Samba e harmonia brilham em ensaio técnico de rua da Mocidade para o Carnaval 2018

Por Guilherme Ayupp. Fotos: Allan Duffes

mocidade_ensaio_2018_64É desafiador para uma grande escola ter um samba-enredo à altura de suas tradições em anos consecutivos. A Mocidade Independente de Padre Miguel conseguiu esse feito em 2017 e 2018, com obras apontadas pela crítica e público como uma das melhores do ano. Se o orgulho cresce a responsabilidade também aumenta. Afinal, ao menos em teoria, é preciso provar na avenida a qualidade da obra. Se depender do ensaio de rua realizado na quarta-feira, na praça Guilherme da Silveira, em Padre Miguel, a Mocidade irá novamente provar o valor de seu samba no domingo de carnaval. A obra foi um dos destaques do ensaio junto com a harmonia.

Samba-Enredo

mocidade_ensaio_2018_24As passagens poéticas mais inspiradas do ano com uma melodia que serviria certamente a qualquer composição musical da MPB. O rendimento do samba beirou a perfeição, com o auxílio mais que luxuoso de uma bateria pronta e um intérprete que está na história da Mocidade. Wander Pires conduziu muito bem a apresentação, o que propiciou um desempenho ainda melhor da harmonia independente.

– Tenho procurado dar o meu melhor na escola que eu amo, a minha Mocidade, a quem eu devo todo o meu sucesso no carnaval. Novamente iremos para a avenida cantar um samba de muita qualidade. A cada ensaio nossa comunidade demonstra o quanto está feliz com esse sambão – analisou o intérprete Wander Pires.

Harmonia

mocidade_ensaio_2018_06Se desfilar cantando como no ensaio de rua, na madrugada de domingo para segunda de carnaval, a comunidade da Mocidade irá conseguir mais 40 pontos para a escola na quarta-feira de cinzas. Destaque absoluto para ala Loucos de Paixão que gritou o samba puxando o canto de toda a agremiação. Grupamentos coreografados, baianas, passistas, até as alas finais da escola. Todas com um volume de canto muito forte.

Evolução

Precisa de ajustes para o desfile. É um quesito historicamente desafiador para a Mocidade. Falhas graves não ocorreram, como espaçamento, alas desorganizadas ou andamento irregular. Faltou bastante espontaneidade na maioria das alas, que passaram todo o ensaio cantando sim, mas muito mais andando que evoluindo com desenvoltura. Em um julgamento rígido a Mocidade pode ser punida. Tanto que o diretor de carnaval chamou atenção dos componentes antes do ensaio.

mocidade_ensaio_2018_17– O componente que estiver aqui para andar e não evoluir pode pedir para não desfilar e nós iremos entender. Não se ganha carnaval mais sem técnica. Alegria, a maioria das escolas possui, mas precisamos estar atentos a isso todo o tempo. Estamos perto do ponto de desfile, mas não pode haver o mínimo relaxamento para não perdermos para nós mesmos. O ensaio da Guilherme para mim é muito mais técnico do que o do Sambódromo – endureceu.

Bateria

Um ritmo impressionante da bateria Não Existe Mais Quente, sob o comando de mestre Dudu. Um dos poucos quesitos da Mocidade que não alcançou 30 pontos no campeonato de 2017, mas o trabalho vem crescendo a cada ano. Inventora da paradinha a Mocidade vai passar recheada de bossas como manda a sua tradição. O casamento entre canto, ritmo e o carro de som está perfeito.

mocidade_ensaio_2018_43– O que me deixou muito feliz foi a manutenção do andamento sem oscilações. Isso mostra que estamos trabalhando no caminho certo, pois um bom andamento é grande parte do sucesso de uma bateria no desfile. Estamos quase lá – elogio o mestre Dudu.

Outros destaques

Depois de não conseguir ensaiar por duas semanas seguidas a Mocidade finalmente reuniu seu povo para cantar o samba e evoluir na Guilherme da Silveira. A rainha Camila Silva não pode comparecer ao ensaio, pois o Vai-Vai, onde também reina à frente da bateria, ensaiou em São Paulo. O primeiro casal, Marcinho e Cris Caldas, também não pode comparecer por estar realizando seu ensaio exclusivo no Sambódromo. O vice-presidente da Mocidade, Rodrigo Pacheco, avaliou o ensaio.

mocidade_ensaio_2018_03– Brinco com a harmonia e digo que até ano passado tínhamos que guiar um Chevette velho e muitas vezes empurrando. E conseguimos chegar lá. Agora estamos guiando uma Ferrari, e também não é fácil, pois se você perder o foco vai bater. É isso que estamos colocando na cabeça das pessoas na Mocidade. Pés no chão, olhos abertos e muita vontade. Assim poderemos ter sucesso – destaca.