Saiba tudo sobre a final da Portela

Portela, a maior detentora de títulos do carnaval carioca com 21 conquistas, vai escolher seu hino para o carnaval 2012 nesta sexta-feira, a partir das 22hs, na quadra da Caprichosos de Pilares. A mudança de local se deve às obras na tradicional quadra da escola em Madureira, com previsão de conclusão apenas em janeiro. Ao todo, foram inscritas 26 composições na azul-e-branco na disputa deste ano, com disputas a cada semana, até chegar as três finalistas, escolhidas na semana passada.

Em cada parceria eleita para essa final há pelo menos um compositor que já venceu na escola de Oswaldo Cruz e Madureira. O ano de 2011, que não começou bem para a agremiação (devido ao incêndio na Cidade do Samba), pode terminar de forma grandiosa com a escolha do samba. Muito se falou durante as eliminatórias na agremiação do bom nível de samba para o próximo ano. E a escolha será difícil, como afirma o coordenador de carnaval da escola, Junior Escafura, ao CARNAVALESCO:

– Os sambas são muito bons e tenho certeza que a Portela vai escolher uma grande obra. Pode acreditar que o samba escolhido será um dos melhores do carnaval. A disputa está muito boa e acirrada, teremos fortes emoções nessa finalíssima.

Clique aqui e ouça os três finalistas da Portela

Veja também os vídeos dos sambas finalistas

Parcerias

(Ciraninho, Diogo Nogueira, Rafael dos Santos, Cláudio França e Leandro Fregonesi)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para sexta?
Ciraninho: A melhor possível. Todos nós fizemos um samba e ficamos bem felizes com o resultado dele. Foi bem gostoso de fazer. Não íamos colocar samba esse ano, devido à correria que estamos. O Diogo está viajando e só volta na final. Eu casei esse ano e ainda estou em processo de finalização do meu CD. Devido ao enredo, ficamos felizes e resolvemos escrever.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
Ciran.: Sempre acredita né. Isso acontece com a maioria dos compositores. Fiz final por quase todas as escolas que passei e sempre acreditei. Claro, com pé no chão e sempre com humildade. Mesmo que não estivéssemos na final estaríamos lá na quadra com a mesma alegria.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
Ciran..: Na verdade, temos uma parceria musical. Esse ano foi bem natural. Cada um fez sua parte. Fizemos o samba na casa do amigo do Diogo, em um domingo apenas. Depois, é claro, lapidamos a obra.

C: Alguém da parceria já foi campeão na Portela ou em outra escola?
Ciran.: Eu ganhei junto com o Diogo quatro vezes na Portela. O Rafael ganhou uma vez na Portela com a gente. Na Acadêmicos da Barra da Tijuca, ganhei por duas oportunidades, junto com o Rafael. E o Leandro ganhou uma vez com a gente na Barra.

C: Qual é o ponto alto do samba?
Ciran.: Os dois refrões. Eles têm características melódicas diferentes. O refrão da cabeça é fácil de cantar, e o do meio tem características afro e, nessa parte, a bateria pode brincar.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?
Ciran.: Não temos ideia ainda. Cara, eu não sei muito, até porque cada um faz o que pode. Mas eu acredito que gastamos aproximadamente R$30 mil.

C: Qual é o adversário mais forte dessa final?
Ciran.: São três sambas muito bonitos. Qualquer um que for para a avenida vai representar bem. Cada samba tem suas características. Eu dou os parabéns aos compositores da Portela. Esse ano foi muito bom. Infelizmente, a nossa quadra está passando por obras e a Caprichosos não suportaria uma final com quatro sambas.

C:Quem cantará o samba na final?
Ciran.: Nêgo.

C:Qual é a sua ligação com a Portela?
Ciran.: A Portela surgiu quando começou a parceria com o Diogo. Conhecemos-nos em 2004. Depois disso, aconteceu uma festa de samba no Sambola, em 2006, que cantei com ele. O Diogo me convidou para compor para a Portela faltando uma semana para entrega do samba e conseguimos criar em quatro dias. Colocamos o samba para 2007 e ganhamos, e isso mudou tudo. Passei por outras escolas como Ilha, Acadêmicos da Barra da Tijuca. Queria muito parar em uma escola e parei na Portela. E a escola é apaixonante. As pessoas me contam histórias maravilhosas da essência do portelense. Então passei a torcer. Se eu saísse da Portela hoje eu levaria meu amor por ela, independente se eu estivesse compondo em outro lugar. Tenho um sonho de ficar para sempre na escola e chegar até a Velha Guarda.

(Neyzinho do Cavaco, Flávio Viana, Vinícius Ferreira, Charles Braga e Paulo Aparício)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para sexta?
Flávio Viana: A expectativa é sempre grande. Principalmente numa final de samba na Portela. Uma ansiedade só. Torcemos para que tudo ocorra bem, e fazer um grande trabalho logo mais.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
F.V.: O compositor sempre acredita no seu trabalho. Temos consciência da dificuldade. Aqui na Portela então há mais ainda. Estamos chegando a nossa segunda final em três anos.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
F.V.: Na casa do Neyzinho, em Marechal Hermes. Lá tem um bom astral, bom axé. Demoramos uns três ou quatro encontros. Tiramos nossas duvidas com o carnavalesco e entendemos o fio condutor que é a Clara Nunes. Essa foi a grande sacada do enredo que conseguimos pescar.

C: Alguém da parceria já foi campeão na Portela ou em outra escola?
F.V.: Paulo Apparicio foi campeão em 2001. O Charles foi campeão na Lins Imperial.

C: Qual é o ponto alto do samba?
F.V.: Na minha opinião, são as partes que mexem com o portelense. Os dois refrões. Eles têm frases que exaltam a paixão do portelense.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?
F.V.: É difícil saber quantos vão. Estamos chamando os amigos para ir. A nossa intenção é levar mais gente do que durante todo esse tempo de eliminatórias. Ainda não paramos para orçar tudo, mas com certeza já está por volta de R$ 50 mil.

C: Qual é o adversário mais forte dessa final?
F.V.: Todos os adversários são fortes e têm qualidade. Na Portela, quando você consegue a proeza de ir à final, você sabe que não está indo sozinho; é sempre com grandes adversários, é uma característica da Portela. Dureza para todos.

C: Quem cantará o samba na final?
F.V.: Tinga, Celino Dias Tiganá e o Junior Big.

C: Qual é a sua ligação com a Portela?
F.V.: Eu sou portelense, assim como toda a parceria. O Neyzinho é filho de dona Marcilia, que é destaque da escola há 60 anos. Como diz a letra do samba “Nasci e me criei”, o Neyzinho nasceu e se criou lá dentro da escola. Eu desfilo há cinco anos como compositor.

(Wanderley Monteiro, Luiz Carlos Máximo, Toninho Nascimento e Naldo)

CARNAVALESCO: Como está a expectativa para sexta?
Wanderley Monteiro: Expectativa é muito boa. Estamos contando as horas. A expectativa é muito grande de todos nós e de toda a torcida assim como os que estão dando apoio ao nosso samba.

C: Acreditavam que estariam na final desde o início da disputa?
W.M.: Antes de ouvir os sambas é difícil saber. Depois que vamos ouvindo os concorrentes, aí dá pra ter uma noção. Geralmente a Portela tem levado os melhores para a final, diferentemente de outras escolas que preferem cortar durante as eliminatórias, com medo de confusões.

C: Onde o samba foi feito? Quanto tempo demorou?
W.M.: Via e-mail e telefone. Fechamos o samba na casa do Luiz Carlos Máximo. A principio, tínhamos uma ideia de um samba, mas depois tanto Máximo quanto o Tuninho resolveram mudar e me convenceram. O tema permitia, e eles deram a ideia de mudar a concepção do samba. A gente nem sabia que ia dar tão certo, quando vimos foi uma surpresa. Ficamos sabendo que o samba é cantado em Fortaleza numa aula de percussão, assim com em outros estados que mandaram para a gente. Então, acho que, quando eles mudaram, acertaram na mão em cheio.

C: Alguém da parceria já foi campeão na Portela ou em outra escola?
W.M.: Eu, Naldo e o Luiz Carlos duas vezes. Nós só fazemos samba para a Portela.

C: Qual é o ponto alto do samba?
W.M.: Ele vem com cara de Portela, mas com a cadência da Bahia. Conseguimos dar essa cara ao samba. Tem três refrões e isso deixa mais animado. Inclusive, deixamos de citar algumas coisas devido a reuniões com o carnavalesco. O conjunto da obra é o ponto alto.

C: Pretendem levar quantas pessoas para torcer pelo samba na final e quanto gastaram durante a disputa?
W.M.: Vamos tentar repetir o número de pessoas da semifinal. Infelizmente não tive como contar. A Portela facilitou em ser de 15 em 15 dias (foram duas chaves nas eliminatórias). Acredito que deve chegar a um custo de R$25 ou R$30 mil.

C: Qual é o adversário mais forte dessa final?
W.M.: Os dois. Não se ganha o samba só pelo samba. Cada um tem seus fatores. Os dois são bons e muito fortes.

C: Quem cantará o samba na final?
W.M.: Wantuir, Pixulé, Bira e o Fabinho.

C: Qual é a sua ligação com a Portela?
W.M.: Sou portelense desde criança e compositor desde os 17. Sempre gostei da Portela devido à Velha Guarda. Aí passei a gostar da escola. Eu não fazia samba-enredo, fiz uma vez para a São Clemente em 93 e perdi. Depois disso não fiz mais. Voltei a compor em 2004. A gente  sonhava que uma dia a escola pudesse cantar um samba nosso na Avenida. Porém, não tínhamos ideia e não entendia nada de samba-enredo. Apesar de ter músicas gravadas com grandes artistas, não sabia como disputar um samba, levá-lo para quadra. Ainda estamos aprendendo isso.

Programação:

20h – Abertura dos portões
21h – show de pagode
23h – Apresentação da bateria e segmentos da escola recordando sambas clássicos
00h30 – Início da apresentação dos sambas finalistas
03h – Previsão do resultado

Ordem de apresentação

1º Wanderley Monteiro e parceria
2º Neyzinho e parceria
3º Diogo Nogueira e parceria

Meia hora cada samba (quantidade de passadas com e sem acompanhamento da bateria será definida na hora)

Preços

Ingressos antecipados: R$ 15
Ingressos comprados na hora: R$ 20
Camarote Superior: R$ 300 (10 lugares)
Camarote Inferior: R$ 200 (10 lugares)
Mesas: R$ 50

Como Chegar

A quadra da Caprichosos de Pilares fica na Rua Faleiros, 2 ( embaixo do viaduto que liga Pilares a Inhaúma) – Pilares

Linhas de ônibus:

De Madureira: 261, 650 (soltar no primeiro ponto após a igreja São Benedito)
Do Centro: 261, 298, 284 (soltar no primeiro ponto depois do supermercado Extra) e o 296 (soltar em frente ao condomínio Arena Park, antes do supermercado Extra)
Da Tijuca: 627 (soltar em frente ao condomínio Arena Park, antes do Extra)
Da Zona sul: 457, 459 (soltar no primeiro ponto depois do supermercado Extra)

Trem

Os trens também são uma boa opção de acesso ao local. O ramal Belford Roxo deixa bem próximo à quadra da Caprichosos. No entanto, atenção aos horários: a última composição sai da Central do Brasil às 21h28.

Para quem vai de táxi, fica a dica. Na bandeira 2, forma de cobrança depois das 21h, uma corrida  de Madureira até a quadra da Caprichosos custa entre R$ 15,00 e R$ 20,00. Do Centro até Pilares gira em torno de R$ 35,00. Já quem prefere ir de carro particular, deve sair de casa mais cedo. A quadra da escola não tem estacionamento próprio e flanelinhas cobram até R$ 10,00. Casas próximas são feitas de estacionamento e o valor pode chegar a até R$ 15,00.