Segredos das escolas de samba do Grupo Especial são revelados na Cidade do Samba

Por Matheus Emanuel

segredos_cds4O carnaval se aproxima e a Cidade do Samba está cada dia mais movimentada com a chegada do espetáculo audiovisual mais belo do planeta. As entregas de fantasias e os testes de luz dos carros alegóricos são cada vez mais constantes na fábrica dos sonhos. Com o tempo curto, as escolas aceleram os preparativos para o toque final nas alegorias que serão levadas para a Marquês de Sapucaí. Fica claro o cuidado para que nenhum detalhe importante caia no conhecimento do público, o mistério é considerado fundamental para que as agremiações surpreendam na Avenida.

O site CARNAVALESCO ouviu Cid Carvalho, carnavalesco da Beija-Flor de Nilópolis, para saber se há como guardar segredo sobre o desfile na Cidade do Samba. Ele declarou que isso está cada dia mais difícil e que a proximidade entre os barracões torna esse vazamento propício, o que não ocorria quando os barracões eram espalhados pela zona portuária.

– A Cidade do Samba acabou com esse mistério, a surpresa acontecia quando as escolas eram espalhadas, depois daqui não tem mais mistério, tudo vaza. Depois da internet não tem mais mistério. Pouquíssima coisa não vaza antes da hora, infelizmente. A instalação é ótima, é apropriada, chegou em boa hora, mas mistério mesmo não há mais, isso se perdeu faz tempo – disse.

segredos_cds1

segredos_cds2Todas as escolas utilizam telas com os seus respectivos logotipos para impedir a visão externa. A Mocidade Independente de Padre Miguel vai além, a escola da Zona Oeste montou um verdadeiro aparato de segurança em seu barracão, com direito a bloqueios nas proximidades para que nenhuma informação vaze e a sua preparação para o desfile oficial ocorre no mais completo sigilo.

Um dos seguranças da Mocidade, que não quis gravar entrevista, contou ao site CARNAVALESCO que a escola está preparando um carnaval grandioso e surpreendente e que esse seria o motivo de tanta preocupação com o sigilo do conteúdo encontrado no interior do barracão.

O carnavalesco da Imperatriz Leopoldinense, Cahe Rodrigues, endossou as palavras de Cid Carvalho e declarou que o cuidado tem que partir da própria escola, dizendo que por vezes, os vazamentos surgem de forma interna, por funcionários que trabalham na própria agremiação.

segredos_cds3– Primeiro que é quase que impossível esconder os segredos das alegorias no todo, com a movimentação que você tem hoje na Cidade do Samba, as pessoas conseguem fotografar os barracões de uma forma maldosa, pessoas às vezes até dentro do próprio barracão fotografam as alegorias, revelam as alegorias em sites e páginas na internet e aí fica difícil de guardar o contexto geral, a beleza, as formas de uma alegoria no seu todo. A gente tenta camuflar de alguma forma o que vai acontecer na Avenida em termos de efeitos especiais, de movimentação. No nosso barracão deixamos as costas das alegorias viradas para a parte externa ara que a gente possa cobrir algumas partes que já ficaram prontas é o que a gente consegue fazer mais do que isso é impossível – concluiu.