Tom Maior: Bruno Ribas dá o ‘tom’ no ensaio técnico

Por Fiel Matola

holidayO ensaio da Tom Maior, que homenageará a Imperatriz Leopoldinense no Carnaval 2018, foi positivo e mostrou que a escola fará uma grande apresentação. Porém, a evolução foi o “pecado”, principalmente, na entrada da bateria no recuo. Em seu discurso, a presidente Luciana Silva ressaltou o trabalho feito nos ensaios de quadra e rua, pedindo aos seus componentes que mostrassem o que vem sendo feito.

– Estamos trabalhando juntos desde junho. Agora é a hora de mostrar todo aquele trabalho feito em quadra, na rua, levantem as mãos, dê ao amigo que está ao lado. Nós da Tom Maior somos uma família e essa energia que vamos trazer para o Anhembi hoje – disse a presidente.

Comissão de Frente

print9_enJá mostrando tudo o que vai ser a apresentação oficial, a comissão de frente da Tom maior tem um elemento alegórico. São 24 participantes divididos em dois elencos. Os componentes vieram bem vestidos, uma das integrantes chama a atenção, ela participa de todos os quadros coreográficos do início ao fim, representando a Imperatriz Leopoldina. No final, ela vira uma porta-bandeira para aplausos do público presente.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Jairo e Simone Gomes mostraram leveza em sua passagem, sem fantasia, somente vestidos com uma roupa que remete ao enredo. Eles evoluíram bem por todo o Anhembi, mostrando o que vão fazer no dia do desfile. A porta-bandeira antecipou ao site CARNAVALESCO que a roupa será luxuosa conforme pede um enredo sobre a Imperatriz.

tom_ensaio2001-27– Nós mostramos o que vamos trazer no dia oficial. É lógico que há uma diferença quando você coloca a roupa, mas nosso treino é com tudo oficial. Quanto as nossas fantasias, elas estão muito luxuosas, fiquei super surpresa ao vê-las no ateliê. É algo lindo – comentou Simone Gomes.

Harmonia e Samba

Ponto alto do ensaio foi a ala musical, Bruno Ribas e seus parceiros interpretaram com maestria o samba que rendeu bem na avenida. Componentes e público cantaram principalmente os refrões. Apesar da boa atuação do conjunto musical, a Tom Maior deve atentar para segunda parte do samba, que não é tão bem cantada como as demais.

tom_ensaio2001-10

tom_ensaio2001-25– Estamos com 95% do projeto pronto, temos mais um ensaio para completarmos esse projeto. Estou feliz com o que vi aqui hoje, com a quantidade de componentes e alegria da escola, com a forma que recebeu o samba e a plateia também – disse o intérprete.

Evolução

Ponto negativo da noite. A escola estava toda certa na pista, porém, ao entrar no recuo, as alas que vinham após sofreram com o efeito dominó. Um clarão formou-se entre uma ala e outra. Exceto essa problema, a evolução da Tom Maior foi boa, com o componente brincando, e evoluindo no ritmo do samba.

– Tivemos 2100 pessoas, em uma tarde de chuva, com 55 minutos, as alas evoluindo, nossa escola está 95% fechada. Estamos com uma proposta boa, nunca feito na escola. Vejo como positiva nossa passagem hoje – disse o diretor Gabriel Ferreira, conhecido como Gabirú.

tom_ensaio2001-14Bateria

Ponto positivo da noite a bateria comandada por mestre Carlão mostrou algumas bossas, principalmente, no refrão onde diz: ‘Chorou na senzala chorou’. A bateria com seu ritmo cadenciado lembrou muito da Imperatriz.

Outros destaques

A escola trouxe em vários momentos a Imperatriz Leopoldina, mostrando que ela estará muito presente em seu desfile. Na comissão de frente, em alas e para o ensaio foi trazido um tripé que veio após o casal de mestre-sala e porta-bandeira, nele o nome da escola, envolta a visão da fauna e flora da Imperatriz ao chegar ao Brasil, e acima no tripé uma foto de Leopoldina.