No dia do aniversário, Salgueiro lamenta vice-campeonato

 

 

Tal qual ocorreu no Carnaval 2003, quando no dia da apuração o Salgueiro completava 50 anos e amargou um 7º lugar, agora em 2014 novamente a vermelho e branco da Tijuca recebeu um presente de grego no dia de seu aniversário de 61 anos, o vice-campeonato. A quadra da escola na rua Silva Teles estava lotada e muita gente confiava que o título iria para lá, já que a escola era apontada como uma das favoritas.

A expectativa de ser a campeã aumentou quando a escola tirou quatro notas 10 do primeiro quesito que teve as notas lidas, enredo. Depois a escola perdeu um décimo no quesito Fantasias. As notas de Alegorias e Adereços foram as piores do Salgueiro na Apuração, nenhum 10. Na reta final, a agremiação chegou a retomar a ponta, mas a partir das notas de Conjunto, viu a Unidos da Tijuca tomar a ponta e não mais perder.

Revolta com notas de Alegorias

A presidente Regina Celi, acompanhada do diretor de carnaval Dudu Azevedo, chegou à quadra ainda cheia depois da apuração e puxou o grito de "Campeã". – Estamos feridos, mas não mortos. Vamos mostrar no sábado que merecíamos esse título. Muito obrigado a minha comunidade – disse Regina. Dudu Azevedo corroborou as palavras da presidente e anunciou um novo espetáculo salgueirense no Sábado das Campeãs. – Não somos hipócritas de dizer que estamos felizes, queríamos ganhar e fizemos por onde. E vamos provar isso no sábado na Sapucaí – disse.

O coreógrafo Carlinhos Salgueiro se disse revoltado com o resultado, principalmente com as notas de Alegorias e Adereços. – Como podem não dar nenhum 10 pra gente e a Vila Isabel tirar uma nota máxima? Não dá pra achar isso justo – reclamou. Um dos compositores do samba, que tirou um 9,9 que foi descartado, Rodrigo Raposo, questionou os jurados. – Pra mim não houve critério, porque teve escola que desfilou com alegoria e fantasia incompletas – alfinetou.

Como foi a apuração na quadra

A quadra estava lotada, aguardando o início da apuração e o clima de confiança era total. Já no primeiro quesito, Enredo, o Salgueiro pulou na frente sendo acompanhado por União da Ilha, Imperatriz e Unidos da Tijuca. Ao perder alguns décimos em fantasias e Alegorias e Adereços, o Salgueiro caiu para o quarto lugar.

Nesse momento, os torcedores salgueirenses começaram a dar sinais de desânimo na quadra da escola. Mas tudo mudou no quesito Samba-Enredo, quando o Salgueiro tirou somente notas dez, enquanto Unidos da Tijuca (perdendo 0,5), União da Ilha (perdendo 0,4) e Imperatriz (perdendo 0,3) foram penalizadas. A partir daí, a vermelho e branco da Tijuca assumiu a liderança e a quadra virou um caldeirão, com os primeiros gritos de "É campeã”, além de provocações a Unidos da Tijuca com a música "Não adianta acelerar, que o Salgueiro vai te pagar". Porém, em mais uma reviravolta, no oitavo quesito – Conjunto – o Salgueiro perdeu dois décimos e foi alcançado pela Unidos da Tijuca. A euforia virou desespero, pois faltava a leitura das notas de apenas dois quesitos. Pois nesses dois últimos quesitos, Salgueiro e Tijuca não foram penalizadas e o título ficou mesmo com a escola do Borel. No resultado final a Unidos da Tijuca terminou com 299,4 e o Salgueiro com 299,3.

Os salgueirenses presentes na quadra tiveram uma reação muito bonita e emocionante ao fim da apuração. Todos eles bateram palmas e cantaram a plenos pulmões o samba-enredo de 2014. Pode não ter sido o presente de aniversário sonhado pela torcida salgueirense, mas o honroso segundo lugar obtido pela escola na tarde de hoje, reflete o belo desfile que apresentado no último domingo e as palmas da comunidade dão ainda mais reconhecimento ao bom trabalho realizado nesse ano.

Comente: