Saiba todos os detalhes da final do Império Serrano

Uma final histórica, em todos os sentidos. Pela primeira vez, uma agremiação vai fazer sua final de samba em uma casa de shows. O Império Serrano vai escolher o hino do carnaval de 2012 nessa sexta-feira, a partir das 22hs, na Fundição Progresso, Lapa, uma vez que a quadra da agremiação, em Madureira, passa por obras e a previsão de entrega é apenas em janeiro do próximo ano. A outra parte inédita dessa grande final é a participação dos compositores: duas parcerias renomadas e que já conquistaram títulos na agremiação (parcerias de Arlindo Cruz e de Aluísio Machado) e a outra, nova em todos os sentidos, é a parceria de Lucas Donato, de apenas 15 anos. Para o próximo carnaval, o enredo da agremiação é “Dona Ivone Lara, o enredo do meu samba”.

* Clique aqui e ouça os sambas finalistas

Antes das apresentações dos sambas concorrentes, haverá uma homenagem à Dona Ivone Lara, com shows de Arlindo Cruz, Aluísio Machado, Ivo Meirelles, Jorge Aragão, Teresa Cristina, Zélia Duncan, Sombrinha, Wilson das Neves, Andrezinho da Mocidade, Sandra de Sá e Monobloco. Cada um cantará duas músicas, uma de Dona Ivone Lara e outra de sua composição.

Parcerias

Pensando nisso, o CARNAVALESCO entrevistou as parcerias para entender as suas expectativas e o que preparam para esta grande festa.

Arlindo Neto (parceria com Arlindo Cruz e Tico do Império)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para final?
ARLINDO NETO: De todas as finais (passei por duas e nunca fui campeão no Império), estamos bem confiantes. Esse ano, o samba foi muito bem aceito. Sabemos que é muito difícil ganhar no Império, porém estamos confiantes.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
AN: Com certeza. Entre nós, tínhamos essa certeza. O samba foi apontado como favorito desde o início. O samba está sendo muito bem falado.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
AN: Foi feito muito pelo telefone e internet. Meu pai estava em um projeto, em Belém. Ele fez o refrão principal e iniciou o samba. Eu peguei e fiz até o refrão do meio e, junto com o Tico (outro compositor da parceria), íamos vendo a melodia. Assim, eu gravava e mandava pra ele e vice-versa. Apenas na última reunião estávamos juntos. No estúdio, chegamos a mexer no samba. Demoramos duas semanas.

C: Alguém da parceria já foi campeão no Império ou em outra escola?

AN: Meu pai ganhou duas vezes na Grande Rio e nove no Império. Eu ganhei duas vezes na ilha.

C: Qual é o ponto alto do samba?
AN: Eu gosto muito do fim do samba e início do refrão: Com a liberdade num lindo alvorecer /
Sonha nossa terna mãe baiana / Seu sorriso negro não dá pra esquecer / E hoje nosso Império aclama //.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?
AN: Vamos tentar levar 500 pessoas. Temos que ver a viabilidade disso. O ideal é não deixar ninguem da torcida de fora. Gastamos aproximadamente R$ 14 mil sem contar final.

C: Quem vai defender o samba na final?
AN: Wander Pires. Ele veio na disputa toda e canta todos os nossos sambas.

C:  Qual é o adversário mais forte dessa final?
AN: Não tem um adversário forte. Os dois são muito bons. O samba dos meninos tem uma melodia muito bonita. A disputa está acirradíssima.

C: Qual é a sua ligação com o Império Serrano?
AN: Fui do Império do futuro. Quando era o intérprete a escola não desfilou. Nove anos de história com a escola. Todos os anos eu desfilo. Sou imperiano de verdade, Passo mal, eu choro.

 Henrique Hoffmann  (parceria com Aluisio Machado, Paulinho Valença, Marcelos Ramos, Popeye, Victor Alves, Filipe Araujo e Maurício Muniz)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para final?
Henrique Hoffmann:  Muita ansiedade. Será uma final diferente, devido ao local. Estamos com muita convicção do que vamos fazer.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
HH: Com certeza. Estivemos um trabalho grande para fazer o samba. E sempre contamos que estaríamos na final, juntamente com duas belas obras.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
HH: Demorou mais ou menos de 20 a 30 dias. Começamos na casa do Paulo Valença e a ultima reunião foi na casa do Aluísio Machado.

C: Alguém da parceria já foi campeão no Império Serrano ou em outra escola?
HH: Eu ganhei três vezes no Império, o Aluísio 12 vezes também no Império, Marcelo três vezes no Império e nove na união de Vaz lobo, Paulo Valença  e Popeye duas vezes no Império Serrano,Vitor Alves uma no Império, mas já foi campeão em são Paulo também.

C: Qual é o ponto alto do samba?
HH: O refrão do meio. “Ela dança e canta o jongo / E a corte, encantada! / Ao lado do apito de ouro / É coroada”.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?

HH: Não vou poder levar tanta gente até porque o ingresso não e tão barato assim. Aproximadamente 200 pessoas. Acredito que vai passar de R$ 20 mil.

C: Quem vai defender o samba na final?
HH: Daniel Silva, do Tuiuti.

C: Qual é o adversário mais forte dessa final?
HH: Sempre é o Arlindo Cruz, ele é um Ídolo. Ele é o melhor compositor do momento.

C: Qual é a sua ligação com o Império?
HH: Sou império por amor. Quando comecei a freqüentar a quadra em 1999, eu escolhi ser Império. Minha esposa foi presidente de ala. Comecei a disputar samba em 2005. Sempre desfilo, independente do resultado.

Lucas Donato (parceria com Bruno Lima, Thiago na Fé e Kleber do Sindicato)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para final?
LUCAS DONATO: A expectativa tá sinistra. Até porque é a primeira vez que nos quatro chegamos a final do Império. Estamos nervosos. Não sabemos como será. Nervosismo puro.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
LD: Sinceridade: ouvimos os 36 sambas. E destacamos alguns. Aí eles foram caindo. Pensamos até que o  outro samba estaria nessa final. Mais graças a deus foi a gente.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
LD: Nós nos reunimos aqui em casa (Madureira), aí não tínhamos a parceria fechada. Um dos gêmeos (bruno),de manha , trouxe uma parte do samba pronto. Quando voltou mais tarde, dessa vez os dois (Bruno e Thiago), peguemos a sinopse no site e copiamos para o computador. Criamos três sambas antes desse oficial que está na disputa. Fizemos o samba no escuro. Demoramos uma semana e meia.

C: Alguém da parceria já foi campeão no Império Serrano ou em outra escola?
LD: O Kleber ganhou na beija-flor. Os gêmeos já disputam na Portela e eu sou a primeira vez.

C: Qual é o ponto alto do samba?

LD: A segunda toda. “Nos palcos da vida surgiu / Emocionou o Brasil /A nos levar "Acreditar" / O "Sonho Meu" vou festejar / Um "Sorriso Negro" no olhar: / Baianas a girar / No coração a emoção / Glorificando essa paixão”.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?
LD: Não temos ideia ainda. Tem muita gente querendo ir. E querer não é poder infelizmente. Devido da quantia que recebemos (60 ingressos), vamos comprar alguns na hora. Não sei em termos financeiros mais acho que uns R$ 15 mil.

C: Quem vai defender o samba na final?
LD: Vitor Cunha. Era o Intérprete oficial do Império. Ele tá levando muito bem o samba.

C: Qual é o adversário mais forte dessa final?
LD: Respeito muito os dois adversarios. São duas pedras muito grandes no nosso caminho. Mais acho o Aluísio mais forte, por ele ser o atual campeão da escola. Sem desrespeitar o Arlindo.

C: Qual é a sua ligação com o Império Serrano?
LD: Eu acredito que alguém da minha família ajudou a fundar o Império. Lá todos me conhecem. hoje sou ritnista. Mas comecei na ala das crianças com a Tia Célia, em aquarela brasileira (2004) e desfilei nessa ala até 2008. Meu tio Jefinho, irmão do meu pai, é diretor de bateria do Império, na época ele falou com o Átila para eu poder fazer um teste. Sou imperiano de coração. Se fosse bloco eu estava desfilando junto. Sem contar o pessoal aqui de casa que também são imperianos.

Expectativa da diretoria

Participante ativo da candidatura de mestre Átila à presidência imperiana e um dos atuais diretores de carnaval da agremiação da Serrinha, Jener Tonasso, comemorou o momento de valorização da ala dos compositores da Verde e Branco. Jener citou o encontro de diferentes gerações e lembrou uma ação inovadora da administração de Átila.

– Tudo começou quando investimos na ala de uma maneira que nunca havia acontecido. Disponibilizamos um estúdio para que as parcerias pudessem disputar em igualdade de condições. Muitos compositores não tem condições de alugar um estúdio e isso minimizou essa diferença. Acho que vamos fazer a final com os três melhores sambas da disputa. Quando chegamos ao número de oito sambas já foi bem difícil decidir e teremos uma decisão de alto nível, que coloca frente a frente nomes como Aluísio Machado, Arlindo Cruz e a parceria dos garotos. A discussão em Madureira já é grande(risos).

Quando a escola anunciou que a final seria na Fundição Progresso, vozes criticando a opção se levantaram. Jener Tonasso considera normais as reclamações, mas lembrou que a casa de shows localizada na Lapa, a cerca de 20 km da Serrinha, reduto imperiano, era a melhor opção.

– Nós somos gratos ao Arrastão e ao Madureira, que nos acolheram muito bem, mas não ofereciam condições para um evento grandiosos como este. No Arrastão tivemos problema com horário e em ter de dividir espaço com a escola. No Madureira, era pequeno e a acústica não era a ideal. Surgiu essa oportunidade da Fundição e achamos muito benéfico para a escola. Será um evento único na história do samba. Eles já até manifestaram o interesse de fazermos um evento por mês no local, já que estão surpresos com a venda de ingressos.

O diretor de carnaval do Império Serrano revelou que o espaço foi cedido pela Prefeitura e o Governo do Estado em mais uma das muitas parcerias que vem se tornando comuns na atual administração. O Metrô, a Supervia, a Granfino, uma empresa de solda e a Seara são alguns dos exemplos de parcerias já captadas pela escola. O cenário resume bem as transformações sofridas pelo Império desde o último carnaval.

– O clima é de mudança e transformação. Estamos dando uma cara de gestão à escola. Eu, por exemplo, sou administrador e existem outros quatro profissionais de administração na escola, além de um economista. Estamos investindo, com a ajuda dos patrocinadores, num grande desfile. No dia 10 entregaremos os protótipos. Quem está indo no ateliê até chora ao ver as fantasias, sem contar as alegorias, que cresceram de tamanho. A nossa primeira alegoria será acoplada, nem me lembro há quanto tempo isso não acontecia. Vamos investir nos quesitos plásticos, já que nesse aspecto a escola vem deixando bastante a desejar – diz Jener, que acha que a quadra da escola, em obras desde maio, fique pronta em janeiro. Na nova casa do imperiano, a ideia é torná-la multiuso e uma parceria para a construção de um bar temático com uma cervejaria está bem encaminhada.
 

Regras

A ordem de apresentação dos sambas e as regras já foram definidas.Serão uma passada sem bateria e 20 minutos com bateria.

Ordem de apresentação

1º – Lucas Donato e parceria
2º – Aluísio Machado e parceria
3º – Arlindo Cruz e Parceria

Programação

22h – Dj tocando sambas
00h – Show dos artistas em homenagem a Ivone Lara
2h – Show do Império Serrano e segmentos
3h – Início das apresentações dos sambas concorrentes
04h30 – Previsão de anúncio do samba campeão

Preços

sexta, das 12h às 14 30h e das 15h às 20h.
Ingressos: R$50,00 (meia-entrada: R$25,00)

Como chegar

A fundição Progresso fica na Lapa. Há estacionamentos privados no entorno da casa, o valor gira em torno de R$15,00. Cuidado com os estacionamentos irregulares seu carro pode ser rebocado.

Confira as linhas

LINHA 238 – AGUA SANTA – PRACA XV (CIRCULAR)
Linha 775 D – Charitas – Gávea (via Lapa/Praia de Botafogo)
Zona Sul – 410,409,433,464,434 ou 571
Zona Norte – 254

Para quem vai de táxi, fica a dica. Em bandeira 2, forma de cobrança após às 21h, uma corrida de Madureira até a Lapa, custa entre R$ 40,00 e R$ 50,00.

Responda: quem vai ganhar o samba do Império Serrano para 2012?