Selminha Sorriso é condecorada com a medalha Pedro Ernesto na Câmara de Vereadores: ‘maior honraria da minha vida’

selma

A maior representante de todos os sambistas na atualidade, a porta-bandeira da Beija-Flor, Selminha Sorriso, foi condecorada na noite desta segunda-feira com a medalha Pedro Ernesto, condecoração máxima que o município do Rio de Janeiro pode conferir a alguém.

A homenagem veio através de projeto de lei impetrado pelo vereador Célio Lupparelli. Compuseram a mesa, além das autoridades, o filho e o irmão de Selminha, bem como o diretor de carnaval da Beija-Flor, Laíla, a carnavalesca Maria Augusta e o mestre de bateria Rodney. A Beija-Flor marcou presença em peso na solenidade e o presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, amigo pessoal de Selminha.

Selminha está próxima da categoria de unanimidade entre os sambistas. Seus primeiros passos no carnaval se deram através da tradicional Unidos de Lucas, ainda como passista. O sonho de se tornar uma porta-bandeira se consumou no Império Serrano, no ano de 1991. Ao lado de seu eterno parceiro, Claudinho, participou de quatro carnavais na Estácio de Sá, incluindo o único campeonato da história da escola no Grupo Especial. Mas foi na Beija-Flor de Nilópolis que Selminha marcou época. Junto de seu parceiro já foram 22 desfiles, com oito campeonatos e uma interminável coleção de prêmios.

Mas segundo a própria Selmimha Sorriso, a condecoração com a medlha Pedro Ernesto, conferida à ela nesta noite no parlamento municipal, é a grande conquista desses 26 anos de carreira dedicados ao carnaval.

– Foi uma das grandes emoções da minha vida. Primeiro pela representatividade de uma homenagem deste tamanho, pois é a maior condecoração da minha cidade, é um reconhecimento. E segundo por eu poder através da minha arte tecer algumas palavras em defesa do samba, que está passando por um momento difícil, mas que o mais importante é enfrentar as dificuldades e lutar. Agradeço todos os dias o dom que Deus me deu, ao carinho que recebo por onde passo eu todas as escolas e à minha querida Beija-Flor, o meu povo de Nilópolis, que se fez presente aqui nessa homenagem através de nossos segmentos – definiu.