Repórter do site Carnavalesco recebe prêmio por matérias desenvolvidas com as escolas do Grupo B

 

 

Na madrugada desta quinta-feira, na quadra da Difícil é o Nome, Eduardo Hollanda, repórter do site CARNAVALESCO, foi agraciado com o Troféu Samba na Veia, que há dois anos foi criado com a intenção de valorizar todos os sambistas que desfilam nas escolas filiadas a Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro.

Eduardo chegou a equipe do site CARNAVALESCO na reta final da temporada pré Carnaval 2014 e realizou matérias especiais com as agremiações do Grupo B apresentando o enredo que cada uma delas desfilaria na passarela de desfiles da Intendente Magalhães. Apesar de a Marquês de Sapucaí ser o palco principal do carnaval carioca, a estrada Intendente Magalhães se tornou a passarela de desfiles de tradicionais escolas que já passaram pelo Grupo Especial: Unidos da Ponte, Lins Imperial, Unidos de Lucas, Leão de Nova Iguaçu, Unidos do Cabuçu, Unidos do Jacarezinho, Unidos de Villa Rica, Engenho da Rainha e em 2015 somarão a este grupo a Tradição, Acadêmicos da Rocinha, União de Jacarepaguá e Vizinha Faladeira. Também existem escolas de menor investimento que ainda não pisaram na Sapucaí, mas que brigam igualmente pela única vaga de acesso ao Sambódromo do Rio de Janeiro.

– Visando o carnaval competitivo, o site CARNAVALESCO quer mostrar para o grande público, que a festa da cidade do Rio de Janeiro, não se resume só na Marquês de Sapucaí, os sambistas e profissionais do carnaval que desfilam e trabalham nessas escolas, são os mesmos das agremiações da Intendente Magalhães. Só que nessas as dificuldades financeiras das escolas, onde não há patrocínio, televisão e investimento de grande empresários, o profissional é movido, talvez, por uma paixão maior pela sua agremiação de coração, como nos antigos carnavais. As escolas de menor investimento são formadoras de novos sambistas, novos talentos, nas escolas do Grupo Especial e da Série A, por serem verdadeiros celeiros de bambas. Um bom exemplo é o competente intérprete Igor Sorriso, que começou no Grupo C, na Unidos do Santa Marta, em 2004, e no ano de 2010 chegou na São Clemente e foi campeão do Acesso, alcançando o Grupo Especial e permanecendo nele até hoje, rompendo barreiras e trabalhando como intérprete oficial de escolas de samba do país. Também precisamos valorizar as crianças e jovens que estão começando no carnaval para não deixarmos o samba morrer, afinal, temos o maior espetáculo da Terra. As autoridades responsáveis pelo carnaval carioca precisam olhar com mais carinho por essas escolas, dando uma pouco mais de estrutura, são escolas tradicionais de bairros e comunidades carentes, onde muitas das vezes a quadra da escola de samba é o único entretenimento da região – disse o repórter Eduardo Hollanda.

Comente: