Presidente da Liesa diz que martelo não está batido sobre cancelamento dos ensaios técnicos, mas que perspectiva é muito difícil

jorge_elmo
Fotos: Henrique Matos

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) conversou com o site CARNAVALESCO durante a missa de Ação de Graças para abençoar escolas de samba e trabalhadores das agremiações, na tarde desta sexta-feira, na Cidade do Samba, e revelou que apesar de ser muito difícil ainda é possível a realização dos ensaios técnicos no Sambódromo para o Carnaval 2018. Para isso, a Liga aguarda que patrocinadores se interessem pelo evento de maior sucesso no verão do Rio de Janeiro. Além disso, a Liesa ainda pode captar pela Lei Rouanet, mas é preciso também que empresas estejam interessadas no projeto dos ensaios.

– O martelo sobre o fim dos ensaios técnicos no Sambódromo não está batido, mas a perspectiva é muito difícil. Estamos tentando conseguir os recursos para escolas fazerem os desfiles e já está extremamente difícil e complicado. Nós fizemos por 15 anos, a Liga bancando os ensaios técnicos, mas agora não temos gás para isso – afirmou.

Castanheira comentou que não definiu uma data limite para a posição final sobre o cancelamento ou não dos ensaios técnicos da temporada 2017-2018.

img_3145– Não tem limite de data. Vamos verificar de acordo com o projeto do calendário dos ensaios. Se estaria contemplando dezembro e/ou janeiro ou somente janeiro, mas no momento não estamos vendo nenhuma luz no fim do túnel. E dificilmente vamos conseguir fazer os ensaios – disse o presidente da Liesa, que não soube explicar se os ensaios técnicos poderiam estar no calendário de Janeiro a Janeiro, proposto pelo empresário Roberto Medina para a cidade do Rio de Janeiro. – Tem que ver com a Riotur e o Roberto Medina. Não sei se eles verificaram a possibilidade de encaixar os ensaios nesse projeto – comentou Jorge Castanheira.

Sobre a verba prometida pelo governo do presidente Michel Temer, Jorge Castanheira mostrou confiança na liberação dos recursos.

– Estive em Brasília. Estou trabalhando em cima disso. Estou lutando para ver qual é o formato da liberação da verba federal. O diálogo está bem adiantado com o Ministério da Cultura. E esperando o repasse da Riotur que está programado para os próximos dias – finalizou.