Renovar é a pedida. João Vitor é o segundo estreante a vencer a Série A

 

 

Há, para muitos amantes do carnaval, o consenso de que o grupo de acesso é local propício para experimentar. É claro que a Série A do carnaval carioca não pode ser encarada de qualquer forma. Muitas são as escolas com passagens gloriosas pelo Grupo Especial, inclusive a própria atual campeã, a Unidos do Viradouro. Mas nas duas últimas temporadas, as agremiações que levantaram o caneco apostaram em novidades no cargo de carnavalesco. Foi assim com Junior Pernambucano e o Império da Tijuca. E João Vitor Araújo com a Viradouro em 2014.

– Eu queria muito isso. Tem tanta gente boa que quer uma oportunidade, mas a gente sabe que é muito difícil conseguir. Eu acho que o momento é esse. Foi com o Junior Pernambucano ano passado e agora é comigo. As escolas precisam abrir as portas para os novos artistas – pede João Vitor, que começou como aderecista, passou a auxiliar até chegar ao cargo na Vermelho e Branco de Niterói.

E o caminho do jovem de 28 anos não foi nada fácil. Não custa lembrar as dificuldades encontradas pela Unidos do Viradouro para conquistar na Avenida o incontestável acesso. A escola ficou cerca de nove meses em um terreno sem cobertura e segurança na Avenida Brasil, já que havia perdido o seu antigo barracão. 

– Há dois meses atrás nós não tínhamos carro, estávamos reestruturando todo o nosso carnaval e a impressão é de que não daria tempo, mas eu tenho uma equipe maravilhosa. São pessoas extraordinárias, que me ajudaram a produzir esse espetáculo que todo mundo viu no último sábado. A escola estava perfeita – opina o responsável pelo desenvolvimento do enredo ''Sou da Terra de Isamel, Guanabaran vou cruzar, pra você tiro o chapéu, Rio eu vim te abraçar''.

O artista revelou também como foram os dias de ansiedade após a aclamação que o público e a opinião pública ofereceram à Viradouro.

– Eu fiquei muito agoniado. Tinha muita gente boa nesse carnaval, mas fiquei na minha. Sabíamos que éramos uma das favoritas, mas não cantei vitória antes do tempo, fiquei na minha e respeitei a todos os outros que também fizeram um bom trabalho. Esperei até o fim para comemorar.

E pode comemorar, Viradouro. Afinal de contas, depois de quatro carnavais consecutivos no grupo de acesso, a campeã do carnaval de 1997 está de volta a elite do samba carioca. A Vermelho e Branco figurou entre as primeiras colocadas em diversas ocasiões nas décadas de 90 e 2000, mas após passar por uma profunda crise financeira na gestão do ex-presidente Marcos Lira, acabou rebaixada em 2010.

Comente: