Portela e Ilha começarão a produção do carnaval nas tendas improvisadas e galpões alternativos

Sem data certa para o início da fase de reconstrução dos barracões afetados pelo incêndio ocorrido na Cidade do Samba, no mês de fevereiro, algumas escolas terão que iniciar a construção de suas alegorias e fantasias fora de seus barracões originais. De acordo com o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba, Jorge Luiz Castanheira, Portela e União da Ilha começarão a construir seus carnavais nas tendas improvisadas da Cidade do Samba e em galpões alternativos. Já a Renascer, até que o barracão 1 fique pronto – local que posteriormente será ocupado pela agremiação de Jacarepaguá – deverá produzir suas alegorias dentro do barracão que já ocupa desde a época em que integrava o Grupo de Acesso A. A Grande Rio, outra afetada no incêndio, continuará no barracão 7.

– Já colocamos à disposição das escolas a possibilidade de elas encontrarem galpões alternativos para complementar o carnaval, fazendo esculturas e algumas alegorias. A Liga dará apoio logístico para que nenhuma escola seja prejudicada. Vamos manter também as tendas que montamos para que as escolas preparassem os seus carnavais – revelou o dirigente, que lembrou o momento de decisão vivido pela entidade máxima do carnaval carioca. Castanheira afirmou também que questões inerentes ao regulamento de 2012 foram debatidas, mas somente após o reinício das obras na Cidade do Samba elas serão votadas.

Outro problema que precisará ser resolvido é o fato de o piso existente nas tendas que abrigam Portela e Grande Rio não ser nivelado, fato que prejudica a montagem das alegorias. O presidente da Liesa afirmou que a questão já foi levada até ele pelo presidente portelense Nilo Figueiredo, mas que o próprio mandatário da Azul e Branco de Madureira estaria viabilizando junto à Prefeitura um nivelamento do piso do local.

O prazo de 90 dias de entrega dos barracões após o início das obras voltou a ser citado por Castanheira. Ele ressaltou que as encomendas dos materiais para a obra já estão sendo feitos.

– Já confirmamos com a seguradora e a construtora. Provavelmente vamos iniciar a obra de reconstrução no início da próxima semana. Já estamos fazendo as encomendas dos materiais necessários para a obra. Se Deus quiser num prazo de 90 dias, aproximadamente, nós teremos a condição de ir recolocando as escolas em seus barracões.

Festa de lançamento do CD pode ser na Beija-Flor

Outra novidade confirmada por Castanheira é que a festa de lançamento do CD do Grupo Especial tem chance de voltar a ser realizada na quadra da escola campeã no ano anterior. Ainda sem data oficial, o evento aconteceria em novembro. Apesar disso, a tradicional festa na Cidade do Samba, em homenagem ao Dia Nacional do Samba, 02 de dezembro, também deverá ser realizada.