Rocinha faz ensaio técnico em São Conrado com destaque para desenvolvimento do samba-enredo

Por Amanda Rocha

A Rocinha fez seu primeiro ensaio de rua e a equipe do site CARNAVALESCO esteve presente e observou pontos positivos para a escola. Apesar de não ter contado com a presença de muitos componentes, a escola conseguiu alegrar a todos que acompanhavam o desempenho na orla de São Conrado durante os 80 minutos de ensaio.

O diretor Márcio André falou sobre as diferenças do ensaio de rua para o ensaio técnico no Sambódromo.

– Lá, a gente consegue fazer uma simulação do andamento do desfile que a gente vai fazer na avenida, mesmo não tendo carro alegórico, a gente faz uma simulação. Aqui na rua é mais em cima de canto e evolução – disse.

rocinha_ensaio2101Harmonia

Mesmo com alas sem o número total de componentes foi possível observar que a maioria dos presentes tinha o samba na ponta da língua e muita empolgação. A ala de passistas foi, com certeza, a que cantou com vontade e empolgou a todos que assistiam. As baianas, que usaram suas roupas tradicionais, também deram um show de animação e mostraram que também sabiam todo o samba.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal está entrosado e apresentou uma linda coreografia com passos que acompanham perfeitamente o ritmo que a bateria dita. Com sorrisos largos e grande alegria, David Sabiá e Thainá Teixeira não mediram esforços para provar que estão em busca dos 40 pontos para a escola.

– É muita responsabilidade. São duas pessoas defendendo 40 pontos, onde nós ensaiamos desde o momento que escolhe o samba, até a data do carnaval, é maravilhoso fazer o que se gosta. A Thainá Teixeira é uma porta-bandeira excelente, nós estamos no segundo ano juntos, graças a Deus nossa dança casou maravilhosamente bem – disse o mestre-sala David Sabiá.

– É uma responsabilidade muito grande. São duas pessoas responsáveis por um único quesito, a pressão é muito maior do que quesitos que envolvem muitas outras pessoas. Se der alguma coisa errada, somos só eu e ele para resolver e carregar todo o peso de uma escola, uma comunidade que conta com a gente. É uma responsabilidade muito grande, mas o prazer de estar aqui e sentir o carinho das pessoas não tem preço – disse Thainá Teixeira.

rocinha_ensaio2101_3Samba-Enredo

Fácil de aprender e muito bem executado pelo carro de som, o samba da Rocinha contagia, além de ter riqueza melódica. As duas estrofes finais são as mais cantadas pelos componentes. “É São José padroeiro” também teve destaque em diversos momentos. Leléu, o interprete da Rocinha, diz ter confiança no samba e acredita que ele aconteça na avenida.

– Eu espero que esse samba aconteça. É considerado pelas crítica o top 4 da gravação. Está tendo uma adesão muito legal com a bateria, está bem encaixadinho com as bossas do mestre Junior. Eu tenho certeza que esse samba vai acontecer na avenida – garantiu Leléu.

Bateria

rocinha_ensaio2101_4Comandada por mestre Junior, a Ritmo Avassalador manteve um excelente padrão durante todo o ensaio. Destaque para os tamborins que mostraram uma qualidade e ritmo incríveis. A rocinha levará 230 ritmistas para o Sambódromo e contará com três paradinhas.

– Tudo dentro do samba, tem forró, tem baião, tem frevo, tem maracatu, e tem uma bossa que já é de costume fazer no refrão de baixo, caindo para a primeira do samba – revelou mestre Junior.

Monica Nascimento, rainha de bateria da Rocinha, brilhou durante todo o ensaio. Sem perder o pique e mostrando que tem samba no pé, a rainha ensaiou sem os sapatos, distribuiu sorrisos para aqueles que assistiam a escola e reverenciou sua bateria diversas vezes.

rocinha_ensaio2101_2– Esse ano a gente sabe que está com uma crise no nosso estado do Rio de Janeiro, o nosso atual prefeito está cortando a verba do carnaval, prometeu não cortar, mas ele usou isso, foi de mal caráter. Mas a Rocinha está fazendo o que pode, a gente está correndo atrás, a escola está bem unida, os carros estão bem adiantados, a escola está se preparando independente de crise ou não – afirmou a rainha.

Monica contou também que está preparando uma surpresa junto com a bateria e acredita que o público gostará.

– Eu venho como a mulher do diabo, a bateria vem o diabo. A gente vai fazer uma surpresinha no setor 1, e eu acho que a galera vai gostar – disse.

Evolução

A escola evoluiu bem, apesar do pouco espaço entre as alas. Mas isso não atrapalhou em nada. Os componentes não utilizaram papéis com a letra do samba e cantaram com muita garra e paixão ao longo dos 80 minutos. Todos com samba no pé e alegria para dar e vender.