Presidente da Tijuca acredita em resultado apertado no Carnaval 2012

Em 2012, o desfile do Grupo Especial terá novos critérios de julgamento. As notas dos jurados vão começar de 9 (antes começava em 8) e vão até 10, inclusive, os décimos. Além disso, a Liga passou para quatro cabines de julgamento e não mais cinco. A menor nota será descartada. Durante o debate promovido pela Rádio Tupi, na noite de domingo, o presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, disse que essa medida deve tornar o resultado mais apertado.

– Acho que no Carnaval 2012 o campeão vai ser decidido em quesito, porque teremos muitos empates. O resultado vai ser mais apertado – afirmou.

Segundo ele, que em 2011 reclamou da diferença de pontos para Beija-Flor, de 1,5 pontos, o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, procura sempre acertar na escolha dos jurados, porém, alguns erros ainda acontecem.

– No julgamento, o que importa é o jurado estar mais capacitado. Já melhorou, mas o julgador tinha que ter uma remuneração maior, profissional, e não pró-labore e a Liga deve convidar pessoas que podem ser mais cobradas e conceituadas dentro do mercado. Não temos mais erros como aconteciam antigamente. Em 2011, eu fiquei insatisfeito porque fizemos um carnaval que não merecia ficar a 1,5 pontos de diferença da campeã. Sei que o presidente da Liga tenta sempre acertar.

Para o presidente da Mocidade, Paulo Vianna, o novo critério da Liesa vai melhorar o resultado do carnaval. – O critério da Liga já vai melhorar muito. Acho ainda falta fechar o resultado do desfile de domingo no mesmo dia e depois no outro dia fechar o resultado de segunda. Vai dar empate? Será melhor para o carnaval carioca.

Do outro lado, o presidente Renato Almeida Gomes, da São Clemente, pede sempre um resultado justo. – Eu quero igualdade entre todas escolas. Fiquei mais fortalecido após ficar mais um ano no Especial. Quero a disputa, porque todo mundo tem todos os quesitos iguais – explicou.

Francisco Marins, presidente da Porto da Pedra, disse que as escolas participam do curso de jurados, promovido pela Liesa, e precisam confiar no julgamento. – Temos que confiar nos jurados, porque acompanhamos o curso feito pela Liesa. O Jorginho (presidente da Liga) é bem exigente e sempre alerta os jurados como julgar. A mudança das notas vai gerar igualdade. Uma nota menor que nove traumatiza a comunidade.

Estreando no Grupo Especial, o presidente da Renascer de Jacarepaguá, Antônio Carlos Salomão, foi rápido: – Eu queria 40 jurados técnicos e nenhum torcedor, mas sei que é impossível.

Deixe seu comentário abaixo: