Samba-enredo, intérpretes e bateria são destaques no ensaio de rua do Tuiuti

Por Vinicius Vasconcelos. Fotos: Magaiver Fernandes

Menos de 25 dias separam o Paraíso do Tuiuti da Marquês de Sapucaí. E o que a equipe do site CARNAVALESCO observou durante o ensaio de rua foi bastante positivo. A começar pelo trio de cantores que a escola possui: Grazzi Brasil, Nino do Milênio e Celsinho Mody, estreantes no Grupo Especial e cantam juntos pela primeira vez, somado ao samba-enredo de excelente qualidade, a obra funcionou em altíssimo nível durante os 75 minutos de ensaio que começou no Colégio Pedro II e terminou na porta da quadra. O entrosamento entre eles parece de longa data.

tuiuti_ensaio1501-7– Estou satisfeito pelo momento de preparação que nós estamos. Nessa reta final é evidente que ainda tenha algo a ser lapidado. Mas o canto foi muito bom. Ainda temos alas performáticas que por estratégia não ensaiam aqui conosco. A comunidade vem correspondendo o que temos pedido, vamos caminhando e aos poucos melhorando muita coisa. Faltam praticamente dois ensaios para o desfile e a escola está atingindo uma maturidade que nos leva a crer que vamos fazer o melhor desfile da história. O ensaio de rua é extremamente válido porque aqui me permito errar. Posso parar, voltar, falar algo para o componente. Na Sapucaí eu poderia ser mal interpretado ou a taxado de escola desorganizada. Meu centro de treinamento é aqui, a avenida é onde faço o amistoso. Enquanto treino aqui é muito mais valioso. Iremos com 3200 componentes para avenida e cerca de 80% disso é garantido para a comunidade, não estamos preocupados com colocação, queremos que as pessoas reconheçam o Paraíso do Tuiuti como uma escola madura, que sabe o que quer e onde está pisando – detalhou o diretor de harmonia Thiago Monteiro.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal demonstrou que garra não vai faltar em busca dos 40 pontos. A coreografia é forte e tem início, meio e fim. Passa pela escravidão, pela quebra das correntes, homenageia os pretos velhos e comemora a liberdade. Tudo isso atrelado a um espetáculo de condução do pavilhão feito por Danielle Nascimento e total entrosamento de seu parceiro Marlon Flores.

tuiuti_ensaio1501-31– É uma responsabilidade muito grande manter os 40 pontos que tive ano passado. Principalmente mudando de bandeira e de mestre-sala. Estamos trabalhando muito com foco e determinação, com muito apoio da escola. Pelo que estamos sentindo, junto do coreógrafo Fábio costa, iremos no mesmo nível esse ano. A coreografia está linda graças a Deus, estamos com sangue nos olhos de novo para correr atrás da nota máxima e se tudo der certo vamos ser abençoados de novo. O ensaio na rua é positivo para o preparo físico, podemos sentir a comunidade, a bateria. Claro que é meio complicado ensaiar a coreografia do jurado porque nem sempre o chão é nivelado, porém para sentir o calor do momento é muito bom – disse Danielle Nascimento.

Ciente do peso que um casal tem de trazer nota para toda uma comunidade, Marlon detalha as vantagens dos ensaios de rua.

tuiuti_ensaio1501-29– Sabemos que o quesito se concentra em apenas duas pessoas, por esse motivo eu e a Dani começamos a trabalhar muito cedo e incansavelmente. O ensaio de rua é produtivo porque conseguimos fazer tempo de desfile e cabine de jurados, são detalhes que são primordiais para o dia do desfile. No ensaio técnico da Marquês de Sapucaí, para nós, é como se fosse uma “pré”. Conseguimos fazer como se fosse realmente no dia oficial, porém sem o peso da fantasia. Lá da pra marcar realmente com exatidão afinal é o campo oficial. Buscamos fazer quase toda coreografia no ensaio de rua, deixando de executar pouca coisa para ter um toque final – afirmou o mestre-sala.

Harmonia

tuiuti_ensaio1501-57Para muitos, um bom samba garante a escola um certo conforto em quatro quesitos. E harmonia é um deles. Apesar de não ter a totalidade dos componentes que vão para avenida, quem estava presente fez jus a ida ao ensaio e cantou forte. A cabeça da escola era composta por mestre-sala e porta-bandeira, velha-guarda e baianas, que se destacaram por ter o samba na ponta da língua do início ao fim. Vale ressaltar também para a ala de passistas do Tuiuti estava muito bem vestida e com excelente número de contingente onde todos cantavam.

Samba-enredo

Não há o que questionar. O Tuiuti tem nas mãos um dos maiores sambas do ano. Além de ser uma poesia em forma de canção, a obra possui um tom de desabafo. As três estrofes finais são as mais cantadas pelos componentes e servem de impulsão para todo o samba. “Ê calunga! Ê calunga” também se destacou em diversas passagens do ensaio. Celsinho Mody, que estreia no Rio de Janeiro em 2018, conta que está vivendo uma grande emoção com um samba de tanta qualidade.

tuiuti_ensaio1501-62– Meu coração está dizendo e eu acredito que todo mundo que ouve esse samba sente o mesmo. A Sapucaí vai viver um grande momento. Essa comunidade é muito lutadora, aguerrida e sofrida. Acredito que o samba vai ser cantado por todos os sambistas presentes, faremos um carnaval com colocação histórica para o Tuiuti. Vou realmente estrear na Marquês no dia do desfile e isso é bom. Aqui no Rio de Janeiro consigo sentir o clima, o calor e a desenvoltura do povo carioca. A alegria de sambar porque tem que sambar, é uma característica muito legal. O samba faz parte do cotidiano da grande maioria das pessoas da cidade, a maior parte do Rio abraça as escolas de samba. Jamais imaginaria chegar até aqui, foi um presente de Deus, e cada presente que ele me mandar eu vou abraçar com a maior felicidade do mundo – comentou o cantor.

A cantora Grazzi Brasil, que despontou em 2017 quando gravou samba concorrente para o Vai-Vai, também conta a emoção de poder cantar esse grande samba num ano tão especial.

tuiuti_ensaio1501-2– Todos podem esperar muita dedicação, um carnaval muito bonito, com muita garra. Nós vamos arrebentar. Esse samba é lindo, pra mim é uma grande honra cantar esse samba e estar aqui no Paraíso do Tuiuti. Por falta de ensaios técnicos, eu vou sentir mesmo a emoção da Sapucaí na hora, tem que manter os pés no chão e ir pra cima. Não vejo diferença entre São Paulo e Rio. Estou em duas escolas com muita garra, dois times de canto maravilhosos, dois sambas maravilhosos, eu estou no céu. Quer melhor do que gravar um samba lindo em homenagem ao Gilberto Gil e outro samba lindo em homenagem ao meu povo? Vamos dar o melhor, está chegando. O Rio me abraçou em 2017 com muita força, não imaginei que aconteceria tudo isso. Por conta da gravação do Vai-Vai que foi a grande porta pra tudo isso, quero convites, é claro. Minha vida é cantar, gosto muito de tudo isso – assegurou Grazzi.

Apesar da pouca idade, Nino do Milênio é o mais experiente em Sapucaí dentre os três. Com muita tranquilidade, ele garante que o público pode esperar uma grande apresentação do Tuiuti.

– Eu posso afirmar que todo o público deve esperar tudo de melhor. Faltam poucos dias para o carnaval, estamos felizes com a repercussão, já são diversos prêmios que o samba vem ganhando. Podem esperar o Paraíso do Tuiuti como nunca viram antes. Faremos o carnaval da história dessa escola – concluiu o cantor.

Bateria

Foi uma atuação de gala da bateria Supersom comandada por mestre Ricardinho. Sustentou o ritmo do início ao fim com diversas nuances que dão ainda mais vigor ao belo samba-enredo. Destaque para os instrumentos ‘leves’ da bateria, que fazem convenções de extrema qualidade e bom gosto o tempo inteiro. A galera do pesado, que fica na “cozinha” da bateria também caprichou nas passagens. Detalhe para a bossa no trecho “E assim, quando a lei foi assinada”, cerca de sete atabaques executam a bossa sem outros instrumentos e no trecho “assistiu fogos no céu” a bateria volta com caixas, primeiras e segundas. Mestre Ricardinho contou a nossa equipe que está satisfeito com o rendimento e aproveitou para parabenizar seus ritmistas.

tuiuti_ensaio1501-54– Vejo a bateria hoje muito preparada, forte e engajada no projeto da escola. Não erramos absolutamente nada, viemos num ritmo dentro do andamento desejado. Nenhuma paradinha deixou a desejar em questão de retomada, ou ao longo da paradinha alguém ter dado mole. Estou muito feliz. Brinco com eles que as vezes prefiro o erro para não entrar numa zona de conforto que não é legal, mas hoje não tenho o que falar, mandaram muito bem. A bateria é isso mesmo, estamos estudando algumas coreografias para colocar nas duas últimas semanas, mas em ritmo, bossa e andamento o trabalho está pronto. São 250 ritmistas. Como o samba está sendo muito elogiado estamos mais preocupados em servir a escola, porque precisamos sustentar a voz dos componentes. Vamos nos preocupar no ritmo da nossa pegada, mas andamos pensando entre a diretoria e achamos que devemos fazer algo a mais, mas nada certo, ainda está em estudo.

Evolução

tuiuti_ensaio1501-35Antes do início do ensaio o diretor Thiago Monteiro disse no carro de som para que todas as alas se sentissem livres da escravidão, e que não ficassem amarradas. Assim foi feito. As alas se tornaram verdadeiros quilombos e estavam completamente soltas. Não há aquela militarização que nos acostumamos a ver nos desfiles atuais e os componentes desfilaram de maneira organizada no meio de uma grande festa. Único ponto a ser mencionado foi a presença de alguns componentes com a letra do samba na mão. Segundo Thiago, há dois motivos para as letras do samba serem distribuídas: algumas partes do samba necessitam de uma lida minuciosa para depois ser executada, e ainda há inscrição para comunidade que deseja desfilar. Nada que possa ter estragado o brilho no ensaio da escola de São Cristóvão.

tuiuti_ensaio1501-24Outros destaques

Claudio Russo, Moacyr Luz e Dona Zezé estiveram ao lado do carro de som o tempo todo. Russo fazia o intermédio entre bateria e cantores durante as paradinhas, mostrando muito carinho e respeito a obra que estava sendo executada. O ensaio ainda teve a presença do ilustre ex-jogador rubro-negro, campeão mundial em 81, Junior. Que veio no início da escola ao lado do presidente Renato Thor.