Obras começam em agosto vão custar R$ 5 milhões

Casa nova para os sambistas. A reforma do Sambódromo pela prefeitura custará R$ 5 milhões. O valor não leva em conta os R$ 30 milhões gastos na demolição e construção de quatro novos módulos de arquibancadas no antigo Setor 2, custeado pela cervejaria Ambev. A Riourbe fará uma licitação no dia 30 para iniciar as obras de recuperação das nove arquibancadas que permaneceram em pé, após a demolição da antiga fábrica da Brahma. Os setores 1, 3, 4, 5, 6, 9, 11 e 13 vão ganhar uma remodelação com a troca das instalações elétricas e hidráulicas. Também foram incluídos na reforma, a Praça da Apoteose e a estrutura do museu do carnaval.  A pista do Sambódromo receberá ainda uma nova pintura antiderrapante. A prefeitura informou que as obras começam em agosto e deve durar seis meses, prazo apertado e que coincide com o início dos ensaios técnicos.

– A gente está fazendo um lado todo novo e não podia deixar o lado antigo do jeito que estava. Mas tudo terá que estar pronto até os ensaios, podendo ter uma aresta ou outra nessa época. Mas o cronograma está sendo feito para não atrapalhar os ensaios – disse o secretário municipal de Turismo e presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira de Mello.