Mordida após 7º lugar, Vai-Vai canta os 50 anos de Paulínia

 

 

A maior campeã do Carnaval de São Paulo aposta em uma cidade do interior paulista para levantar o troféu de campeã pela décima quinta vez. Conhecida por todos como “A escola do povo”, o Vai-Vai tenta levantar do baque do ano passado, quando com um sétimo lugar, não voltou no desfile das campeãs. A escola comemora os cinquenta anos de Paulínia com o enredo “Nas chamas da Vai-Vai, 50 anos de Paulínia” O enredo, desenvolvido pelo carnavalesco Chico Spinosa, vai fazer uma viagem pela história do Brasil até chegar à fundação de Paulínia.

O começo do desenvolvimento do enredo se dá na abolição da escravatura, no fim do Século XIX e na mudança nos negócios com os estrangeiros. Antes negociava-se escravos e depois passou-se a negociar a presença de imigrantes remunerados para acelerar o crescimento do país. Os barões do café e as ferrovias que cortavam os estados e o país, serão lembrados pela escola alvinegra.

A formação do vilarejo que deu inicio ao que hoje é Paulínia será explorada. A chegada dos imigrantes italianos e o investimento no plantio da cana-de-açúcar que impulsionaram o lugar fazendo-o virar município em 1964. Pouco tempo depois, o país sofre com a ditadura, mas Paulínia recebe um Pólo Petroquímico, o maior da América Latina. O crescimento econômico e cultural da cidade serão citados nesse trecho.

A partir daí, entra-se na Paulínia atual. Com muita música, teatro, dança, festivais, tecnologia e esportes. A bocha, por exemplo, será retratada como um dos esportes mais populares da cidade. Porém, na Paulínia atual, nada é tão marcante como o Polo de Cinema da cidade. Tendo abrigado vários filmes do circuito brasileiro, a cidade ainda recebe o Festival de Paulínia, uma premiação conceituada a cada ano que passa no cenário cinematográfico brasileiro.

No fim, uma Paulínia sustentável e pensando no futuro será retratada. Seus projetos e sua tentativa de valorizar a cultura para seu habitante serão citados. A escola do Bixiga, bairro da Zona Central de São Paulo, aposta em Márcio Alexandre como voz principal, uma prata da casa depois de ter Wander Pires por três anos como intérprete oficial. O Vai-Vai será a sexta escola a desfilar, na sexta-feira de carnaval.

Autores do samba: Vagner Almeida, Mineiro, Loirinho, Marcinho Zona Sul, Edinho Gomes
Intérprete oficial: Márcio Alexandre

Sou preto e branco, meu manto tem tradição
Vem… A festa vai começar
Vai-Vai é a chama do samba
Que jamais se apagará

Resplandeceu…
Um novo dia com a quebra das correntes
Finda a exploração da cor
O negro cantou feliz
Mais uma bandeira se erguia
Na proclamação, democracia

Nos trilhos o progresso desse chão
Brotou na força da imigração
E assim nasceu no berço dessa pátria mãe gentil
Uma cidade de encantos mil
O povo pôde festejar… Festejar!
Gigante polo industrial
Ao meu Brasil é fundamental
Na união, a miscigenação

Um brilho de luz clareia…
Reluz nessa “feliz-cidade”
O esporte é vida, saúde e paixão
É emoção…

Em cena a essência da arte
“Liberdade” na imaginação
Desperta o amor à cultura
Embala os sonhos de um novo amanhã
Na tela um filme revela quem está em cartaz
É a magia do cinema nacional
Paulínia… É ela!
A estrela do meu carnaval

Comente: