O dia que uma Comissão de Frente transformou o Sambódromo no Maracanã

 

 

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2010. A Unidos da Tijuca começa a se preparar para entrar na Marquês de Sapucaí com o enredo "É Segredo", marcando a volta de Paulo Barros à escola. Um frisson alucinante toma conta do Setor 1. Bailarinas trocam de roupa em questão de segundos, em um truque simples de ilusionismo. – Ali eu senti que a gente estava fazendo história, contou a coreógrafa Priscilla Mota ao CARNAVALESCO

O momento que ficou para sempre marcado na história do carnaval foi eleito por 38,5% dos internautas do CARNAVALESCO como a maior comissão de frente da história do Sambódromo. No domingo, dia 13 de abril, a dupla de coreógrafos será homenageada durante a premiação do Estrela do Carnaval 2014, que acontece na quadra do Salgueiro, a partir das 13h. Você também pode ir na feijoada do Estrela do Carnaval 2014. Pelo terceiro ano, a festa vai reverenciar sambistas da Série A e do Grupo Especial, além de prestar uma homenagem especial àqueles que mais se destacaram ao longo dos 30 anos de existência do Sambódromo carioca. Para a melhor escola de São Paulo, o site  CARNAVALESCO vai premiar a Mocidade Alegre. O prêmio também terá uma categoria especial. Chamada de Bem Vindo ao Estrela do Carnaval, a categoria em 2014 vai homenagear a Unidos de Bangu, que venceu o Grupo B, na Intendente Magalhães, e ano que vem desfilará no Sambódromo. A camisa-convite já está à venda na quadra e no Centro Cultural Djalma Sabiá, e custa R$ 35 antecipada. Vale lembrar que não há reserva e tampouco cobrança de mesa na quadra. A ocupação é por ordem de chegada ao evento.

O momento histórico da comissão de frente da Unidos da Tijuca em 2010 esteve perto de sequer acontecer, como conta Priscilla. – A gente tinha uma outra ideia para apresentar ao Paulo e ao Ricardo Fernandes. Uma espécie de truques tecnológicos com físicos, confidenciou. – Mas acabou não dando certo, ainda bem, brinca Priscilla, que comandou aquela comissão junto com Rodrigo Negri.

A coreógrafa contou à reportagem que o mais difícil na execução daquele momento histórico foi confeccionar o figurino. – Eram 30 bailarinas, cada uma com um biotipo, uma forma de tirar o vestido. As chances de dar errado eram muito grandes. A dedicação de todos foi primordial para o sucesso daquela comissão, contou.

E foi um sucesso estrondoso. A cada apresentação nos módulos de julgamento o Sambódromo se transformava no Maracanã, com a vibração de um gol de título. – Foi impressionante. Eram pessoas gritando, chorando. O Ricardo tentava acalmar os demais diretores pelo rádio, porque ninguém sabia o que iria acontecer, relembra a coreógrafa.

O sucesso daquela apresentação fez a Unidos da Tijuca iniciar sua escalada de conquistas que ainda teve os carnavais de 2012 e 2014. Hoje a comissão de frente comandada por Priscilla Mota e Rodrigo Negri é um dos momentos mais aguardados do carnaval. – Eu nunca senti uma emoção como aquela em toda a minha vida. E acho difícil que volte a sentir.

Comente: