Porto da Pedra encarna espírito do enredo, mas pode melhorar em alguns quesitos

 

 

Primeira escola a ensaiar neste sábado na Marquês de Sapucaí, a Unidos do Porto da Pedra teve um rendimento com altos e baixos nos mais variados quesitos. É prudente dizer, porém, que a agremiação não ficou tão distante no comparativo com as escolas que ensaiaram na última semana, mas pode e deve melhorar principalmente na maneira de evoluir dos seus componentes e em alguns pontos do canto do samba.

 

CLIQUE AQUI PARA COMPARTILHAR ESSA MATÉRIA NO SEU FACEBOOK

 

* VEJA AQUI O VÍDEO COMPLETO DO ENSAIO

 

* VEJA AQUI FOTOS DO ENSAIO

 

Como destaques do ensaio do Tigre de São Gonçalo, os desempenhos da comissão de frente e do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, além da participação de diversos casais de escolas de todos os grupos e de ícones do quesito, como Wilma Nascimento, Chiquinho e Maria Helena. Mestre Manoel Dionísio e os casais também emocionaram. O treino começou com cerca de 50 minutos de atraso, o que gerou uma áspera discussão entre Fábio Montibelo, presidente da Porto da Pedra, e Déo Pessoa, presidente da Lierj.

 

O diretor de Harmonia, Amauri, fez uma avaliação do ensaio técnico. – Bom nunca está né? A gente tem que sempre melhorar. O ensaio dá uma noção do que a gente precisa melhorar. Vamos ter mais cinco ensaios de rua em São Gonçalo, que temos que levar com a mesma seriedade que o de hoje, na Sapucaí. Mas fazendo um balanço do ensaio, achei muito positivo. Comissão e casal vieram em um andamento muito bom. A bateria fez um espetáculo e tenho certeza que o público gostou. Fui até o fim da escola, e todos cantavam muito o samba. Estou muito feliz com o ensaio de hoje, e principalmente com a forma como os componentes chegaram na dispersão, todos felizes e se abraçando.

 

* VEJA AQUI: ANÁLISE DA BATERIA NO ENSAIO

 

Barrão, mestre de bateria, analisou o ensaio. – Minha bateria fez o que eu esperava. Estamos ensaiando há 9 meses. Resultado foi positivo. Os naipes passaram muito bem, pouca coisa é preciso acertar até o desfile.

 

Comissão de Frente

 

Foi sem dúvida o quesito que mais mexeu com o público durante o ensaio da Porto da Pedra. Contando com a participação da porta-bandeira Lucinha Nobre como principal personagem da encenação, o grupo, comandado pelo coreógrafo Márcio Moura, apresentou-se elegantemente vestido e com um leque como adereço. A coreografia, cheia de energia, mostrou detalhes do que será feito no dia do desfile oficial. – Fizemos a coreografia original. Sou da filosofia de quanto mais próximo do desfile, melhor. O diferencial desse para todos os ensaios que fazemos é que só esse reúne um elemento fundamental: a adrenalina que os ensaios comuns não possuem – contou o coreógrafo. (VEJA AQUI COMO FOI A APRESENTAÇÃO)

 

* VEJA AQUI: LUIS CARLOS MAGALHÃES ANALISA O ENSAIO TÉCNICO

 

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

 

Zé Roberto e Thaís Romi fizeram uma apresentação muito entrosada e emocionante para os mais atentos. Possivelmente dançando a coreografia do desfile oficial, a dupla mesclou movimentos referentes a letra do samba e trejeitos de grandes nomes do quesito, uma bela sacada! (VEJA AQUI VÍDEO DA APRESENTAÇÃO)

A porta-bandeira Thaís Romi passou pela Sapucaí com muita graça e com um bailado que chamou a atenção, não à toa foi escolhida como destaque da noite no ensaio técnico da Porto da Pedra. Ao lado de José Roberto, ela cativou o público e foi presenteada com um kit da D' Samba. Sobre o ensaio, ela aponta que é importante para avaliar o que precisa ser mudado.

 

– O ensaio é muito importante porque a gente coloca em prática o que vinha fazendo na quadra. É a partir dele que a gente pode ir consertando o que não deu certo, ir aperfeiçoando. Apesar de ser um ensaio a gente vem com seriedade – disse Thaís que emendou. – Obrigada pelo prêmio, mas eu não ganhei sozinha, esse prêmio eu divido com ele (José Roberto). Esse prêmio é nosso.

 

Harmonia

 

Não dá para dizer que a escola não cantou. Mais da metade das alas passou cantando o samba em quase sua totalidade, mas para alcançar a nota máxima no desfile será preciso mais. Entre as alas que mais cantaram, estão a primeira, as que vinham atrás do segundo tripé e da ala de passistas, além de todas que compõem o último setor. As alas próximas a bateria podem melhorar no canto. Carregando uma bandeira, o coreógrafo Carlinhos de Jesus brilhou e também foi apontado como destaque do ensaio técnico. Ele recebeu o calendário do ano de 2014 da Brazil Carnival Ooah!. – Defender esse importante personagem foi um ato de coragem. Não tinha noção da importância do Adamastor. Ele foi muito importante na concepção da dança do casal de Mestre-Sala e Porta Bandeira. Pra mim é uma honra ser presenteado pelo CARNAVALESCO. Fico muito agradecido – disse Carlinhos de Jesus.

 

Evolução

 

Um quesito que precisa ser aprimorado é esse. A escola não abriu buracos entre as alas, mas pode melhorar o posicionamento dos componentes dentro das mesmas. A distribuição dentro das alas esteve, na maioria das vezes, desorganizada. A empolgação dos componentes também  pode melhorar. Evoluir com mais alegria faz o samba render mais e valoriza visualmente o desfile da agremiação. O ensaio do Tigre durou 54 minutos.

 

A Unidos do Porto da Pedra será a quinta escola a desfilar na sexta feira de folia pela Série A, grupo de acesso do carnaval carioca.

 

Comente: