Reginaldo Gomes explica razão para a demora da mudança das escolas que terão novos barracões

O prazo para algumas escolas deixarem seus atuais barracões na Zona Portuária e no Carandiru vai se encerrando e, de acordo com Reginaldo Gomes, presidente da Lesga, a Prefeitura já garantiu que o galpão existente na Avenida Brasil, no bairro do Caju, abrigará as oito agremiações dos Grupos  A e B que ficarão ''sem-teto'' até o final do mês. O dirigente explicou a razão da demora na mudança das escolas para o novo espaço e, apesar da urgência, preferiu não definir uma data para que as agremiações ocupem o local.

– No dia seguinte em que foi definido pela Prefeitura que aquela área era nossa, aconteceu uma operação policial para desmantelar uma quadrilha que atuava dentro de uma empresa situada nesse espaço e isso acabou atrasando o processo. Quando eu vi cheguei a pensar que alegria de pobre durava pouco(risos). A área é muito boa. Apesar do problema, a RioTur já nos disse que a empresa que está lá por um tempo determinado e logo sairá para que nós possamos entrar. Primeiramente vamos levar as seis escolas do Grupo B e depois a Santa Cruz e a Viradouro – disse Reginaldo.

O presidente da Lesga aproveitou também para confirmar que, em 2012, o desfile dos Grupos A e B contarão com quatro módulos de julgadores, um a menos do que no último carnaval. Com isso, a menor nota atribuída por quesito será automaticamente descartada. Outra mudança certa acontece na transmissão do desfile do Grupo de Acesso A, Reginaldo revelou que a Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão, já foi contactada e a entidade aguarda a definição oficial para discutir uma possível alteração no horário de início dos desfiles.

– Nós dependemos do televisionamento para definir algumas coisas do nosso regulamento. Temos um contrato com a Globo que repassa os direitos para a Bandeirantes. Nós já chamamos a Globo para dizer que não queríamos mais a Bandeirantes na transmissão. Nos dois  anos em que eles transmitiram não foi cumprido o combinado. A transmissão deixou a desejar. A Globo ficou de nos dar uma resposta e estamos aguardando uma nova emissora interessada. Para definir o horário de início dos desfiles, dependemos da grade de programação de quem vai transmitir. Não é do nosso interesse que o desfile comece às 20h. Começar uma hora mais tarde é melhor para a chegada do público e, com essa diminuição para nove escolas, isso tornou-se possível. Até porque, é interessante terminar num horário em que o público tenha mais variedade de transportes para voltar pra casa. 21 horas seria o horário ideal – concluiu o dirigente.

Já com relação a passagem do Grupo de Acesso B de terça para sexta, eterno desejo das escolas que compõem este grupo, Reginaldo Gomes confirmou que foi enviado um projeto à Prefeitura para tornar viável a alteração. O dirigente, apesar de mostrar vontade na aceitação do projeto, mostra-se reticente.

– Com relação ao Grupo B, nós apresentamos um projeto à Prefeitura para o desfile acontecer na sexta-feira, mas houve uma grita muito grande das escolas mirins e estamos aguardando o posicionamento oficial. Não é fácil isso acontecer. Não estou dizendo que não quero. Essa mudança seria interessante para muita gente. O desfile das crianças começa às 17 horas, isso atravanca o trânsito do Centro da cidade muito cedo. Além disso, se o desfile mirim passasse para a terça de carnaval, o processo de montagem do palanque da apuração seria facilitado, pois o encerramento acontece meia-noite e não às seis da manhã – afirmou Reginaldo, lembrando o protesto feito também pela Associação das Escolas de Samba Mirins.