Renascer enfrenta muitos problemas e estoura 1 minuto no tempo de desfile

 

 

 

A Renascer de Jacarepaguá dificilmente vai realizar seu sonho de ascender de volta ao Grupo Especial em 2015, apesar de ter um dos melhores sambas do grupo. O desfile da escola foi confuso e uma série de problemas deve fazer a agremiação perder pontos. Para piorar a Vermelho e Branco estourou em um minuto o tempo máximo permitido e concluiu o seu desfile com 56 minutos e deve começar a apuração perdendo 0,1 ponto, como prevê o regulamento da Lierj. Além disso a apresentação do enredo não foi clara e as alegorias enfrentaram muitos problemas de acabamento.

* VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DESFILE

O desenvolvimento do enredo por parte do carnavalesco Marcus Ferreira poderia ter sido bem melhor conduzido. Ao exaltar o cartunista ítalo-brasileiro Lan, houve uma clara confusão na setorização da escola, com uma dificuldade de leitura. Em nenhum momento fantasias e alegorias deixavam claro que a abertura da escola era uma alusão ao Salgueiro e ao desfile de 1965, "História do Carnaval Carioca", em alusão a Olívia Marinho, esposa de Lan. O que se viu na sequência foi a mesma dificuldade de entendimento da proposta do carnavalesco, apesar do bom gosto na execução das fantasias.

* CONFIRA A ANÁLISE CABINE A CABINE

Comissão de frente e casal de mestre-sala e porta-bandeira

A comissão de frente da Renascer trouxe integrantes representando as baianas do samba, e trajava uma bonita fantasia, além de leques em palha pintados em dourado. As moças arrancaram aplausos da plateia no setor 3. Foi uma apresentação correta em que as baianas em um dado momento erguiam as saias e por baixo, e exibiam nas anáguas cores vibrantes. Isso acontecia no trecho do samba que dizia "sou lápis de cera, milhões de cores a te desenhar". Entretanto as fantasias limitavam os movimentos das moças que cansaram no módulo 4 da Avenida. O jovem casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiago Mendonça e Amanda Poblete, fez uma apresentação sem grandes problemas, mas o forte vento impediu a bandeira de ser desfraldada corretamente. Destaque para a apresentação de Thiago que deu um show de gingado.

Harmonia

O samba da Renascer foi o ponto de destaque do desfile. Um autêntico show do carro de som, comandado por Diego Nicolau e Evandro Mallandro, repetindo o desempenho do ensaio técnico. Apesar das pesadas fantasias, a maioria das alas cantou o belo samba de Moacyr Luz e Claudio Russo. No trecho final da escola, principalmente, pois as fantasias estavam mais leves. Curiosamente foi na parte em que a escola precisou correr, mas o canto do samba se manteve firme.

Evolução

O desfile da Renascer teve uma evolução muito irregular. As apresentações da comissão de frente e do casal de mestre-sala e porta-bandeira nos dois primeiro módulos atrasaram muito o desfile e a partir da terceira cabine de julgamento o que se viu foi uma correria desesperada para que a escola não estourasse o tempo, o que acabou de fato acontecendo. Foi possível ouvir na pista diretores desesperados mandando os componentes correrem. O conjunto também deixou a desejar, principalmente no que tange a divisão cromática. Em um enredo sobre Lan, que é portelense, se viu mais Salgueiro que Portela. Além disso, pouco se viu de fato os desenhos do artista.

Fantasias

O conjunto de figurinos proposto por Marcus Ferreira esteve excelente. Com bom gosto e muito bem acabados foram o ponto alto no aspecto estético do desfile da escola. Entretanto algumas fantasias nitidamente estavam se desfazendo na avenida, como a da ala "O baile do pierrô" em que boa parte dos componentes desfilou com a parte de baixo da fantasia incompleta. Outras alas sofreram com a perda de materiais ao longo do desfile.

Alegorias

O ponto crítico do desfile da Renascer, entretanto, foi o conjunto alegórico. Todas as alegorias sofreram com sérios problemas de acabamento. O abre-alas trouxe uma gigantesca escultura sem acabemnto nenhum, inclusive com as asas quebradas e totalmente no gesso. Certamente a Renascer perderá muitos pontos no quesito alegorias e adereços. Além do mau trabalho de acabamento, os carros tinham alguns problemas de leitura, como o que retratava o subúrbio, "Terreiro – Terra Chão".

Um desfile recheado de problemas em que vários quesitos comprometeram, culminado com o estouro do tempo. A Renascer não deve sonhar com o acesso ao Grupo Especial pelo que se viu na Marquês de Sapucaí na madrugada deste sábado.

Comente: