Mirando a Sapucaí, Boi da Ilha do Governador mostra o apocalipse e a salvação do planeta

Iniciando sua história como bloco carnavalesco em 1965, o G.R.E.S. Boi da Ilha do Governador passou a ser uma escola de samba em 1988. Durante esses 23 anos, dois títulos conquistados (ambos na quarta divisão do carnaval) e três passagens pelo Grupo A, onde chegou a vencer o prêmio Estandarte de Ouro de melhor samba-enredo, em 2001. Nos últimos anos, a escola tem oscilado entre os Grupos C e B, mas a agremiação quer voltar logo à Sapucaí no ano que vem e, para concorrer ao título, apresentará um enredo a fim de alertar o público.

O enredo do Boi da Ilha em 2012 é "Fim – Recomeço divino. Até quando?" e o carnavalesco da escola, Guilherme Alexandre, explicou como será a apresentação na Passarela Popular do Samba. "Vamos falar sobre os diferentes 'fins do mundo' ao longo da história, desde o período bíblico, como nas eras de Adão e Eva, Abraão e Moisés, até chegarmos aos dias atuais, onde, neste ano, vivemos a era do apocalipse com toda essa história de fim do mundo em 2012, e passamos para a era da esperança, que se encontra no futuro. Queremos causar um impacto nos espectadores e provocar a conscientização de todos sobre a forma como cuidamos do nosso planeta", disse em entrevista ao CARNAVALESCO.

A 12ª escola a desfilar no domingo de carnaval levará 900 componentes, duas alegorias e três quadripés para a Intendente Magalhães. As fantasias estão na reta final de confecção e os carros alegóricos, que tiveram um pequeno atraso na preparação, devem ficar prontos na véspera do desfile. Segundo Guilherme, a comunidade está confiante em um grande desfile. "Acredito que o nosso samba é um dos melhores do Grupo C neste ano e os componentes abraçaram a escola. Vamos fazer uma bela apresentação pra colocar o Boi de volta à Sapucaí no ano que vem", afirmou.

Conheça a letra do samba-enredo

Autores: Djalma Falcão, Gugu das Candongas, Maurício Miranda e Marcelo

Intérprete: Marquinhus do Banjo

O céu iluminou!
A escuridão onde o “nada existia”
Foi um esplendor…
O brilho da noite, o clarão do dia.
Os anjos em harmonia
Cantarolavam lindas melodias
Deus nosso senhor, em nome do amor
A vida criou!

O paraíso, jardim sagrado
O homem vivendo em pecado
A tentação rolou, até sobrou pra mim
A história recomeça pelo fim

Vai a arca de Noé…
O divino anunciou
Cai a Torre de Babel, tudo mudou…
O povo vai se espalhar
Ninguém vai mais se entender
Em cada tribo um lugar pra viver
O patriarca em sua missão
Vejam só: Quem diria…
O mar se abre ao som da nossa bateria
O filho de José, falou de amor e paz
Sinal dos tempos, sem pecados capitais

Vivemos num mundo de rara beleza!
Vou respeitar a mãe natureza!
A esperança é nossa bandeira
Canta Nação Boiadeira!

Comente: