Tijuca diverte, faz desfile perfeito tecnicamente e se coloca como grande candidata ao título

 

 

A Unidos da Tijuca colocou o pé na Sapucaí sabendo que, ao cumprir o seu papel sem grandes falhas, entraria definitivamente na briga pelo título. E assim aconteceu. Com uma performance perfeita no aspecto técnico, a escola divertiu o público como de costume, apresentou fantasias e alegorias que cumpriram bem o que o Enredo previa e, analisando todos os desfiles quesito a quesito, carimbou o status de favorita no próprio peito. A agremiação, que encerrou os desfiles do Carnaval carioca apresentando o Enredo "Acelera, Tijuca!" fechou seu desfile em 76 minutos.

* VEJA FOTOS DO DESFILE DA UNIDOS DA TIJUCA

* Confira a análise cabine a cabine de jurados do desfile da Unidos da Tijuca

Como costuma ser o trabalho executado por Paulo Barros, a escola tijucana apresentou fantasias e alegorias que não eram luxuosas nem apresentavam uma estética que pudesse ser inserida entre as melhores do Carnaval do ano. No entanto, assim como também é marca registrada do trabalho do carnavalesco, o desfile da Unidos da Tijuca exibiu o que propunha o Enredo da escola, divertiu o público recebeu, como prêmio, os gritos de "É Campeão" do público presente nos últimos setores da Sapucaí.

Comissão de Frente e casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A abertura do desfile da Unidos da Tijuca foi impactante em todos os módulos de jurados. No entanto, ela só saiu como esperado na apresentação diante da primeira cabine. Em um desafio que exigia a velocidade de diversos personagens fictícios e reais ligados à velocidade, o ápice da apresentação era quando o homenageado do Enredo tijucano, Ayrton Senna, vinha em um carro de Fórmula 1 para vencer a disputa. O problema enfrentado pelos dançarinos de Priscilla Motta e Rogério Neri foi o fato do veículo morrer depois da primeira exibição. Por isso, as performances nos outros três módulos perdeu o assustador ronco do motor do carro e o jeito foi improvisar, com os dançarinos empurrando a máquina. Apesar da dificuldade, os componentes da Comissão foram muito aplaudidos durante toda a passagem pela avenida e, como costuma ser, abriram muito bem mais um desfile da Tijuca. Em seguida, era a vez de Julinho e Ruth encantarem o público. O Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira da Tijuca, que iniciava sua apresentação interagindo com o Ayrton Senna da Comissão de Frente, encantou o público com uma bela coreografia e a já conhecida sintonia entre os dois. A dupla também foi muito aplaudida em todos os setores da Sapucaí.

Harmonia e Samba-Enredo

O bastante criticado Samba da Tijuca não comprometeu o canto. A Harmonia dos componentes não deixou a desejar e o que se ouviu foi a cantoria forte que virou marca registrada da Unidos da Tijuca nos últimos anos. Destaque para o canto "gritado" das alas "A Velocidade da Luz", "Velocista", "Bandeirada" e "Esportes". Único destaque negativo no aspecto foi a ala "Ciclista", que passou com muitos componentes sem cantar.

Evolução e Conjunto

Mais uma exibição perfeita da Tijuca no quesito Evolução. A escola passou com um ritmo constante de desfile, sem grandes paradas fora as necessárias para apresentações de Comissão de Frente e Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira nem precisar apertar o passo.

Fantasias

Paulo Barros mais uma vez fez diversas brincadeiras com suas fantasias. A falta de luxo ou grande beleza estética foi compensada pela criatividade do carnavalesco, que vestiu seus componentes facilitando bastante a leitura do Enredo. Era fácil entender o significado de cada coisa apresentada pela Tijuca. Destaque para as alas "Peixe-Agulhão", "Velocidade da Luz" e "Rema, Rema, Remador", que ganharam muitos aplausos.

Alegorias

Uma continuidade do que foi descrito nas Fantasias. Paulo Barros brincou mais uma vez e as alegorias da Tijuca divertiram muito o público. Destaque para o carro "Pit Stop", com uma interação muito criativa que levantou as arquibancadas.

Comente: