Povo do samba? Integrantes da Vila Isabel falam de trecho do samba da Unidos da Tijuca

vila_grava2018_-24O povo do samba é vanguarda popular na visão dos compositores da Unidos de Vila Isabel. Mais uma vez, a expressão ‘povo do samba’ está inserida em uma obra da azul e branca do bairro de Noel. O trecho se transformou praticamente em uma alcunha da escola e chega a ser caco de empolgação do intérprete Igor Sorriso. Entretanto, o ‘povo do samba’, que objetivamente serve para designar todo mundo que faz parte do mundo do samba, foi inserido na obra que a Unidos da Tijuca irá levar para a Sapucaí em 2018 sobre o ator Miguel Falabella. A reportagem do CARNAVALESCO conversou com alguns integrantes da Vila sobre a curiosidade. Sem entrar em polêmica, André Diniz, um dos maiores responsáveis por popularizar a expressão na Vila, ressalta que nenhuma escola é proibida de usar, mas ele diz que soa estranho.

– É uma marca tão da Vila. A primeira coisa que fizemos no nosso samba foi o refrão. Só que os sambas da Tijuca foram lançados primeiro, quando já tínhamos colocado a expressão em nossa obra. Começamos a discutir se mudaríamos ou não. Decidimos deixar pois é uma marca da Vila Isabel e recusamos imitações. A Portela também colocou há dois anos atrás, mas é a mesma coisa de chamar a nossa bateria de Pura Cadência. Faz parte, está tudo certo – opina.

tijuca_grava2018_-13Para o intérprete da Vila Isabel, Igor Sorriso não há motivo para polemizar. Embora seja uma expressão que tenha virado quase uma definição da Vila Isabel, o cantor acha que ela serve para apontar outros grupos de pessoas que tenham relação com o samba.

– Todo sambista faz parte do povo do samba. A Vila Isabel tem essa marca ao longo da história de suas obras, mas eu penso que todo mundo que curte, vive e ama o samba pode ser classificado neste grupo. É muita gente que pode ser chamado de povo do samba – declara.

Responsável pela direção de carnaval da Tijuca, Fernando Costa revelou durante a final de samba da escola que o povo do samba é de todo o lugar.

– Acho bobeira o pessoal ficar falando que o “povo do samba” é uma expressão da Unidos de Vila Isabel. O povo do samba é o povo do samba, é de todo lugar – frisou.

Gera, lendário intérprete da Vila Isabel, acredita que a Tijuca deveria ter retirado esse trecho do samba, mas como não foi feito ele acredita que a próxima relação de Mart’nália, compositora do samba, filha de Martinho da Vila e já vencedora de samba-enredo na azul e branca, com a escola tenha sido fator determinante para que o trecho ‘povo do samba’ tenha surgido na obra tijucana.

– Isso foi criado pelo nossos compositores, deveriam ter registrado isso. A Tijuca poderia ter retirado essa parte. A Mart’nália é daqui da Vila Isabel, talvez, tenha tido essa parte no samba da escola por isso. O povo do samba é unido e as duas escolas vão fazer um grande carnaval se Deus quiser – conclui.