O cenário é perfeito!

Ao que parece a safra de 2011 pode marcar uma redenção dos sambas de enredo. Está muito cedo, é verdade, mas o Salgueiro seguiu o caminho da Mangueira e rompeu com o estilo que vinha apresentando nos últimos anos.

Não foi uma decisão tão polêmica porque Dudu Botelho e seus parceiros contavam com grande torcida dentro da escola. Mas o que
importa é que este samba, indiscutivelmente o melhor da safra salgueirense, tem caminhos melódicos e poéticos bem diferentes do que se chama no mundo do samba de "cara do Salgueiro". A melodia é mais complexa e a letra melhor trabalhada, com muita emoção e sem as apelações de praxe. Não me lembro a última vez que o Salgueiro foi para a avenida, por exemplo, com um refrão que não cita o nome da escola. Isso, por mais simples que pareça, já é uma ousadia.

A atitude da presidente Regina Celi de revelar os votos de todos os segmentos foi interessante para que todos tivessem a verdadeira dimensão do que foi a vitória. Não houve unanimidade, mas um apoio maciço da maior parte dos segmentos. Figuras importantes como Renato Lage, Quinho e a harmonia da escola foram contrariadas, mas isso faz parte do jogo democrático.

Espero que o Salgueiro tenha enfim se libertado do estigma de procurar um "Explode Coração" a cada ano. Agora é torcer para que tudo
dê certo na avenida. O cenário, por enquanto, está perfeito.