Sopa de letras, notas e números

Com a recente mescla dos Grupos de Acesso A e B chegou-se ao impasse de como seria a atual nomenclatura dos referidos Grupos. Logo no primeiro momento, acenaram com “Grupo Ouro”, que particularmente achei bem interessante; e, já pensando mais à frente, já visualizei Grupos Prata e Bronze para as escolas da AESCERJ. Não sei o verdadeiro motivo de retornarem à nomenclatura “Série A”. Seria talvez porque a palavra Ouro possuiria “carga semântica” que suplantasse a palavra Especial? Pelo que sei, há grandes possibilidades de os grupos da Intendente Magalhães (C, D, E em 2012) passarem para Grupos B, C, D, respectivamente… e quem sabe (torço para isso) invertam os dias de seus desfiles; ou seja, domingo desfila o Grupo D, 2ª feira, o C, e, 3ª feira, o “mais forte”, Grupo B?

Quanto à atribuição de notas, no Grupo Especial, balizaram todas as notas de 9,0 a 10, tirando, dessa forma, a possibilidade de algum jurado prejudicar alguma agremiação tirando mais de 10 décimos, atribuindo nota 8,5 ou até 7,6, dada inadvertidamente à Porto da Pedra, alijando a escola do desfile das campeãs.

Acho a medida válida, porém, não sana o problema definitivamente, pois em muitas ocasiões a nota dez, mal dada, também prejudica o resultado.

Uma coisa que o amigo internauta pode perceber é que notas 9,0 a 10, usando a casa decimal, equivale às notas atribuídas nas décadas de 70/80, de 1 a 10, sem usar decimal.

Compreendo que, mesmo equivalente, uma escola levar nota 7 parece muito pior do que levar 9,7, psicologicamente falando.

E então, amigo internauta, qual a sua opinião?

Comente: