Presidente da Liesa comenta justificativas dos jurados e fala da preparação para 2015

 

 

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, Jorge Castanheira, esteve na entrega do prêmio Estrela do Carnaval, concedido pelo site CARNAVALESCO. O evento foi realizado na quadra da Acadêmicos do Salgueiro, no último domingo, e premiou os destaques do Grupo Especial, da Série A, Intendente Magalhães, e do Carnaval de São Paulo, além de homenagear os grandes nomes dos 30 anos do Sambódromo carioca. Castanheira comentou sobre a importância do site CARNAVALESCO na cobertura do carnaval carioca.

– O Carnavalesco é um site em que todo mundo quer se atualizar, saber as informações. Feito por pessoas com todo o carinho, dedicação e muito respeito, e isso só soma ao espetáculo. O site acaba estimulando o surgimento de novos veículos para ampliar e divulgar o espetáculo, e isso só vem para contribuir com todas as escolas para divulgar o seu trabalho, mostrar as mudanças, novidades e os talentos de cada agremiação.

O presidente, que há sete anos comanda a Liesa, falou sobre a premiação oferecida pelo site aos destaques do carnaval do Rio de Janeiro. – O Estrela já é um prêmio muito esperado e todo mundo fica ansioso por esse momento. Certamente os premiados desse ano fizeram jus a esse título, vindo ao Salgueiro, receber essa comenda maior que é o Estrela do Carnaval.

Justificativas do Carnaval 2014

Quando questionado sobre o Carnaval 2014 e as reclamações que partiram de dirigentes, segmentos e torcedores das agremiações do Grupo Especial, Castanheira afirmou que a Liesa ainda está analisando a visão dos julgadores. – Ainda é cedo pra eu falar sobre isso. Tenho que estudar profundamente, analisar onde houve discrepância, onde houve um julgador ou não com uma visão diferenciada. Acho que o processo de iluminação da avenida esse ano, que foi um projeto da Liga e que diminuiu um pouco a intensidade da luz, pode ter atrapalhado a visão de alas. Mas coisas desse tipo a gente tem de analisar e corrigir o que for necessário, para um futuro melhor no Carnaval 2015. O corpo de julgadores já vem há anos fazendo um grande trabalho. Estamos aprimorando, e em parceria com a Riotur ajudando no Grupo de Acesso. E isso tudo tem sido feito com muita dedicação, esforço, afinco e boa vontade dos julgadores. Agora é uma questão de analisar nota por nota, escola por escola, através também do recurso da imagem, o que o julgador viu.

Apesar das reclamações quanto ao julgamento, Jorge Castanheira acredita que o resultado final parte de uma ideia geral do corpo de jurados. – Se somássemos a nota de todos os julgadores, ou ainda se excluíssemos a maior e menor nota de todas as escolas, só haveria uma mudança do sétimo com o oitavo lugar (Beija-Flor e Mangueira). Então fica muito claro que o resultado final do Carnaval era uma visão geral dos julgadores.

Barraca de cachorro quente na cabine dos jurados

Alguns casos curiosos marcaram a divulgação das justificativas dos julgadores. O jurado Ricardo Rizzo, em suas considerações, sugeriu que uma barraquinha de cachorro-quente fosse colocada à disposição da cabine de julgamento. O caso, que tomou grandes proporções e virou motivo de debates nas redes sociais, foi comentado pelo presidente da Liesa, que disse não entender o motivo desse comentário ter sido feito por Ricardo.

– É um grande julgador. O Ricardo Rizzo é um veterano no carnaval e deve ter feito esse comentário não sei o porque. Acredito que possa ter sido em um tom de brincadeira, mas num lugar errado. Foi uma bola fora. O nível de respeitabilidade do julgamento e de credibilidade do carnaval não combina com esse tipo de sugestão, mesmo que ele fosse amigo, por exemplo, dos donos da Geneal. Aquilo vai para o site da Liga, é divulgado no Carnavalesco e em todos os sites que cobrem o carnaval, e as pessoas precisam entender o significado e a importância que tem isso tudo. E como é um julgador veterano, eu acho estranho esse tipo de comentário, pois os outros comentários que ele fez foram coerentes. Não tem um porque dele falar isso, já que todos os jurados recebem alimentação a noite inteira, portanto não soa coerente essa posição. Ali foi uma bola fora desnecessária.

Outro caso que também foi alvo de críticas e discussões por parte do público nas redes sociais, foi o do julgador Jhonny Soares, que transcreveu notas que somadas não alcançariam a nota final dada por ele. Castanheira admitiu o erro do jurado, mas minimizou o ocorrido. – Quanto ao julgador que descreveu a soma errada, esse eu não vejo problema. É um erro material que pode acontecer com qualquer um de nós. Na hora, ele mesmo me ligou preocupado e garantiu que a nota era aquela, e que apenas transcreveu errado. Isso já aconteceu em anos anteriores. Isso não significa que o julgador precise fazer aula de matemática como muita gente anda dizendo por aí, pois eu conheço a índole e a capacidade profissional do Jhonny Soares.

Durante a apuração, a Unidos de Vila Isabel recebeu uma nota dez em Alegorias e Adereços, concedida pela julgadora Helenise Guimarães, e que foi bastante contestada pelo mundo do carnaval. Jorge Castanheira disse que vai ouvir a jurada para entender o motivo da nota. – Depois vou conversar com a Helenise Guimarães, que deu uma nota dez para Vila Isabel em Alegorias e Adereços, e entender o motivo daquilo, se ela teve sua análise comprometida por conta da iluminação. Enfim, entender o que aconteceu pra ela enxergar positividade em uma escola que tinha uma série de defeitos em seu desfile.

Dentre as quatro cabines de julgadores da Marquês de Sapucaí, três ficam ao lado direito de quem se dirige à Apoteose. Quando questionado se a posição da cabine poderia ter influenciado na visão da julgadora, Castanheira disse acreditar que isso não teve interferência na análise de Helenise. – Não era assim no passado, e sim duas de cada lado. Com o advento da Prefeitura do Rio ter de utilizar os camarotes do Setor 11, nós tivemos que inverter a posição da última cabine. Mas acredito que isso não interfira no julgamento das escolas. O que a gente precisa fazer é criar uma dinâmica maior para a operação dos desfiles, com menos tempo de apresentação em frente às cabines, para que esse sistema de “anda e para” não esfrie o espetáculo como vem acontecendo.

Como será a preparação para 2015

Sobre o calendário do Carnaval 2015 e a data do sorteio da ordem dos desfiles do Grupo Especial, o presidente disse que vai analisar junto à Liesa e as escolas o melhor momento para o evento. – Estamos fazendo a avaliação do Carnaval 2014, processo que deve acabar no final de maio. A nossa previsão é de fazer o sorteio logo em seguida a Copa do Mundo, ou até antes, para não competir com o torneio. Vamos nos reunir e analisar junto ao Elmo, a direção da Liga e as escolas, para tratar de sorteio.

Castanheira também comentou sobre a possibilidade de um carnaval temático sobre os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, em 2015. – Isso a gente tem de avaliar em conjunto com as escolas e ouvir a Prefeitura. Para fazer um carnaval temático, precisamos saber do governo municipal e da Riotur, qual o posicionamento. Eu, particularmente, entendo que duas escolas seria o melhor, mas aí teríamos que pensar em um sorteio, por que quem vai ser o escolhido? Acho que se tiver escolher uma escola, que seja por sorteio entre aquelas que quiserem usar esse tema.

Comente: