Renascer apresenta samba encomendado pelo quinto carnaval consecutivo com expectativa de nota 10

Fotos: Allan Duffes
Fotos: Allan Duffes

A Renascer de Jacarepaguá parece ter acertado de vez na fórmula para apresentar bons sambas-enredo no carnaval da Série A. Pelo quinto carnaval consecutivo deixou de realizar o concurso de escolha de samba e mais uma vez encomendou a obra que levará para a Marquês de Sapucaí. Composta por Claudio Russo e Moacyr Luz, a composição ganhou novamente o intérprete da casa, Diego Nicolau como integrante da parceria de ouro. A agremiação que recentemente passou por um momento difícil, quando um incêndio atingiu todo o barracão, fazendo com que a escola perdesse 100% do que já tinha confeccionado para o desfile (chassis de carro alegórico, protótipos e alguns materiais) espera reverter em emoção. Para o presidente Antônio Carlos Salomão, o que se perdeu em dinheiro, será revertido em sentimento.

samba_renascer2018_17– O carnaval é movido a emoção e leva a gente para o infinito. O acidente deu um prejuízo grande, mas vai dar certo. As escolas se uniram para ajudar a gente. Quem ainda não ajudou a Renascer está procurando um jeito de ajudar. O nosso projeto será todo alterado devido ao corte de verba da prefeitura e da televisão. É muito difícil hoje eu falar no valor do carnaval da Renascer para 2018 – esclarece o dirigente.

Salomão ressalta a qualidade da safra de sambas da Renascer nos últimos anos e a opção de encomendar sambas virar realidade nas escolas da Série A.

– Há cinco anos encomendamos samba na Renascer. A ideia de encomendar a obra foi minha devido a uma necessidade na época (a escola ficou sem quadra, devido às obras de instalações do BRT Transoeste) e acabou virando uma solução pra gente, porque conseguimos boas obras. Outras agremiações agora fazem também, mas penso que protegemos os compositores dos gastos altos, porque apenas uma parceria é campeã e todas as outras parcerias são sacrificadas. Torço para que a medida dê certo para as outras agremiações, porque é bom para o carnaval. Outra economia criada pela Renascer foi abolir a camisa de ensaio técnico. São pelo menos R$ 30 mil que deixamos de gastar e investimos no carnaval da escola – declara Antônio Carlos Salomão, presidente da agremiação.

A noite foi de expectativa. Guardada a sete chaves, a obra só foi conhecida ao vivo na quadra quando entoada pelo intérprete Diego Nicolau que estreia carreira solo no Carnaval 2018.

samba_renascer2018_49– Desde 2010 quando iniciei minha carreira na União de Jacarepaguá sempre dividi o microfone oficial. Chegou a minha vez. O momento é de muito cuidado com a voz, porque a responsabilidade é maior. Cantar um samba meu facilita bastante. Fizemos uma obra ousada com uma proposta diferente na forma como as estrofes estão distribuídas. Colocamos um pré-refrão. Achamos que a Renascer precisava de um samba-enredo mais alegre, mais feliz, para ajudar na construção harmônica da escola. Queríamos um samba fácil para o povo cantar, desde o bêbado da esquina ao componente mais antigo da escola – explica Diego Nicolau.

Um dos destaques da agremiação do último Carnaval, a bateria “Guerreira”, de mestre Dinho Santos, será um pouco diferente para 2018. Com 250 ritmistas e nova rainha, Silvinha Schreiber, coroada na noite de apresentação do samba, o mestre declara que está em êxtase com a obra e que nunca se viu tão empolgado para o desfile.

samba_renascer2018_70– Fiquei satisfeito com o desempenho tanto dos ritmistas quanto dos diretores na Avenida no último Carnaval. Foi um ano produtivo, apesar de termos perdido dois décimos no julgamento. Para 2018 será muito especial, a expectativa é enorme porque estou apaixonado pelo samba. A responsabilidade da bateria será muito grande já que os compositores optaram uma linha melódica diferenciada. O samba tem algumas pegadinhas, como refrão falso. Terei que ter bastante cuidado na hora de compor as bossas para não chocar com a linha seguida. Em toda minha carreira no samba eu nunca tive tanta vontade de trabalhar por vários motivos: pelo samba-enredo, pela diretoria estar fortalecida. Vamos achar o andamento adequado e fazer a escola balançar mais do que nunca. Priorizaremos o ritmo e estamos pensando também em inserir coreografias, o que nunca foi usado por nós, porque não sou muito fã, mas o samba dessa vez pede isso – esclarece Dinho.

Dupla de carnavalescos promete grande desfile na Série A

Assumindo a parte artística e plástica da Renascer de Jacarepaguá há menos de 6 meses para o desfile de 2017, a dupla de carnavalescos Rafael Torres e Alexandre Rangel aguarda 2018 como o ano da bonança para os seus trabalhos. Apesar dos percalços ocorridos no caminho, como o incêndio no barracão de alegorias e a verba menor para produzir o carnaval, eles prometem selar de vez a marca dos seus trabalhos na Série A.

samba_renascer2018_59

– O presidente queria um enredo indígena e nós apresentamos a nossa proposta. Perdemos os protótipos que já estavam prontos e finalizados. Já retomamos a reprodução dos novos protótipos e estamos à todo vapor. O verdadeiro carnavalesco usa a sua criatividade. A proposta da escola era resgatar a Renascer glamourosa de antigamente. Nossos enredos são culturais e em 2018 não será diferente. Queremos passar uma mensagem com leitura direta – explica a dupla.

Novo casal de mestre-sala e porta-bandeira

A Renascer de Jacarepaguá acertou a contratação de Paulo Costa para o Carnaval de 2018. O experiente mestre-sala, que já teve passagem pela Acadêmicos do Cubango, Unidos de Padre Miguel, Paraíso do Tuiuti e a própria Renascer, fará dupla com Patricia Cunha, sua velha conhecida, uma vez que o casal já dançou junto no início da carreira.

samba_renascer2018_50– Estou muito feliz. Estou retornando a uma escola que no passado me deu uma oportunidade, e hoje mas uma vez me abre a porta, sem contar que vou dançar com uma parceira de anos, pois quando dei meus primeiros passos, lá na Cubango, na ala mirim, a minha parceira era a Patricia. E hoje, por vontade de Deus, nos encontramos novamente nessa tão bem conceituada agremiação que é a Renascer de Jacarepaguá – declarou o mestre-sala.

A porta-bandeira Patricia Cunha também comentou a chegada de seu “velho” novo parceiro e confidenciou que os ensaios já começaram.

– Estou feliz demais. Dançamos juntos quando tínhamos uns 12, 13 anos, lá na ala mirim da Cubango e da Porto da Pedra, e agora, defenderemos o pavilhão da Renascer. Daremos muito duro para garantir os 40 pontos pra escola. Os treinos já começaram e temos mais tempo pela frente com um samba já definido – explica.

Ensaios iniciam em setembro

samba_renascer2018_76Líder da comissão de carnaval e harmonia, Claudinho Portela revelou a situação do atual momento vivido pela agremiação e garantiu que a escola renascerá após o incêndio.

– Somos uma equipe guerreira e homens de fé. Temos suporte do presidente para confeccionarmos o nosso trabalho. Ainda não retomamos o barracão, porque primeiro temos que reorganizar para depois executarmos, mas isso não significa que o nosso trabalho esteja parado. Dentro do nosso planejamento, iniciaremos os ensaios em setembro. Podem aguardar uma grande Renascer, porque vamos renascer das cinzas – finalizou.