Parceria de Me Leva vence disputa de samba na Imperatriz

A parceria de Me Leva, Gil Branco, Tião Pinheiro, Drummond e Maninho do Ponto conquistou a sua terceira vitória nos últimos cinco anos de disputa na Imperatriz. Depois de uma noite de boas apresentações, o samba, que foi o segundo a se apresentar na noite de ontem, conseguiu vencer mais uma disputa acirrada e agora tem o hino que contará o enredo: "Pará – O Muiraquitã do Brasil".


* Ouça o samba da Imperatriz para o Carnaval 2013

Depois da vitória, com os olhos marejados, o compositor Me Leva falou sobre o sentimento de sair vitorioso dessa disputa: – Não tenho como comparar as vitórias, o importante para mim é que ganhando ou perdendo eu sou Imperatriz. Sei ganhar e sei perder, mas ganhar sempre é melhor (risos). A derrota no último ano serviu de lição para a gente. Ano passodo fizemos um samba muito quadrado dentro do enredo e não tinha emoção, esse ano levamos para o lado
da emoção – disse.


* Veja galeria de fotos da final

O diretor de harmonia da agremiação, Guilherme Nóbrega, já começa a fazer planos para os ensaios da comunidade na escola: – Vamos trabalhar como a gente sempre fez, dando atenção à comunidade. Estamos realizando as inscrições todas as terças e quintas e temos certeza que essa obra será muito cantada e a evolução vai acontecer naturalmente.

Antes do anúncio do samba vencedor, o presidente Luiz Pacheco Drummond, já havia afirmado que a disputa estava acirrada e que ganharia o melhor samba para a escola:

– Os quatro sambas que chegaram nessa final são muito bons. Nós já estamos trabalhando em um belo carnaval. Se Deus quiser vamos fazer uma bela apresentação neste próximo ano.

Apresentação dos sambas

Parceria Jeferson Lima: fez uma boa apresentação durante os 25 minutos. Contou com Alexandre D'Mendes, que faz parte do carro de som da agremiação. A torcida levou bem o samba. O rendimento foi um pouco reduzido na segunda metade da apresentação.

Parceria Me Leva: Diversos segmentos cantaram o samba durante sua apresentação. Não foi o melhor da noite, porém, a letra fácil fez com que o samba fluísse bem na quadra durante a apresentação. A torcida sabia e cantava o samba por inteiro, entretanto, cansou da metade para o final da apresentação, nada que comprometesse o palco, comandado por Wander Pires.

Parceria de Marquinhos Lessa: apesar de ter feito uma bela apresentação – Tinga continua um monstro nas disputas – o samba com a letra complicada atrapalhou o canto na quadra. "Usou e abusou" de apresentações coreografadas, com um grupo de cerca de dez pessoas.

Parceria Admir do Cavaco, Bosco Guimarães, Fernando Gogó de Ouro, Moacyr Chagas e Neno Freitas: Como ocorreu na Mangueira, com o samba vindo de Cuiabá, os cantores "sentiram" a quadra. Com uma torcida muito entusiasmada, porém nem todos cantavam o samba. Vale a recordação e o início que fizeram uma encenação de procissão com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, relembrando o Sírio. Vale destacar que foi o único samba da noite que fez com que Elymar Santos, destaque e torcedor da agremiação, saísse do camarote e fosse para o meio da quadra cantar o samba junto com a torcida.

Em seu primeiro ano na Imperatriz, o carnavalesco Cahê Rodrigues, contou as pretensões da escola no próximo desfile, e ainda fez questão de lembrar grandes nomes que passaram na escola:

– O que tenho como dizer é que é uma escola com uma proposta diferente. Uma escola que já teve grandes carnavalescos como Arlindo, Rosa e Max e eu chego aqui humildemente e querendo resgatar essa história, esse brilho. Antigamente ninguém apontava uma escola campeã antes que a Imperatriz passasse, isso precisa voltar. Nossa meta é reconstruir a escola. Fazer um carnaval para que as pessoas brinquem, mas com o luxo que ela sempre teve. O enredo possibilita um desfile alegre em primeiro lugar, colorido, simpático e estamos com essa preocupação de dar uma nova roupagem para a escola e também a um tema que já passou pela Avenida. O desafio é esse vestir a Imperatriz de Pará do início ao fim. Uma escola moderna – explicou.

Se algumas pessoas vão ganhar “férias” outras nem tanto, Rafaela Theodora, porta-bandeira da agremiação, revelou que os ensaios com o mestre-sala Felipe, ficarão ainda mais puxados depois da escolha do samba: – Já estamos ensaiando duas vezes na semana. Na semana quevem já vamos conversar com a nossa coreógrafa e dar início a fase da coreografia em cima do samba.

Para o intérprete Dominguinhos do Estácio, a escola sempre escolhe bem o samba e, além disso, ele tem certeza do sucesso no desfile: – O samba-enredo é a espinha dorsal de umdesfile, ele equivale uns 60% de um desfile. Com certeza vamos fazer um grande desfile.

Já o diretor de carnaval da verde e branco, Wagner Araújo, contou quais os planos da escola já visando o carnaval 2013: – Na sexta-feira já temos a apresentação dos protótipos e voltaremos a ensaiar no primeiro domingo de novembro, vamos dar umas “férias” ao pessoal. Teremos 34 alas e 3200 pessoas, vamos doar para a comunidade 2500 fantasias.

 

Comente: