Presença maciça da comunidade da Vila Isabel para lançar documentário com Martinho

Noite de cinema em Vila Isabel: com presença maciça da comunidade, a Azul e Branca de Noel promoveu em sua quadra, durante a noite desta terça-feira, a pré-estreia do documentário 'O Samba', do diretor franco-suíço George Gachot. A película, lançada em 2014, no Festival de Cinema do Rio, entrará no circuito comercial a partir da próxima quinta-feira e tem como grandes estrelas os integrantes da Unidos de Vila Isabel e seu presidente de honra, o cantor e compositor Martinho da Vila. Com a presença de Martinho, na quadra lotada pelos moradores do bairro e frequentadores da escola, o evento foi marcado pela exibição do documentário e também por um show dos segmentos da Vila. Ao CARNAVALESCO, Martinho comentou a experiência com o documentário e revelou como o diretor George Gachot o convenceu a participar do projeto:

* VEJA AQUI GALERIA DE FOTOS DA PRÉ-ESTREIA DO FILME

– Foi uma experiência interessante. Eu já tive outras experiências no cinema, mas essa foi a mais emocionante, porque sempre esteve relacionada ao samba, música e à Vila Isabel, então fui levando devagar – contou aos risos. – O diretor George Gachot me procurou e disse que queria fazer um filme sobre a história do samba comigo. Num primeiro momento, eu disse que não estava muito afim. Então, ele disse que queria que eu apenas o conduzisse e que ele iria atrás de mim. O resultado foi que ele andou atrás de mim por dois anos. Foram 120 horas resumidas em uma hora de documentário. Há cenas fantásticas que não couberam, mas ficou um resultado legal.

O intercâmbio entre o diretor europeu e o músico brasileiro se deu, conforme conta Martinho, a partir do CD 'Poeta da Cidade, Martinho canta Noel'. Segundo Martinho, George Gachot ouviu o álbum e, então, interessou-se pela participação de Martinho no documentário: – O George é mais ligado à música erudita e não é muito ligado ao samba, mas ele ouviu um disco meu que eu fiz cantando músicas do Noel Rosa e gostou, foi ouvir mais coisas minhas, se apaixonou pelo samba e quis fazer o filme – conta o sambista.

Além de contar com mais detalhes a maneira como conheceu a obra de Martinho e criou o projeto de documentário, Gachot contou ao CARNAVALESCO detalhes sobre a relação de amizade construída com o cantor e teceu elogios à sua personalidade: – Já fiz um filme sobre a Maria Bethânia e outro sobre a Nanna Caymmi, meu gosto não era pelo samba. Eu gostava mais de canções de amor e da bossa nova. O samba não fazia parte do meu mundo, até o momento em que eu recebi um CD do Martinho da Vila cantando Noel Rosa. Eu me apaixonei de repente e descobri um lado do samba que eu não conhecia. Eu pensava que o samba só tivesse a ver com o carnaval e estava completamente errado. Conversei com o Martinho e aí o filme aconteceu. Penso que nossa amizade começou rapidamente, porque ele gostou muito da França, até falei francês com ele. Gosto muito da música do Martinho, ele é para mim um grande cantor e ele sente isso. É um homem autêntico e uma personagem muita boa para o filme que eu queria fazer. Sofri muito com a finalização do filme, porque foram 120 horas gravadas e um dia você está na sala de edição e precisa reduzir isso a 80 ou 90 minutos – contou o diretor.

Para o presidente da Vila Isabel, Luciano Ferreira, o evento promovido na quadra da agremiação foi motivo de grande felicidade. Além do pioneirismo em receber uma pré-estreia cinematográfica na quadra, ele comemorou a presença das crianças da comunidade e também dos alunos da rede municipal de ensino que estiveram acompanhados de seus educadores e puderam conhecer Martinho antes da exibição do documentário: – Estou super feliz de estarmos promovendo o primeiro pré-lançamento de um filme em uma quadra de escola de samba e este evento ser na quadra da Vila Isabel. Os componentes da escola também estão super felizes com essa iniciativa. Só tenho a agradecer ao Martinho e ao George Gachot pela iniciativa dessa pré-estreia. O carnaval é cultural e o filme também, hoje temos aqui crianças da comunidade que frequentam a Vila Olímpica e crianças dos colégios municipais para assistir, é uma iniciativa muito educacional – afirmou Luciano.

Evandro Bocão, um dos integrantes da diretoria da Vila Isabel, também comemorou a estreia de 'O Samba' na quadra. O momento favorito dele no filme é o desfile da escola em 2012, sobre Angola, que ele acredita ter merecido o campeonato em vez do terceiro lugar, atrás da Unidos da Tijuca e do Salgueiro: – A casa está lotada, o filme é lindo e tem o nosso grande ídolo e presidente de honra, Martinho da Vila. Gostei muito porque o filme mostra nossos componentes, o lugar de onde veio o Martinho e também um carnaval em que a Vila foi a grande campeã e não ganhou com o desfile de Angola. Parabéns pra comunidade e para o Martinho, essa é uma grande prévia da festa que a escola fará no Carnaval 2016.

O mestre da Swingueira de Noel, Wallan Silva, é uma das figuras da escola mais recorrentes em 'O Samba'. O documentário começa mostrando ele e os ritmistas da Vila em um ônibus, a caminho de uma apresentação na quadra da Portela. Em outros momentos do filme, Wallan volta à cena para contar um pouco de sua história ao lado da escola do coração. Ele contou ao CARNAVALESCO que considera fiel à realidade o mundo do carnaval que foi retratado na obra: – É uma história real: o carnaval que aparece no filme não é diferente do nosso dia a dia. Espero que todos venham a assistir esse filme, porque ele vai ficar na história e espero também que todos gostem, assim como nós aqui da Vila gostamos bastante. O Martinho é nosso mestre maior, o cara que fez tudo e doou sua vida pela escola. É super querido pela comunidade e o mundo adora o Martinho da Vila. Graças a Deus ele é nosso, é da Vila, do bairro de Noel e isso nos deixa muito honrado.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Dandara Ventapane e Phelipe Lemos, acompanhou de perto a exibição do documentário na quadra. Para Phelipe, o documentário abre espaço para outras produções culturais com enfoque carnavalesco: – O carnaval em si, é se não o maior espetáculo rentável para o Rio de Janeiro, um dos mais rentáveis. Se não fosse a mídia especializada da internet, teríamos poucas notícias sobre o samba. A televisão só promove o carnaval quando convém, a partir de dezembro. Acho que esse documentário, assim como o 'Trinta' e o 'Damas do Samba' servem como incentivo para que olhem mais para o carnaval como meio cultural. O Martinho é uma pessoa com muita história pra contar e espero que assim como ele, outros ícones do carnaval também sejam retratados em tela de cinema – afirma o mestre-sala.

Neta de Martinho, Dandara revela que vivenciou algumas das gravações de 'O Samba' e elogiou a visão que o diretor George Gachot procurou levar para o filme: – Vim na expectativa de assistir o filme, achei a ideia muito legal. Acompanhei um pouco do processo de gravação, porque estava presente em alguns momentos. O olhar do diretor foi muito próxio ao meu avô e ele procurou entrar naquilo que ele transmite, na sua energia. É mais do que a história do Martinho, é um filme que passa por aquilo que ele mais gosta que é a Vila Isabel, acredito que isso fica bem claro.

A exibição ocorreu em um telão grandioso e foi acompanhada por um público numeroso que se divertiu e se emocionou em diversos momentos. Uma cena em que duas crianças da comunidade de Vila Isabel cantam o samba do Carnaval de 2012 e uma delas erra a letra, enquanto a outra corrige, arrancou risadas do público. Além disso, canções de Martinho como 'Renascer das Cinzas', foram cantadas enquanto eram apresentadas no filme. Em várias cenas, os componentes da comunidade puderam assistir a si mesmos no vídeo. Ao final da apresentação, quando acabaram os créditos finais, as luzes da quadra se acenderam para iluminar o show da Vila Isabel, com apresentação de sua bateria, seus segmentos, seus casais e seu intérprete, Igor Sorriso: – O Martinho é referência, é um ídolo. Acho que um documentário retratando sua história, sua música, sua vida, é muito importante. Eu fico contente de estar participando desse momento da escola, um momento de integração e de homenagem a ele que é referência como músico e como pessoa, ele merece – contou Igor.

'O Samba' estreia nesta quinta-feira em cinemas de todo o país, com destaque para os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. Além de Martinho da Vila, o documentário conta com as participações de Leci Brandão, Mart'nália, Ney Matogrosso e Moyseis Marques. A direção do filme é de George Gachot e a distribuição fica por conta da IMOVISION.