Presidente da Liesa conversa com o site CARNAVALESCO e diz que disputa de 2014 será apertada

 

 

CARNAVALESCO: Os ensaios técnicos ficaram lotados. A safra de sambas foi elogiada e muitos dizem que a Cidade do Samba ficou pequena para o volume das alegorias. Você acredita que o desfile será muito disputado?

Jorge Castanheira: "A disputa vai ser muito apertada esse ano. As escolas estão preparando muitas novidades. Com o resurgimento da Portela e Mangueira, nós teremos uma sacudida boa. As demais escolas também estão buscando desenvolver um grande carnaval, espero que isso reverta em um grande espetáculo na Avenida. As escolas estão apostando demais nas comunidades e isso é sinônimo de um ótimo canto e evolução. Todo mundo está tentando trazer de casa os seus quesitos. É um carnaval de 30 anos do Sambódromo e todo mundo vai fazer de tudo para ganhar".

CARNAVALESCO: É difícil uma escola romper a barreira e entrar no sábado das campeãs?

Jorge Castanheira: "O sábado das campeãs vai ter disputa. Não vejo nada definido. Tudo mundo estará beliscando nos pontinhos. O que acontecer na Avenida será sinônimo de critério de desempate".

CARNAVALESCO: O que você pensa dos jurados que foram para Sapucaí assistir aos ensaios técnicos?

Jorge Castanheira: "Só tem um que sempre está presente (Sérgio Naidin, de Bateria). Isso não me incomoda, porque sei o perfil do jurado. Ele é fanático e tem sensibilidade e carinho com todas baterias. Não poderia proibir isso".

CARNAVALESCO: O que mudou no regulamento de 2014?

Jorge Castanheira: "A multa para escola que vier menor nas campeãs aumentou bastante. Isso fortalece o sábado das campeãs. A transmissão do Viva foi fundamental, mas também ressalto a transmissão ao vivo da apuração da Série A pelo site G1. Eu também pedi a TV Globo para transmitir para o Brasil todo desde a primeira escola na segunda-feira (essa confirmação não foi dada pela emissora para o nosso site)".

CARNAVALESCO: Como é essa proposta de diminuir a iluminação durante o desfile?

Jorge Castanheira: "A ideia da iluminação é para valorizar os efeitos especiais de cada alegoria. Será linear para todas".

CARNAVALESCO: As escolas conseguiram cumprir a questão das notas fiscais das verbas recebidas?

Jorge Castanheira: "Muita coisa evoluiu. Todas cumpriram o prazo. O que podemos aprimorar é o lado dos recursos. Eles precisam sair antes. O grande problema está na época que todas escolas recebem o recurso. Tinha que ser antecipado, como a televisão faz. No máximo até setembro, as escolas precisam desse recurso para fazer o carnaval com antecedência e custar mais barato, facilita o planejamento. Vamos tentar criar uma cartilha para controlar e orientar as escolas, que não conhecem essa área. Já conversei com o nosso contador para ele nos dar o caminho de como fazer durante o ano, porque a lesgilação de cada item é muito difícil. Tudo depende de um esforço conjunto das escolas e da Liga, mas já melhorou muito".

CARNAVALESCO: Interessa a ideia de ter enredos sobre os 450 anos do Rio de Janeiro em 2015?

Jorge Castanheira: "Se alguém fizer, será por sorteio da Liga. Interessa falar, mas temos que ter o limite. Pode ser uma escola em cada dia. Não é possível todas fazerem. O ideal é a orientação da prefeitura, perguntamos quais escolas estão interessadas, vamos para o sorteio e escolhemos duas agremiações. É uma forma justa".

CARNAVALESCO: E os ensaios técnicos, vamos ter mais dias para o carnaval do ano que vem?

Jorge Castanheira: "Vamos seguir com um ensaio técnico por escola em 2015. Sobre começar em dezembro, vai depender do calendário. Para 2014, a gente não podia começar em dezembro. Seria o caos para o trânsito. Fizemos com coerência. Premiamos onze escolas da Série A e cada escola do Especial teve sua oportunidade. Foi no momento certo, o pré-carnaval. Mais de um ensaio por escola é exagero, que cada ensaie na sua comunidade, nas quadras e leve para o treino oficial o seu melhor. Até a divisão de escolas por dia de ensaio é questão de estratégia, envolve os ensaios de quadra das escolas, tudo discutido em plenário, e tudo para levar o melhor para o público".

CARNAVALESCO: Qual sua avaliação da avaliação das escolas da Série A em 2013 e o que esperar para 2014?

Jorge Castanheira: "Valeu como um aprendizado. É um desafio, trabalho redobrado. Abandonei o lado pessoal, mas nada me incomoda. O que me incomoda é não ter o resultado positivo, que é vencer a melhor que desfilou na pista. Esse é o diferencial. Espero que para 2014 essas escolas da Série A consigam fazer um grande desfile, que não é fácil, porque os recursos são pequenos, tudo é feito muito em cima da hora, mas torço pelo sucesso de todas. O maior troféu é ter um bom julgamento, ver o resultado legítimo. Alcançando isso a missão é completa".

CARNAVALESCO: A Liga criou a marca do carnaval, lançou DVD e agora quais são os novos produtos para após o carnaval?

Jorge Castanheira: "Quero criar o museu temático do carnaval. É um sonho. Temos o projeto. Estamos preparando a base, digitalizando fotos e negativos. Quem tiver fotos e quiser doar para o Centro de Memória é só ir na sede da Liesa. A ideia da marca já foi tentada há 10 anos, mas não foi possível, e agora chegamos a conclusão que era o momento. Estamos tentando mostrar que o carnaval é dinâmico. Claro que acertamos e erramos. Colocamos o que tinha no DVD no CD, por exemplo, foi um erro sem querer da gravadora, não estava combinado aquilo, mas que se por um lado foi ruim, por outro aproxima o público do enredo. É correção de rumo. O DVD serve de exemplo para o Brasil inteiro. É uma referência de gravação ao vivo".

CARNAVALESCO: Como controlar o acesso do público na pista nos ensaios técnicos?

Jorge Castanheira: "As pessoas que estão trabalhando devem levar credencial do ano anterior. Isso facilita. Estamos tentar arrumar uma maneira de arrumar o espaço, colocando idosos e crianças nas frisas, além dos turistas que estão com guias cadastrados".

CARNAVALESCO: Qual é o peso de ter um enredo como Boni, Senna e Zico?

Jorge Castanheira: "As três vão fazer um grande carnaval. O fato do Boni ser pessoa que sempre ajudou e participou faz parte dele, que é um entusiasta. É a coroação do mérito. São personalidades marcantes da história do nosso país. O Senna foi referência para todos e será homenageado no enredo sobre a velocidade da Unidos da Tijuca. O Zico também será coroado. Tudo contribui para nossa cultura, além dos enredos, criados pelo Renato Lage, que são magníficos, tenho certeza que a União da Ilha fará um grande carnaval e demais escolas também".

CARNAVALESCO: Qual sua análise da mudança no comando da Mocidade?

Jorge Castanheira: "O momento é traumático, como qualquer mudança. Espero que a escola consiga, através da nova direção, fazer um grande carnaval. Enredo tem, estrutura também, samba tem e aí vai depender do espetáculo plástico visual que for apresentado. É o caso da Vila que teve o carnavalesco que saiu, voltou, e está com dificuldades naturais de uma escola que gastou muito no ano passado e agora está com fragilidade de caixa. Ano passado, ela teve patrocínio e esse ano não. Tudo é um somatório de dificuldades. A qualidade do espetáculo apresentado na Avenida depende da qualidade do planejamento artístico, administratativo e gerencial de cada uma das agremiações".

Comente: