São Clemente quer quadra como calendário cultural do Rio de Janeiro

Os clementianos têm mais um motivo para comemorar, juntamente com os parceiros Rio de Negócios administrado por Diogo Castelão e a empresa Aventura Entretenimento, do empresário de mídia e entretenimento Luiz Calainho, uma nova parceira chegou a São Clemente: a Skol 360°. Em uma coletiva de imprensa realizada na noite desta quarta-feira na quadra da agremiação, foi mostrado o planejamento que a empresa de bebidas fará na escola. Eles irão atuar juntos nos ensaios, em um bloco chamado “bloco dos clementianos” e em espetáculos musicais.

O presidente da agremiação, Renato Almeida, conversou com o CARNAVALESCO e se disse espantado com todo esse momento que a escola está vivendo:

– Eu comecei o projeto com a empresa do Diogo. Ele trouxe os parceiros e fechamos o enredo musical. E isso começou a crescer de uma forma que vou falar assumidamente, estou assustado, eles agora trouxeram essa nova parceria, que está entrando forte com bloco e eventos aqui na quadra. Eu confesso a você que estou muito feliz em ver a escola crescer dessa forma. Eu sou filho do fundador e ver as coisas acontecerem dessa forma tão honesta, tão bacana e transparente, acho que a escola vai entrar na família das grandes do nosso carnaval.

O presidente também afirmou que foram dados 1500 convites para os componentes poderem participar da festa de lançamento. Ainda segundo o presidente, a quadra da escola quer fazer parte do calendário cultural do Rio de Janeiro:

– Encontramos o Secretário da RioTur para que coloque a quadra como um cenário carioca de lazer, como temos alguns outros lugares. Eles fazem toda a mídia e nós preparamos a quadra para isso, vamos ter sempre grandes eventos. Às quintas sempre terão convidados, às sextas vamos ter o ensaio da escola sempre com a presença de uma co-irmã e sábado, uma grande roda de samba. Acredito muito que isso aqui vire um point do carioca.

Questionado sobre o valor que a escola vai investir no carnaval, o presidente não titubeou e quase que diretamente falou: “Vamos beirar R$ 6 milhões e 800 mil”.

Diogo Castelão, que também participou do evento e preside a empresa Rio de Negócios, conheceu o presidente da agremiação no bloco Spanta Neném – o qual Castelão é um dos responsáveis – e desde então viraram amigos e agora parceiros. O executivo contou qual a participação de sua empresa dentro da escola:

– A empresa é nova e o primeiro projeto que eu quis abraçar foi exatamente a São Clemente. Fazer essa escola mais bacana, animada e pujante do Rio. Estamos montando toda essa estrutura com show, com atrações especiais, com o bloco e com um enredo muito especial. Isso tudo para fazer a escola inovadora e desejada. A Skol já é minha cliente em outros projetos, e eles estavam falando sobre carnaval e eu comentei que, se quisessem trabalhar nessa área aqui no Rio, tinha que ser com a São Clemente. E eles entenderam isso e, com a marca Skol 360°, irão transformar a escola na sua plataforma de carnaval.

Quem também esteve presente ao evento foi Luiz Calainho. Ele conversou com o CARNAVALESCO e disse sobre todo esse momento vivido junto com a São Clemente e também sobre o que para ele será um grande musical na Avenida:

– Isso aqui é absolutamente histórico. Para quem não sabe, o Brasil hoje já é o terceiro maior produtor de musicais do planeta. Nós só perdemos para os Estados Unidos e para Inglaterra. O que nós queríamos era levar esse assunto dos musicais para uma pauta mais abrangente, democratizando esse teatro musical. O maior teatro do mundo não está em outros países, e sim aqui no Brasil, mais especificamente no Sambódromo que, com a reforma, vamos ter 80 mil pessoas sentadas, assistindo a tudo. O maior musical do mundo são os desfiles. A gente, junto com a escola, quer convidar a todos a se aventurarem nesse grande musical. Esse mundo que é criativo, rico e exuberante. Estamos muito empolgados, eu diria mais, estamos emocionados em poder levar esse assunto democratizando, portanto, os musicais.

Calainho, que foi um dos organizadores dos bailes que ocorreram no Cais do Porto durante o Carnaval desse ano, contou que eles irão continuar no próximo ano, porém com algumas alterações, como por exemplo o nome e o local:

– Agora não serão mais bailes Devassa; eles vão passar a se chamar, devido a um acordo com a prefeitura do Rio, “Bailes do Rio” e também não será no Porto devido às obras, e sim no Jockey Club, na Lagoa.

Depois de toda a apresentação, o evento continuou com a bateria da escola e com o primeiro show, de Diogo Nogueira.

Comente: