Santa Cruz surpreende em ensaio técnico no Sambódromo

"Feliz da Vida", como diz um verso do seu samba-enredo, a Acadêmicos de Santa Cruz fez seu ensaio técnico rumo ao Carnaval 2012 na Marquês de Sapucaí. O radialista Antônio Carlos, grande homenageado do enredo, participou do treino da verde e branca da Zona Oeste. A agremiação levou um bom contingente de componentes, cerca de 1,5 mil, de acordo com a diretoria, e empolgou o público que lotava as arquibancadas e frisas, num domingo de sol, praia e muito calor. Destaque positivo para toda a comunidade que dentro da Avenida provou que o samba-enredo pode funcionar muito bem para o desfile; de negativo, o ritmo acelerado que a escola passou pela passarela de desfiles.
 

* Veja aqui fotos do ensaio técnico

– É uma emoção indescritível. Nunca imaginei que um radialista como eu fosse virar enredo de uma escola de samba tão importante como a Santa Cruz. Falta até palavras para descrever a felicidade de estar vivendo esse momento. Agradeço o carinho da escola e do público comigo. Tomara que tudo corra bem no dia do desfile e os julgadores gostem do trabalho. Comparar o apelo popular desse enredo com o apelo do enred sobre o Roberto Carlos é bobagem. O Roberto é um Rei. Já eu, nem príncipe sou (risos) – disse o radialista Antônio Carlos.
 

* Clique aqui e veja o vídeo do ensaio técnico da Santa Cruz
 
A comissão de frente, comandada por Carlinhos Muvuca, era formada por 15 homens e mostrou a coreografia oficial que desfilará na Sapucaí durante o desfile da agremiação, em 18 de fevereiro, sábado de carnaval. O grupo apresentou passos muito bem marcados, além de cantar o samba com empolgação. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Eduardo Belo e Thaisa Barros, talvez por conta da correria que tomou conta do ensaio desde o início do treinamento, só se apresentou nas duas últimas cabines de jurados. O casal passou corretamente.

– Acho que eles se enganaram com o fato do número de jurados ter diminuído de 5 para 4. Ano passado, eram 5 módulos de julgadores, para 2012 serão 4 módulos, então isso pode ter confundido – contou Zezo, presidente da Santa Cruz.

Apesar da correria, que durou durante todo o percurso do ensaio, o que se viu foram foliões bem alegres e não presos à fileiras dentro das alas. A escola ensaiou com alegria. O samba-enredo foi cantado com força pelos componentes, sendo bem entoado do começo ao fim, com explosões no refrão principal. Os componentes carregavam diferentes adereços de mão e evoluiam muito bem. A organização estava quase impecável. No que depender do ensaio técnico, a escola mostrou que está quase pronta para brigar pela volta ao Grupo Especial.
 
A bateria, de mestre Raphael, porém, não estava em seus melhores dias. Era possível observar que o toque das caixas não estava padronizado e os surdos de marcação de 1ª e 2ª, possuiam alguns ritmistas que os tocavam com força excessiva o que ocasionava desafinação dos surdos, o que não chegaria a ser um problema se houvesse manutenção das afinações durante o ensaio, o que não aconteceu. Já o surdo de 3ª embolava ligeiramente no desenho do refrão principal. Destaque para as duas bossas bem executadas que levaram o público presente ao delírio. A frente dos ritmistas, a bela rainha Jaqueline Maia demonstrou total sintonia com seus ritmistas e toda a comunidade de Santa Cruz.

– O rendimento foi aprovado na minha concepção. Fizemos todas as bossas de maneira firme. Elas são difíceis, não são simples. Gostei também do ritmo. O andamento é cadenciado, na Santa Cruz nós não gostamos de correria. Acho que o trabalho renderá boas notas no carnaval – afirmou o mestre de bateria.
 
O presidente Zezo pareceu não estar muito satisfeito com o carro de som. A todo tempo o dirigente fazia gestos para o intérprete David do Pandeiro acelerar o ritmo, que por sua vez apontava para a bateria, parecendo demonstrar falta de entrosamento entre a bateria e o canto. O presidente aliás, como de costume, tentava ele próprio corrigir os erros que encontrava durante o percurso. Atitude válida, pois era em prol da melhora e crescimento do treino.
 
– No começo, quando o David largou com o samba, eu percebi que o objetivo traçado em relação ao andamento do samba não estava sendo atingido, o samba estava caindo, então eu corri no carro de som para colocar o samba no ponto adequado. A gente não pode deixar o pessoal relaxar, tem que cobrar sempre, o samba é irreverente, mas não pode deixar arrastar – explicou o presidente, que ainda fez sua avaliação de todo o ensaio técnico.

– Nós traçamos alguns objetivos para este ensaio, um deles é em relação ao tempo de desfile. Você não pode passar aqui em 58 minutos, porque no ensaio não tem alegoria, então estabelecemos como parâmetro passar entre 52 e 54 minutos. Chegamos na Apoteose com 53 minutos, então cumprimos esse objetivo. Outra meta que tínhamos era acertar a coreografia de saída da comissão de frente e do casal do mestre-sala e porta-bandeira em cada cabine de jurados. Um ponto que podemos e vamos melhorar é o canto dos componentes. Alguns compraram fantasias recentemente, então não estão ambientados com o samba. Por isso, eu dou nota 8 ao ensaio – disse o presidente Zezo.

A Santa Cruz desfilará pelo Gupo de Acesso A, no sábado de Carnaval com o enredo "Acorda Brasil para escutar! O Show do Antonio Carlos está no ar", do carnavalesco Lane Santana.

Comente no espaço abaixo: