Rodrigo Coutinho analisa baterias do Porto da Pedra, Santa Cruz e Renascer

 

 

Porto da Pedra

 

A bateria Ritmo Feroz da Unidos do Porto da Pedra teve bom desempenho no ensaio técnico do início da noite deste sábado.

 

De positivo, a afinação correta e bem diferenciada dos três surdos. A pulsação dos marcadores de primeira e segunda se manteve regular durante todo o ensaio. Surdos de terceiras bem também. As caixas, em sua grande maioria, executaram a batida de forma correta, projetando uma sonoridade agradável no naipe.

 

Chocalhos e tamborins irregulares ao longo do ensaio. Em frente ao segundo módulo houve um pequeno desencontro na ala de chocalhos. Já os tamborins apresentaram execução imprecisa do carreteiro e algumas falhas na execução do desenho rítmico.

 

 

A bossa do refrão do meio pode ser melhor preparada na questão da retomada. Em frente ao quarto módulo de julgadores foi um pouco mais acelerada que o normal. No mais, bossas perfeitamente executadas e bem concebidas.

 

Santa Cruz

 

Desempenho fraco da bateria da Santa Cruz.

 

Praticamente todos os naipes com imprecisão em suas execuções. Caixas sem definição de batida e surdos de terceira ligeiramente embolados em determinados momentos, como nas apresentações para o primeiro e o terceiro módulos. Concepção do desenho rítmico, porém, correto. Chocalhos também com falhas de execução.

 

Surdos de primeira e segunda com pulsação regular, mas afinação sem padrão definido nos surdos de primeira. Muitas falhas de execução na bossa da cabeça do samba, apesar de a mesma ter demonstrado criatividade por parte de sua concepção. Bossa do refrão do meio, ''afoxé'', bem executada.

 

Tamborins irregulares, com falha de execução do carreteiro a partir da segunda fileira e alguns desencontros na execução do desenho rítmico.

 

 

Renascer de Jacarepaguá

 

Desempenho muito satisfatório da bateria Guerreira da Renascer de Jacarepaguá.

 

A começar pela proposta ousada para os padrões da Série A. Bossas muito bem concebidas. A execução em algumas delas, porém, pode melhorar. Na feita na cabeça do samba, a participação das caixas pode ser mais precisa. E na bossa feita no final do samba, a retomada pode ser mais eficaz, percebi alguns marcadores de primeira se precipitando. Tirando esses dois detalhes, muito bem no que tange as bossas.

 

Caixas, grande maioria de 14'', muito bem na execução da batida e afinação de primeira e segunda correta. Terceiras com ótima participação no ritmo e nas bossas. Destaque para a criatividade na ''caída'' para a segunda do samba. Chocalhos podem melhorar em sua execução, embolou em alguns momentos, sobretudo nos módulos 02 e 03 de julgamento. Tamborins muito bem também.

 

 

Comente: