Nova diretoria da Lesga toma posse e promete mudanças

 

 

Na noite desta terça-feira foi aclamada em assembleia realizada na sede da Lesga, Centro do Rio, a nova diretoria da entidade. Depois da renúncia do presidente Reginaldo Gomes e toda sua diretoria executiva, Déo Pessoa, presidente da Rocinha, foi aclamado novo comandante da entidade que regulamentava os Grupos de Acesso. A principal missão de Déo será, justamente, recuperar o prestígio da Lesga, em frangalhos após dois anos de resultados bastante contestados por toda a opinião pública.

 

A recuperação do prestígio passa, inicialmente, pela negociação com a Prefeitura, de forma que o órgão possa reconhecer novamente a Lesga como organizadora dos Grupos de Acesso A e B. Posteriormente, a meta será fazer com que o mundo do samba dê credibilidade à entidade. Para que isso aconteça, Déo não descarta uma mudança no nome e no logotipo.

 

– É importante que as pessoas entendam que não estamos trocando seis por meia dúzia. A nossa proposta é fazer com todas as escolas do Grupo A e do Grupo B possam ter os mesmos direitos. Até entendo a desconfiança de todos. Afinal de contas, eu estava aqui na administração passada. Vamos reformular o estatuto. A partir dessa reformulação todas as escolas poderão votar, fato que não acontecia anteriormente. Já consultamos juridicamente o que podemos fazer quanto a mudança no nome e no logotipo da entidade e é possível que se faça isso – disse ele, que teve o nome aprovado por unanimidade entre os presidentes e reafirmou a vontade de deixar a escolha dos julgadores a cargo da Prefeitura.

 

Entre as escolas do Grupo A, Cubango, Porto da Pedra, Renascer de Jacarepaguá e Santa Cruz não estiveram presentes, mas Déo revelou que conversas com essas agremiações já foram iniciadas. Além de Déo Pessoa, Renato Thor, presidente do Paraíso do Tuiuti será o vice-presidente, Leziário Nascimento, presidente da Estácio de Sá, será vice de finanças e o Luis Felipe Leal será o secretário. Vale lembrar que todos os cargos da diretoria não foram anunciados, já que o estatuto atual não permite que membros que não sejam de escolas fundadoras ocupem tais cargos.

 

– Após a reformulação no estatuto, que será sugerida e votada por todas as escolas, vamos escolher os outros nomes necessários, mas adianto que convidarei o Pelé, presidente da Cubango, o Átila, do Império Serrano, o Gusttavo, da Viradouro(conforme o site CARNAVALESCO já havia adiantado) e o Tê, da Império da Tijuca. Vamos ter também um representante diretamente ligado ao Grupo B. Não que eu não vá dar atenção, mas é por que quero dar a mesma atenção às escolas desse grupo. Quero fazer um trabalho de reestruturação na comunicação da entidade e implementar uma diretoria cultural também – explicou Déo.

 

Durante a assembleia, a imprensa pôde participar e até mesmo opinar durante a posse da nova diretoria. Vale lembrar também que nenhum membro da antiga diretoria esteve presente e uma carta de renúncia não foi entregue de maneira oficial pelo ex-presidente Reginaldo Gomes. De acordo com o Dr. José Carlos, advogado presente no encontro, somente a não objeção de nenhum membro presente na assembleia à posse da nova diretoria já é, juridicamente falando, legal. Déo Pessoa deixou claro que irá renunciar à presidência da Rocinha e, só já não renunciou, em razão do estatuto ainda vigente, que obriga o presidente da entidade a estar presidindo uma das escolas fundadoras da Lesga.

 

O novo vice-presidente, Renato Thor, fez questão de ressaltar a mudança efetiva que a diretoria tem vontade de fazer.

 

– Todos nós aqui somos trabalhadores do mundo do samba, já batalhamos bastante, ninguém aqui caiu de para-quedas. Não queremos administrar em prol de interesses pessoais, mas uma entidade que lute por melhores condições e dê igualdade de reivindicação para todas as escolas.

 

– É claro que vão dizer que a Rocinha será beneficiada. Não escondo de ninguém. Eu amo a Rocinha. Nasci lá e a escola faz parte da minha vida. Já limpei até chão e banheiro na quadra, mas tenho caráter e sou um cara transparente. Olho no olho de quem for e garanto que a minha administração terá lisura, uma palavra que se usa muito quando fala-se da Lesga, e muita seriedade. Fui criado pelos meus pais dessa forma e me tornei um homem muito verdadeiro em casa e no trabalho – afirma Déo.

 

Outra novidade adiantada pelo dirigente é a vontade de implementar um sistema online com todas as informações de crédito das agremiações filiadas. Com um login e uma senha, os dirigentes poderiam ver todas as informações do dinheiro que entraria na entidade e seria repassado para as agremiações. Desta forma, as escolas poderiam programar seus gastos e consultar a quantidade de crédito existente em suas linhas.

 

A assembleia que deverá definir as novas cláusulas do estatuto tem a previsão de acontecer daqui a 15 dias. Depois de todos os trâmites legalizados, Déo Pessoa procurará a Prefeitura para definir a situação da entidade. O site CARNAVALESCO apurou que já existe nos bastidores do órgão uma receptividade positiva quanto ao nome de Déo Pessoa.  

Comente: