Tupinicópolis em debate

 

 

Uma metrópole indígena imaginária com referenciais do homem branco. Na verdade, um painel crítico à sociedade, à exploração das terras indígenas e à má distribuição de terras no Brasil. Este foi o mote do enredo Tupinicópolis, considerado um dos maiores de todos os tempos, e que completou 25 anos em 2012. A estreia da série Cine Debate (dia 07 de julho, sábado, a partir de 15 horas, no Centro Cultural Cartola), recorda e analisa este carnaval da Mocidade Independente, vice-campeão em 1987. A entrada é franca.


O evento apresentará imagens daquela histórica apresentação e um debate com personalidades ligadas à agremiação de Padre Miguel, carnavalescos e pesquisadores. Vale lembrar que seu criador, Fernando Pinto, faleceu nove meses após o desfile. Na mesa, estarão Alexandre Louzada, carnavalesco da Mocidade, e o empresário Chiquinho do Babado, ex-diretor de carnaval da escola.


Além deles, marcarão presença o campeoníssimo compositor Tiãozinho da Mocidade, a destaque Vera Benévolo, o carnavalesco da Alegria da Zona Sul, Eduardo Gonçalves, e o jornalista e comentarista Fábio Fabato, um dos autores do livro “As Três Irmãs”, que conta as histórias de Mocidade Independente, Beija-Flor de Nilópolis e Imperatriz Leopoldinense. O mediador será Renato Buarque, vice-presidente cultural da Verde-e- Branco.


O debate é uma derivação do projeto “Chá do Samba” que, há pouco mais de um ano, tem reunido no Centro Cultural Cartola representantes dos departamentos culturais de diversas agremiações do Rio de Janeiro, pesquisadores e jornalistas. Coordenador do evento, o historiador Vinicius Natal adianta que o próximo desfile homenageado será “Kizomba” (1988), primeiro título da Unidos de Vila Isabel. “A ideia é recordarmos uma apresentação histórica por mês”, diz.


Diversos segmentos da Mocidade estarão presentes. Impossibilitada de comparecer ao debate devido a compromissos previamente assumidos, a destaque Marlene Paiva – uma das figuras mais importantes da história da escola –, gravou um depoimento em vídeo sobre Tupinicópolis. O presidente da Mocidade, Paulo Vianna, destacou a importância do debate para a lembrança do trabalho de Fernando Pinto: foi um dos maiores artistas da história do carnaval, e quem entregou a característica de ousadia e vanguarda à Estrela”, analisa.

 

SERVIÇO

 

1º Cine Debate

Tupinicópolis: 25 de uma ficção científica tupiniquim retrô futurista pós- indígena

(Centro Cultural Cartola e Departamento Cultural da Mocidade)

Sábado, 07 de julho, a partir de 15 horas

Debatedores:

Alexandre Louzada Chiquinho do Babado Tiãozinho da Mocidade Vera Benévolo Eduardo Gonçalves Fábio Fabato

Mediador:

Renato Buarque

Organização:

Vinícius Natal

Pedro Simões

Renato Buarque

Fábio Fabato

Arte:

Henrique Pessoa

CENTRO CULTURAL CARTOLA Rua Visconde de Niterói, 1296 Tel.: (21) 32345777 Rio de Janeiro – RJ

ENTRADA FRANCA 

Comente: