Sabrina Sato, uma Deusa da Natureza no desfile da Vila Isabel

 

 

Ela chegou como mera coadjuvante no carnaval carioca e aos poucos ganhou espaço e hoje é uma das protagonistas da festa. Há quatro anos a frente da Swingueira de Noel, bateria da Unidos de Vila Isabel, Sabrina Sato, é assim como o enredo de sua escola, o retrato de um Brasil plural. – Quem diria que uma japonesa, de Penápolis, um dia ia sair do interior de São Paulo e sambar no Rio de Janeiro? Pra mim é um sonho ser rainha de bateria – refletiu a apresentadora.

Cheia de compromissos profissionais e pessoais, a beldade tenta se dividir ao máximo quando chega o carnaval, entre São Paulo, aonde vive e o Rio de Janeiro, nos ensaios da Vila. Sua paixão pela agremiação é tanta que há alguns anos comemora seu aniversário na quadra da escola.

– A Vila tem uma coisa muito forte de comunidade. Isso é o que mais me emociona na escola. Todo mundo dá o sangue por ela, tem uma coisa de família, que me identifiquei muito. Sou uma menina do interior, aonde esses valores são muito fortes também.

Na Azul e Branco ela já foi um Pássaro do Campo, uma Alegoria à Natureza Africana, A Joia da Rainha e esse ano será uma Deusa. A Deusa da Natureza. Nada muito distante dos adjetivos que a são referentes. – Eu sempe eu gosto de inovar na fantasia, então eu vou trazer uma novidade esse ano – disse Sabrina ao CARNAVALESCO.

Com curvas escupidas a aulas de muay thai, corrida e musculação, a bela não faz a linha saradona e segundo a própria, tenta ser o mais natural possível. Só cuida do corpo para tudo ficar durinho enquanto samba na Avenida.  – Cada uma sabe o que é melhor pra si. Eu acho que o mais importante é ser feliz. Sarada, magra ou natural.

Uma coisa certa a se esprar da Vila Isabel, terceira escola a desfilar na segunda de carnaval, é uma paisagem a frente de sua bateria. Um verdadeiro presente da natureza que é Sabrina Sato.

Comente: