São Paulo vive expectativa por um dos maiores desfiles da história e abre disputa do Grupo Especial

sambodromo_anhembiO lema da Liga SP para a folia de 2018 é “rumo ao maior carnaval do Brasil”. Para chegar lá a entidade aposta em um dos maiores desfiles da história da folia paulistana em todos os tempos. A sexta-feira de carnaval marca a abertura dos desfiles do Grupo Especial no Anhembi. Vão cruzar a passarela do samba nesta primeira noite Independente, Unidos do Peruche, Acadêmicos do Tucuruvi, Mancha Verde, Acadêmicos do Tatuapé, Rosas de Ouro e Tom Maior. A primeira escola inicia seu desfile a partir das 23h15, desta sexta-feira, e a última agremiação é esperada para iniciar às 05h45 já do sábado de carnaval. Através da Sintonia SASP, você poderia ouvir ao vivo todos os desfiles de 2018.

Pelo quinto ano seguido, o site CARNAVALESCO irá marcar presença na cobertura dos desfiles das escolas de samba do Grupo Especial paulistano. Ao todo, serão 16 matérias opinativas e informativas – uma para cada desfile e uma geral sobre cada uma das duas noites de festa no Sambódromo do Anhembi. Além disso, vídeos das arrancadas dos 14 desfiles do Grupo Especial e uma galeria de fotos por escola. Pelo terceiro carnaval consecutivo o veículo forma uma parceria de conteúdo com a equipe da SASP. Todo o conteúdo será publicado ao longo da madrugada, enquanto os desfiles acontecem no Anhembi, para que o amigo internauta não perca nenhum detalhe da festa.

Ordem dos desfiles:

1 – Independente (23h15)
2 – Unidos do Peruche (00h20)
3 – Acadêmicos do Tucuruvi (01h25)
4 – Mancha Verde(02h30)
5 – Acadêmicos do Tatuapé (03h35)
6 – Rosas de Ouro (04h40)
7 – Tom Maior (05h45)

A expectativa de cada desfile desta noite:

independente_ensaio1901_-8Independente: A tricolor é estreante no Grupo Especial paulistano. De ascensão meteórica na folia de São Paulo, a apenas oito anos atrás a agremiação estava no quarto grupo da UESP. Para impressionar público e jurados e permanecer na elite a escola seguirá na mesma linha de enredo que a consagrou vice-campeã do Grupo de Acesso em 2017. Desta vez o tema será ‘Em cartaz: Luz, câmera e… terror. Uma produção Independente!’, uma temática bastante didática sobre as produções cinematográficas de terror. O desenvolvimento do enredo está a cargo do trio André Cezari, Anderson Rodrigues e Roberto Monteiro.

Unidos do Peruche: A Peruche apresenta no desfile deste ano uma justa homenagem a um dos principais sambistas do país: ‘Peruche celebra Martinho: “80 anos do Dikamba da Vila’ será apresentado pela agremiação nesta noite no Anhembi. Depois do 11º lugar de 2017 a escola trouxe um renomado artista do carnaval brasileiro: o carnavalesco Mauro Quintaes, que entre 2015 e 2017 integrou a comissão de carnaval da Unidos da Tijuca no Rio de Janeiro.

peruche_ensaio2001-5

mancha_ensaio2001-28Acadêmicos do Tucuruvi: O Tucuruvi não estará em julgamento no desfile deste ano, pois a escola sofreu um violento incêndio no seu ateliê de fantasias e perdeu aproximadamente 90% de seus figurinos para o enredo ‘Uma Noite no Museu’. Depois de quase uma década de trabalho, Wagner Santos deixou a escola e quem desenvolve o desfile é Flávio Campello.

Mancha Verde: Oriunda do Grupo de Acesso em 2017, a Mancha Verde evitou o rebaixamento com folgas no ano passado com um bonito enredo sobre os Zés do Brasil. Com isso conseguiu dois desfiles consecutivos na elite do carnaval paulistano, o que não acontecia há cinco carnavais. Para buscar a consolidação no grupo a verde e branca aposta em nova temática popular. ‘A amizade. A Mancha agradece do fundo do nosso quintal’ irá homenagear os 43 anos de trajetória do grupo Fundo de Quintal. A escola manteve sua equipe base do carnaval passado e tem no intérprete Freddy Viana seu nome mais importante.

tatuape_cd2018Acadêmicos do Tatuapé: Desde 2016 o Acadêmicos do Tatuapé vem figurando entre as mais fortes candidatas ao título da elite em São Paulo. Vice-campeã dois anos atrás, conseguiu o inédito campeonato no ano passado e desponta como uma das mais fortes candidatas novamente neste ano. O enredo ‘Maranhão, os tambores vão ecoar na terra da encantaria’, fará homenagem ao estado do Nordeste brasileiro. Wagner Santos substituiu Flávio Campello e é o responsável pelo desenvolvimento. Celsinho Mody, atual bicampeão do Estrela do Carnaval, emplacará seu terceiro desfile na agremiação que luta pelo bicampeonato.

Rosas de Ouro: Heptacampeã do carnaval paulistano, o Rosas de Ouro luta para voltar a erguer um caneco depois de oito anos de sua última conquista em 2010. Desde então, exceto em 2011 e 2016, a escola vem se aproximando das primeiras colocações. Novamente, o samba-enredo da Roseira é a grande aposta na avenida. O lendário Royce do Cavaco, que regressou à escola desde o ano passado, irá entoar a obra sobre os caminhoneiros através do enredo ‘Pelas estradas da vida, sonhos e aventuras de um herói brasileiro’. O desenvolvimento será novamente conduzido por André Machado.

rosasdeouro_ensaiotecnico_27012017dsc07716-copy

tom_cd2018Tom Maior: Assim como a coirmã Mancha Verde, o Tom Maior evitou o rebaixamento oriundo do Grupo de Acesso. Vice-campeã da divisão inferior em 2016, o 12º lugar no ano passado credenciou a escola a novamente estar na elite do carnaval paulistano. ‘O Brasil de duas Imperatrizes: De Viena para o novo mundo, Carolina Josefa Leopoldina; De Ramos, Imperatriz Leopoldinense’ vai homenagear as imperatrizes mais famosas do país. A esposa de D. Pedro I e a Rainha de Ramos, octacampeã do carnaval carioca. Bruno Ribas é o intérprete novamente e André Marins estreia como carnavalesco da agremiação.

Entenda o regulamento

– Tempo de desfile: 55 minutos (mínimo) até 65 minutos (máximo) – caso a escola complete o desfile antes do tempo mínimo ou depois do tempo máximo, será punida com a perda de 1,0 ponto, mais 0,1 ponto por minuto, seja pelo tempo mínimo ou máximo.

– Comissão de frente: cada comissão poderá contar com o mínimo de 06 (seis) e o máximo de 15 (quinze) integrantes aparentes no quesito. Caso descumpra a determinação, a agremiação será punida com a perda de 1,0 ponto.

– Alegorias: todas as agremiações deverão apresentar 05 (cinco) alegorias em seus desfiles. Caso durante o desfile, alegorias acopladas se desacoplem, ultrapassando o limite de 05 (cinco) alegorias, a escola será punida com a perda de 1,0 ponto, além de 0,2 pontos por cada alegoria excedente. O mesmo vale para a falta de alegorias. É proibido o uso de tripés ou quadripés, de qualquer tamanho, com exceção da comissão de frente. Caso a agremiação faça uso destes elementos, também será punida com a perda de 1,0 ponto.

– Número de componentes: as escolas deverão apresentar o número minimo de 2000 (dois mil) componentes em seus desfiles, não havendo número máximo de componentes. Quem apresentar número inferior a esse, será punida com a perda de 1,0 ponto, mais 0,1 ponto para cada 05 (cinco) componentes faltantes.

– Notas e quesitos: As notas serão atribuídas de 8,0 a 10,0, fracionadas de forma decimal (8,0 – 8,1 – 8,2 – … – 9,8 – 9,9 – 10,0). São 09 (nove) quesitos: Comissão de frente, Mestre-sala e Porta-bandeira, Evolução, Harmonia, Bateria, Enredo, Samba-enredo, Alegorias e Fantasias. São quatro jurados distribuídos por nove das dez torres espalhadas pelo Sambódromo do Anhembi. A torre 01 é destinada ao locutor oficial e ao cronometrista.

Lembrando que as duas últimas colocadas no Grupo Especial serão rebaixadas para o Grupo de Acesso de 2019, e serão substituídas pela campeã e vice-campeã do Acesso de 2018. Estas duas, aliás, integram o desfile das campeãs, assim como as cinco primeiras colocadas do Grupo Especial. A festa das campeãs será na sexta-feira que vem, dia 16, no Sambódromo do Anhembi.