sonhado por um carnavalesco do que o título de campeão do carnaval carioca. Muitos passaram e muitos ainda vão passar pela Avenida sem deixar seu nome escrito na galeria dos campeões. Alguns mereciam ter vencido, mas por diversos motivos se eternizaram, exatamente, por não terem conseguido tal feito. Outros tiveram que perder várias vezes até conseguirem chegar ao momento máximo de suas carreiras e, finalmente, poder soltar o grito de campeão, após o locutor anunciar a derradeira nota na apuração da quarta de cinzas. É justamente o título que o carnavalesco da Grande Rio, Cahê Rodrigues tem como o seu grande sonho ainda não realizado.

Com passagens por escolas como Caprichosos de Pilares, onde desenvolveu o enredo que homenageou a "Rainha dos Baixinhos", Xuxa, e o projetou como um grande nome no Grupo Especial, Porto da Pedra e Portela que sob o seu comando conseguiu um terceiro lugar, voltando a desfilar entre as campeãs do carnaval depois de dez anos de fora, o personagem da quarta reportagem da série "Meu Sonho É", do SRZD-Carnavalesco tem como maior desejo ser campeão pela primeira vez e na escola de Caxias.

– Sou um eterno sonhador. Já sonhei com muitas coisas que gostaria de fazer no sambódromo, mas no momento acho que meu maior sonho seria ser campeão pela Grande Rio, pois seria uma dupla vitória. Seria a minha vitória como artista e a vitória da escola que seria campeã pela primeira vez. Estamos correndo muito atrás disso, estamos trabalhando pesado para conseguir materializar esse sonho.

Contratado pela tricolor caxiense após o carnaval de 2008 com a missão de reformular a maneira da Grande Rio fazer carnaval, Cahê encarou o desafio com a certeza de que estava montando uma parceria para brigar pelo campeonato. Na década de 2000, a escola se tornou das potências dos desfiles do carnaval carioca, sendo três vezes terceira colocada e três vezes vice campeã, sendo uma delas no último carnaval, já sob o comando do carnavalesco sonhador.

Vivendo um excelente momento dentro da agremiação, onde afirma se relacionar bem com todos os seus segmentos, Cahê se emociona ao vislumbrar a emoção de toda comunidade caxiense com a conquista do tão almejado campeonato, que insiste em bater na trave ano após ano.

– É um sonho poder compartilhar com toda a comunidade de Duque de Caxias, com os presidentes de ala, com a diretoria e com todos os segmentos a vitória da escola. Todos sabem que a Grande Rio vem lutando por esse título a muito tempo. Ser campeão com a "tricolor" seria um grande sonho realizado. Ver o sorriso estampado no rosto dos torcedores, as lágrimas de emoção caindo e ouvir os gritos de campeã é uma coisa que não tem preço. Quero muito viver esse sonho com a Grande Rio.

Ser campeão é um sonho que muitos podem considerar extremamente normal, pois qual apaixonado por carnaval que não pense nisso cada manhã que acorde, mas para Cahê Rodrigues não seria apenas uma conquista pessoal, seria a concretização de um projeto iniciado quando a Grande Rio acendeu ao Grupo Especial em 1990 e reforçado quando o carnavalesco se transferiu para Caxias a pouco mais de dois anos. Seria primeira conquista do profissional aliada a primeira conquista da escola, coisa poucas vezes vista no carnaval.