Salgueiro aposta no enredo divertido, leve e identificado com as pessoas

Depois do cinema e do cordel é a vez da Fama no Salgueiro. A diretoria da escola juntamente com Renato e Márcia Lage conversaram com os presentes na quadra, na noite de quinta-feira para entrega da sinopse, e explicaram o enredo para 2013. Cerca de 100 pessoas estiveram presentes e viram um filme sendo exibido no telão. A reunião não durou muito tempo e ao que se viu foi os compositores contentes com a sinopse. Uma frase foi muito dita durante a conversa com os compositores “sintam-se à vontade para compor”. Um dos compositores, em conversa com Renato Lage no final, falou sobre essa liberdade e da sinopse ser mais “irreverente”.

O carnavalesco da vermelha e branco falou ao CARNAVALESCO sobre o enredo da agremiação e como as pessoas fora do carnaval já questionam antes mesmo de ler a sinopse ou mesmo tentar entender o que pode ser passado na Avenida:

– Eu não fico me importando muito. Não me ligo nas coisas. Uma vez eu estava vendo e umas cinco pessoas ficaram falando besteira. Não devem ter o que fazer né? Essas pessoas devem estar ganhando uma pensão e não precisam trabalhar, porque ficam o dia inteiro massacrando. Eu acho interessante que as pessoas fazem pré-julgamento de tudo. Parece que eles sabem de toda a verdade. Será que esses mesmos fazem algo para uma escola de samba? Claro que não. O que vale para gente é o que vamos criar e quando chega a hora do desfile que tiramos as dúvidas. Mas não vou ficar dando bola para o que falam. Nem Cristo agradou a todo mundo. Eu só queria ver essas pessoas fazendo carnaval.

Na sequência, a esposa de Renato, Márcia brincou dizendo que ele está se preocupando, tirando risadas inclusive das pessoas próximas. E complementou: “É a mesma coisa com a seleção brasileira de futebol. Todos acham que são treinadores. Carnaval e futebol é a mesma coisa. Todos acham que entendem.

Depois de tantas risadas e exemplos, Márcia falou sobre a pesquisa e como pode ser o desenvolvimento do tema:

– De cara tivemos que adequar, até porque já estavam lançando tantas pedras e dizemos: Não é nada disso. Não é interesse da Caras levantar essa bandeira, tem sim uma coisa subliminar, mas houve uns ajustes para não ferir. Pois eles tem uma linha e nos tivemos um cuidado, para não escancarar geral. Mas quando vimos o tema celebridades e acho que Fama é um negócio que rola. O faraó já fazia. Estávamos carentes de fazer um enredo irreverente e mais solto sem ser esteticamente perfeito. Para gente é um desafio gostoso, vamos brincar e está fluindo com muita transparência. Na verdade, o enredo fala dessa trajetória mas através da fotografia.

Depois da entrega da sinopse, o carnaval já começou para a dupla. De acordo com Márcia, o começo são as fantasias e toda a estrutura da escola para o desfile:

– O primeiro ataque agora são as fantasias. Vamos determinar os setores, e assim, é tão louco porque acaba desencadeando vários personagens. A nossa intenção, e tomara que a gente consiga, é fazer com que as pessoas se identifiquem. Isso é muito dia-dia. São personagens misturados com outros que vamos levar nesse desfile.

Sobre os problemas nos dois últimos carnavais, principalmente com alegorias, a carnavalesca falou que infelizmente as surpresas acabam acontecendo na hora H:

– São fatores surpresas. As alegorias não cresceram um milímetro. A gente ensaia e não ensaia. O carnaval tem aquela magnitude de mega show, mas na verdade ainda é muito amador. Você não ensaia saída e entrada de alegoria, tudo acontece na hora. Fatores surpresas aparecem, por mais que não estamos contando, assim como acontece com outras escolas.

O diretor de carnaval Dudu Azevedo, aposta nas composições alegres e irrevrentes para a agremiação este ano. Segundo Azevedo, o compositor precisa levar a paixão salgueirense na hora de fazer o samba:

– Esperamos um grande samba. Durante o bate papo falei isso para os compositores. Quero que eles transportem para letra e a melodia do samba essa alegria salgueirense que vem acontecendo nos desfiles. Vocês veem os nossos desfiles, são desfiles de carnaval. Vou usar uma frase do Renato: “Estamos chovendo no molhado”, quem está tentando o diferente consegue o sucesso. Você diz que vai falar do cavaleiro e tem que passar na avenida com um cavalo e um cavaleiro, isso tá muito certinho. Por exemplo, poucas escolas ousariam levar o “bububu no bobobo” como a São Clemente levou no último carnaval. Foi um desfilaço de alegria e carnaval. O Renato e a Márcia tem esse humor. E eles falaram que queriam levar isso para a sinopse. Por isso, disse aos compositores vamos transpor isso nas composições. Vamos fazer nossa disputa de samba com sambas alegres e que vão proporcionar o desfile em uma grande alegria.

Já um dos diretores de Harmonia do Salgueiro, Jô calça larga, espera uma competição mais acirrada do que nos últimos anos. – Acredito que tenhamos uns 30 sambas. Eu primo muito pela qualidade. Não gosto de quantidade, mas sim qualidade. Tenho certeza que devido a essa sinopse leve e divertida, vamos ter uma grande competição, até mesmo pela nossa ala de compositores, com os nomes que temos, mesmo os mais novos até os mais antigos. Queremos ter a dor de cabeça de escolher o melhor samba no meio de vários.

Agora, os compositores da academia terão um pouco mais de um mês para criar sua composição. A data de entrega foi marcada para o dia 29 de julho, às 10h, na quadra. No dia, os compositores vão se apresentar e gravar o samba na própria escola. Luis Carlos Bruno, diretor musical, já executava esse trabalho na Imperatriz, agora, fará o mesmo no Salgueiro.
 

Comente: