Problemas em Evolução e Conjunto comprometem desfile com cara de campeão da Imperatriz

 

 

A Imperatriz pisou na Sapucaí deixando bem claro desde o começo que faria um desfile para brigar pelo título do Grupo Especial. O desfile em homenagem ao ex-jogador Zico foi arrebatador, levantou as arquibancadas da Sapucaí e mostrou uma escola com cara de campeã. No entanto, problemas em Evolução e Conjunto comprometeram a tentativa de fazer uma apresentação que beirasse a perfeição. O desfile que tinha como enredo "Arthur X – O Reino do Galinho de Ouro na Corte da Imperatriz" se encerrou com 81 minutos.

* VEJA FOTOS DO DESFILE

A forma usada pelo carnavalesco Cahê Rodrigues de homenagear Zico, usando um universo fictício de impérios e deuses, foi muito bem desenvolvida. Com um dos melhores conjuntos de Alegorias e Fantasias que passaram pela Sapucaí em 2014, a escola apresentou seu enredo com uma leitura muito fácil, procurando animar e divertir o público. Esteticamente, foi uma apresentação perfeita.

Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A Comissão de Frente da Imperatriz trazia vários garotos que representavam os jovens sonhadores. A performance dos dançarinos, repleta de movimentos ligadas ao futebol e passos de dança de rua, encantou o público e foi muito aplaudida durante toda a passagem dos jovens pela Sapucaí. Em seguida, vinham Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro, que não deixaram o ritmo cair e deram um verdadeiro show com sua bela dança e perfeita sincronia. Um dos momentos mais aplaudidos da apresentação do casal se dava já no fim da performance, quando ambos faziam um movimento simulando estarem em câmera lenta.

Harmonia e Samba-Enredo

O elogiado Samba-Enredo da Imperatriz vingou durante a passagem da escola pela Sapucaí em grande parte do desfile. Apesar da performance muito abaixo do esperado de Wander Pires, que estava com a voz bastante rouca, os componentes da escola tinham a obra na ponta da língua e cantaram com muita vontade. No entanto, os problemas com a correria da escola no fim do desfile, prejudicou o canto dos dois últimos setores do desfile. Como esperado, o refrão principal era sempre o ápice da cantoria de todos os componentes. Destaque positivo para o canto forte e animado das alas "O Galinho de Ouro", "Combatentes do Rei Rubro-Negro" e "A Turquia Dança Para o Rei" e dos componentes da a alegoria "O Deus do Sol Nascente". Destaque negativo para segunda e terceira alas da escola, "Bufões Futebolísticos" e "Jardineiros do Gramado Real", que poderiam ter contribuído para uma melhor abertura de alas da escola.

Evolução e Conjunto

A Imperatriz cometeu muitos erros que podem comprometer sua pontuação nestes dois quesitos. A escola teve problemas para colocar a última alegoria na avenida e, como as alas adiante não pararam, abriu-se um grande buraco diante do primeiro módulo de jurados. Alguns minutos depois, quando provavelmente a diretoria na Praça da Apoteose fez a escola segurar para a alegoria "Ao Rei, a Joia de Ramos" alcançar a ala que vinha à sua frente e fechar o buraco, a escola parou por muito tempo diante do quarto módulo de jurados. Além disso, devido a problemas na dispersão para retirar os carros que chegavam à Apoteose, a alegoria "Rei Coroado no Templo do Futebol" durou cerca de dez minutos para atravessar o espaço entre os setores 10 e 11. Seguindo os erros, um buraco se formou também em frente ao quarto módulo quando a Bateria da escola entrou no recuo e, por fim, a partir da passagem da alegoria "O Deus do Sol Nascente" pelo quarto módulo, a escola apertou o passo e não parou mais até a bateria chegar no final da avenida, atrappalhando não só a Evolução e Conjunto, mas também a Harmonia da escola.

Fantasias

Os componentes da Imperatriz vestiram Fantasias de tamanha beleza e facilidade do Enredo durante toda o desfile. Muitas alas impressionavam pela beleza das fantasias e adaptação perfeita ao enredo, como podia ser visto em "Um Predestinado do Juventude", "Condecorado Canário Real", "O Galinho de Ouro", "Reverência Grega ao Rei", "Honraria Japonesa", "Realeza Rubro-Negra" e "A Imperatriz e o Rei", além das alas que homenageavam os rivais do Flamengo, "A Nobreza da Estrela Solitária", "Fidalguia Tricolor" e "A Nobreza Cruzmaltina". A beleza da Ala das Baianas, "Rainha de Bolas", também era muito bonita, mas contrastava com o peso das roupas que deixou diversas Baianas visivelmente incomodadas com a roupa.

Alegorias

Outro ponto muito forte do desfile da escola Leopoldinense foi o seu conjunto de Alegorias criativas, bem acabadas e com fácil leitura do Enredo. Destaque para a beleza do carro "O Deus do Sol Nascente" e para as brincadeiras na traseira do carro "Rei Coroado no Templo do Futebol", que divertiram muito o público.

Comente: