Parceria de Junior Escafura é a campeã na Estácio de Sá

 

A Estácio de Sá definiu na manhã deste sábado a obra que cantará na Marquês de Sapucaí no desfile de 2013 o enredo "Rildo Hora: a ópera de um menino … no toque do realejo rege seu destino!", do carnavalesco Jack Vasconcelos. Os autores Igor Ferreira, Claudinho MS, J.L. Escafura, Junior Escafura, Tinga, Adriano Ganso, Tião P. Fadico e Bira da Globo assinam a obra vencedora. O compositor Junior Escafura, que realizou seu sonho de criança ao se tornar campeão na Estácio, conversou com o CARNAVALESCO.


* Veja aqui a galeria de fotos da final da Estácio


– A emoção de ganhar o samba é totalmente diferente do que ganhar na Portela. Todo sambista e compositor de verdade tem o sonho de ganhar na Estácio de Sá. Aqui é o Berço do Samba, primeira escola de samba do mundo. Fizemos o samba em apenas um mês. Nos reunimos umas cinco vezes para escrever e melodiar a letra simultaneamente. Ao todo gastamos em torno de 25 mil reais durante toda a disputa de samba-enredo. Minha parte predileta é a que diz "Maestro… venha reger o meu tesouro, faz reluzir na Avenida, a minha orquestra Medalha de Ouro" – explicou Junior Escafura.


* Clique aqui e ouça o samba da Estácio para 2013

 
Antes da disputa, o presidente Leziário Nascimemento adiantou que não haveria junção de sambas. Discreto, preferiu não divulgar o valor que a Estácio de Sá pretende investir no carnaval e se limitou a dizer que os trabalhos de ensaio técnico de quadra seriam iniciados já na próxima segunda-feira. Já o diretor de carnaval, Marcão, afirmou que a escola possuia quatro sambas com plenas condições de representar a agremiação no desfile. – São belas letras com riquezas melódicas e que se encaixam com o andamento de nossa bateria – opinou Marcão.
 
Para o carnavalesco Jack Vasconcelos, o que importava era que os compositores seguissem a ordem cronológrica dos fatos, exatamente como acontece na sinopse que será fiel ao desfile, de acordo com ele.

– Estamos falando de um artista que toca as pessoas. O samba precisa fazer esse mesmo efeito. Não adianta a escola estar linda plasticamente se o samba não funcionar. É necessário que aconteça um equilíbrio. Nosso barracão está dentro do nosso cronograma previsto. A equipe é pequena, mas o nosso planejamentro será seguido a risca. O carnaval acontecendo no início de fevereiro tem o apelido de carnaval de caixa baixa, o que é mais um motivo para trabalharmos com planejamento – finalizou.
 
Grande homenageado do enredo, Hildo Hora chegou cedo na quadra e acompanhou toda a disputa. No momento de anunciar o samba vencedor ele fez questão de acompanhar do palco, juntamente com a diretoria da escola. Em entrevista ao CARNAVALESCO, Rildo disse algumas palavras que sentia pela emoção se ser homenageado por uma escola de samba.
 
– Acredito que a homenagem esteja acontecendo como forma de dedicação aos valores que passei para sociedade através da minha carreira, porém, acho que existem outras pessoas que mereciam ser homenageadas antes de mim. Eu fui amigo de Ismael Silva e em fevereiro estarei aqui sendo homenageado pela escola dele. Jamais imaginaria isso antes.
 
Confira como foram as apresentações de cada samba
 
Samba 19 – Igor Ferreira, Claudinho MS, JL Escafura, Tinga, Adriano Ganso e Tião Fadico – A parceria campeã foi a primeira a se apresentar na noite e já na primeira passada do samba mostrou a que veio. Embalada pelo intérprete por Thiago Brito, a torcida sacudiu a quadra e preencheu toda a sua extensão, inclusive, os camarotes, com bandeirolas. Do palco, o intéprete Leandro Santos acompanhou todas as apresentações. Um boneco de Olinda com o rosto de Hildo ocupava a torcida, que acabou deixando a animação diminuir nos últimos minutos do extenso período de apresentação que durava ao todo 30 minutos.

Samba 14 – Pepê Niterói, Rodolfinho, Gustavinho Oliveira, Leo Paysa, Aciolle e Rafael Tubino – Confirmou que a briga da noite seria grande. Torcida utilizava adereços de guarda-chuvas enfeitados, adereços que foram liberados apenas na escolha do samba pela presidência. No seu refrão dizia "Aplausos ao maestro Rildo Hora" e a torcida obedecia. Apesar de ser a menor torcida da noite, segurou bem o samba durante a passada dedicada exclusivamente para torcida.

Samba 09 – Carlinhos Bohemia, Emanuel Sorriso, Mozart Alzair, Jorge Xavier, Edson Marinho e Methanol – Mais um samba favorito na noite. Pareceu dividir o público com o primeiro samba apresentado. Torcida enfeitava a quadra com grandes bandeiras. Apesar de possuir uma melodia bem pra cima, o canto da torcida foi bastante regular. Oscilando em forte e mudo. Seguimentos foram vistos cantando partes do samba, harmonia também.
 
Samba 03 – Jorge Lopa, China do Badalo, PC, Jeferson Alves, Vinicius Mozer, J.L. Lopa, Jaque Lopa e Bebeto – Apresentação mais emocionante da noite. O palco pedia garra e a torcida correspondia. Era notório observar que foi o samba escolhido pela bateria, que cantava seus versos de ponta a ponta e muito entusiasmada. A rainha Luana Bandeira, inclusive, participou da torcida. Fogos no início de sua apresentação puderam ser ouvidos de dentro da quadra. Balões de gás, chuva de bolas do teto, fogos pirotécnicos no palco e chuva de prata, encerrou a noite de decisão com louvor.

Intérprete
 
O intérprete Leandro Santos explicou como funciona o seu trabalho a partir da escolha do samba campeão: – Procuro estudar o samba, e dentro da obra coloco a garra que nosso Leão merece. Acredito que o samba colocado no tom certo e em sintonia faz com que os componentes da nossa escola também fiquem a vontade, ajudando assim a harmonia do nosso canto nos ensaios e avenida. Essa fórmula tem dado certo e pretendo continuar. Sobre o som do Sambódromo em 2012, ele declarou: – Gostei muito. No começo estranhei, por estar acostumado com o eco que dava antes devido ao paredão, mas ficou muito boa a obra, e a alteração que deixou toda a Sapucaí igual em relação a sonoridade.

Bateria

Mais um ano no comando da bateria, mestre Chuvisco ainda não criou as bossas para o futuro samba da escola. Ele e sua diretoria pensam em levar duas convenções bem firmes para o desfile e deixar o resto do show para o ritmo.

– Depois da escolha do samba pensamos em trabalhar mais tecnicamente para obtermos a pontuação máxima necessária para a escola. O ritmo ficará entre 148 a 149 BPM (batidas por minuto), nem menos, nem mais que isso. A escolha de um samba bom é 60% de garantia para um desfile excelente para a bateria e o restante da escola, pois ajuda na harmonia e no canto.

De acordo com o diretor de marketing, Edvaldo Barbosa, a quadra recebeu 4000 pessoas em média de público. A Estácio de Sá será a 2º escola a ensaiar na Marquês de Sapucaí no dia 9 de dezembro e 6º a desfilar na sexta-feira de carnaval pelo Grupo de Acesso, Série A, da LIERJ.

 

Comente: